Home‎ > ‎Artigos Peregrinos‎ > ‎

BOTAS OU TÊNIS?


BOTAS OU TÊNIS?




Autor: Walter Jorge

Alguém perguntou o que era melhor para efetuar a peregrinação, se botas ou tênis.

Esse é um assunto bastante controvertido, a peregrinação pode ser efetuada com qualquer tipo de calçado. Se um dos nossos caboclos do interior do nordeste, acostumado a andar léguas e léguas a pé, fosse efetuar a peregrinação, lógico que ele iria com os pés descalços. 

Existem vantagens e desvantagens em todo o tipo de calçado:
  • a bota é pesada o tênis é mais leve; 

  • a sola da bota é mais rígida do que a do tênis e como conseqüência dar uma maior aderência de impacto e quando estamos em solos irregulares e pedregosos, evita o cansaço excessivo da planta dos pés; 

  • em terreno lamacentos o tênis adere ao barro podendo sair dos pés; 

  • a boa bota do tipo trekking, são impermeáveis e permite a transpiração dos pés e tem a vantagem de evitar torcer o pé quando de uma pisada em falso; 

  • quanto a qualidade, existe o bom tênis do tipo abotinado, o NikeAir, e a boa bota de trakking da San Marcos, possuindo membrana de Goro-tex, (o que a torna impermeável e permite a transpiração dos pés).


Já conversei com quem foi de botas e com quem foi de tênis, cada um tem sua opinião favorável. Tenho um colega que deveria ir este ano (72 anos – não o foi porque teve de efetuar uma operação no menisco – está atualmente fazendo fisioterapia), ele caminha com sandálias do tipo Franciscana e iria com elas. Em um documentário da TV alemã que eu gravei, tinha um alemão andando de sandálias com meias. Por aí vocês podem verificar a diversidade de opiniões. 

A questão de bolhas nos pés devido ao tipo de calçado usado, é também muito relativa, tanto as botas como os tênis, podem trazer bolhas para o usuário. O Peregrino-Jato, usou botas da San Marcos e não teve nada, nem bolhas e nem tendinite. 

A Baby Consuelo no seu livro recomenda: "andar uma hora e parar por 15 minutos para descansar os pés". 

O nosso amigo Máqui no seu livro informa: "defendo com unhas e dentes a opinião de que você deve estar usando botas especiais para caminhadas, conhecidas pelo pomposo título de botas de Trekking". 

Se me perguntarem: e você, vai de que? 

Eu respondo: minhas botas são da San Marcos, possui cano alto para proteger os tornozelos, já está amaciada com mais de 300 km de caminhadas em todos os tipos de terrenos, com e sem chuvas – Tudo OK, nem bolhas nem nada. 

Apenas digo, os pés é uma das partes importantíssima junto ao calçado na peregrinação, trate-o bem, qualquer sintoma diferente, PARE, PARE MESMO, NÃO DÊ NEM MAIS UM PASSO, tire o calçado e verifique o motivo, uma meia mal colocada, enrugada, pode gerar uma bolha, a mesma pode sangrar e a peregrinação abortar. 

Mais uma vez transcrevendo o Máqui: "Os pés são os melhores amigos do peregrino. Cuidar deles não é só obrigação, mas também uma questão de respeito." (O grifo é nosso). 




Vejamos o que informa o Dr. Renato Aizenman que escreve artigos intitulados "Caminhar" para o Jornal do Brasil: 

"Bolhas e Calos são resultado de uma fricção contínua da pele do pé com o tecido do calçado. Portanto, na grande maioria dos casos o tênis é o vilão da história. E as mulheres as maiores vítimas. "Os tênis vendido aqui, tantos os importados como os brasileiros, são feitos a partir de um molde que não é o padrão da mulher brasileira", diz Furtado (Carlos Furtado, podólogo, que dirige uma das maiores clínicas especializada do RIO). Os tênis são estreito e longos, enquanto o pé da brasileira é mais curto e largo. Para piorar, a vaidade muitas vezes a faz escolher um número menor que o correto. Para evitar problemas é preciso checar na hora da compra se o tênis é confortável na largura e no comprimento, e se sua sola é flexível. "É besteira suportar o desconforto achando que o tênis vai se moldar ao pé. Não é o calçado que alarga, é o pé que acaba se espremendo", diz o podólogo." 

"Use tênis apropriado – Um sistema de amortecimento na área do calcanhar é essencial, tanto para diminuir o impacto da pisada como para distribuir melhor o peso recebido pelo pé." 

Para aqueles que tiveram o cuidado de ler, apenas digo: PENSE NO QUE É MELHOR PARA OS SEUS PÉS.

(*) Texto Original publicado no Portal Peregrino: www.caminhodesantiago.com.br

 ‎VOLTAR