Home‎ > ‎Caminho da Fé‎ > ‎2014 - CAMINHO DA FÉ‎ > ‎

4º dia – BORDA DA MATA à ESTIVA – 40 quilômetros


4º dia – BORDA DA MATA à ESTIVA – 40 quilômetros



Sabia que seria outra etapa duríssima, talvez, em minha opinião, a mais difícil dentre todas que trilhei no Caminho da Fé.

No entanto, me encontrava animado para enfrentá-la, mormente porque, desta vez, teria companhia na trilha.

E, no horário aprazado, exatamente 5 h, o Márcio e eu deixamos o Hotel San Diego e seguimos em ascendência pelas ruas frias da cidade, em direção ao cemitério.

Ali, giramos à esquerda, acessamos uma larga estrada de terra e, animados, prosseguimos nossa “viagem”, ainda sob a luz de lanterna, pois o dia ainda demoraria a clarear.


Km 08,0 – Água potável oferecida pela família Xavier, onde fizemos uma pausa para hidratação.


Km 08,0 – No local, há uma pequena gruta erigida em homenagem à Mãe Maria e à Sant'Ana.


Km 08,5 – O sol finalmente apareceu e iluminou a paisagem circundante.


Km 09,0 – No topo do morro, a 1.200 m de altitude, placa que marca o local da divisa entre as cidades de Borda da Mata e Tocos de Moji.


Km 09,0 – No topo do morro, a 1.200 m de altitude, placa que marca o local da divisa entre as cidades de Borda da Mata e Tocos de Moji.


Km 11,0 – No topo da serra, a 1.260 m de altitude, o ponto de maior altimetria dessa etapa, tem início violento descenso.


Km 12,8 – Igreja dedicada a São Francisco de Assis, no bairro Capinzal.


Km 14,5 – Placa indicativa de que faltam 200 quilômetros até Aparecida.


Km 17,0 – Pausa na praça principal de Tocos de Moji, para descanso e hidratação.


Km 21,0 – Um ipê florido localizado no cimo da primeira serra a ser transposta.


Km 21,5 – Cruzamento, onde seguimos à direita, em direção à Fazenda Velha.


Km 24,0 – Simpática igrejinha existente no distrito de Fazenda Velha, que pertence à Estiva.


Km 27,0 – Início de violento descenso. Abaixo, o bairro de Pântano do Teodoro.


Km 27,5 – O fabuloso Pântano do Teodoro, agora mais próximo.


Km 30,0 – Igrejinha localizada no Pântano do Teodoro.


Km 31,0 – Ascensão e vista do lado oposto ao Pântano do Teodoro.


Km 31,5 – Ascensão e vista do lado oposto ao Pântano do Teodoro.


Km 32,0 – Topo do morro, final da aclividade. No fundo, o Márcio aportando ao ápice.


Km 32,2 – Primeira visão da cidade de Estiva, a 8 quilômetros de distância.


Km 40,0 – Pousada do Poka, local de pernoite nesse dia.


Igreja matriz de Estiva, que se encontrava em reforma.


Praça central da cidade de Estiva.

RESUMO DO DIA: Tempo gasto: 9 h – Clima: frio de manhã, depois muito sol e calor, com variação de temperatura entre 7 e 25 graus.

Pernoite na Pousada do Poka: Excelente – Apartamento individual – Preço R$50,00

Almoço do Restaurante Madalena: Excelente – Preço: R$12,00, pode-se comer à vontade no Self-Service.

IMPRESSÃO PESSOAL: Apesar das dificuldades enfrentadas em várias outras jornadas, considero esta a mais difícil que vivenciei no Caminho. Não tanto pela primeira travessia, mas, principalmente, pelo fascinante e temido trecho entre Tocos e Estiva. Recomendo aos que pretendem desafiá-lo, que o façam em separado, em razão da rudeza do percurso a ser enfrentado, face a necessidade de se transpor quatro duríssimas serras, em sequência. Há que se ressaltar, entretanto, a beleza incomum das paisagens com que somos brindados durante todo o trajeto em comento.