1º dia: CRAVINHOS/SP a SÃO SIMÃO/SP – 32 quilômetros


1º dia: CRAVINHOS/SP a SÃO SIMÃO/SP – 32 quilômetros

"A fé em Deus nos faz crer no incrível, ver o invisível e realizar o impossível."

Aportei à cidade de Cravinhos numa sexta-feira à tarde e, na sequência, me hospedei na Pousada Girassol, onde havia feito reserva.

Ali, por um sofrível apartamento individual, dispendi R$60,00.

Para almoçar, utilizei os serviços de um restaurante localizado a cem metros do hotel, junto ao Posto Ipiranga, onde, por R$20,00, pude me servir à vontade de uma excelente comida caseira.

Mais tarde, na companhia da peregrina Marlene, fomos visitar o Portal do Caminho da Fé, situado numa praça, defronte à igreja de Santa Luzia, localizada na principal avenida da urbe. 


Portal do Caminho da Fé em Cravinhos/SP. 
(Créditos da foto: peregrina Marlene Santos)

O trajeto foi longo, mas valeu a pena, pois o monumento, composto de 3 blocos de granito e incrustações em aço inox, é bastante sugestivo e foi inaugurado quando da abertura dessa Rota, em 09/07/2008. 


Placa alusiva existente no Portal do Caminho da Fé em Cravinhos/SP. 
(Créditos da foto: peregrina Marlene Santos)

No retorno, a Marlene seguiu de táxi para se hospedar no Cravinhos Park Hotel, localizado junto à Via Anhanguera, onde havia feito reserva.

Para jantar optei por ingerir singelo lanche num bar próximo.

Conforme estava previsto, à noite o clima mudou, um forte temporal se abateu sobre a cidade e seguiu noite a dentro.

Quando me levantei na madrugada, ainda caía uma fina garoa e o clima estava fresco, o que me animou a fazer alongamentos e flexões.

No horário combinado, a Marlene aportou ao Hotel Girassol, vindo de carona com o Beto, responsável pela conservação das flechas e marcos do Caminho da Fé na cidade.

Fizemos, então, uma foto para registrar o evento e, exatamente, às 5 horas, demos início a jornada do dia.

Ainda caía um fino chuvisco enquanto vencíamos o trecho citadino que, mas abaixo, depois de 3 quilômetros, se enlaçou com o trajeto proveniente do Portal do Caminho da Fé.

Logo o asfalto se findou e enfrentamos muito barro nesse trecho inicial.

Com o dia clareando, aceitei o convite da Marlene e seguimos rezando o terço enquanto, lentamente, o dia raiava. 


Com a Marlene no Caminho, um pouco antes de começar a chover. 
(Créditos da foto: peregrina Marlene Santos)

Por sinal, a Marlene é uma católica convicta, dotada de sólida formação cristã, tanto que faz parte da Equipe de Liturgia na paróquia de Nossa Aparecida, localizado no bairro em que reside, sendo assídua frequentadora.

E, como forma de complementar seus conhecimentos bíblicos, cursa Teologia à noite. 


Gruta de Nossa Senhora Aparecida. Local mágico! 
(Créditos da foto: peregrina Marlene Santos)
 

Depois de percorrer oito mil e setecentos metros, nos deparamos com um espaço recentemente inaugurado, junto à entrada da Fazenda São Pedro, onde foi erigida singela capelinha, com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, para homenageá-la.

O local é mágico e propício a reflexões. 


Gruta de Nossa Senhora Aparecida. A vossa benção Mãe Querida! 
(Créditos da foto: peregrina Marlene Santos)

Nota-se, por relevante, que tudo ali foi construído com extremo esmero e se encontra muito bem cuidado.

Fizemos uma pausa no local para fotos e orações, enquanto ingeríamos bananas e frutas secas. 


Clima mudando, muita chuva no caminho... 
(Créditos da foto: peregrina Marlene Santos)

Na sequência, seguimos enfrentando muita lama e poças de água na estrada, o que não nos abateu, ao revés, propiciou-nos um caminhar alegre e extrovertido, cingidos que estávamos por clima fresco e revigorante.

A chuva logo voltou com força e precisamos vestir as capas de chuva para nos proteger, bem como aos nossos pertences. 


A Marlene e a placa dos 500 quilômetros..

Um bom tempo depois, já em descenso, transitamos diante da placa afixada pelo Caminho da Fé, que nos indicava restarem 500 quilômetros até Aparecida.

No local, emocionada, a Marlene fez questão de posar para uma foto. 


Numa plantação de feijão... 
(Créditos da foto: peregrina Marlene Santos)

Depois de transpor a Via Anhanguera por um túnel e percorrer 20 quilômetros por caminhos enlameados, fizemos uma pausa no Restaurante Texas, localizado junto ao Posto Astro de Combustíveis, onde ingerimos pães de queijo com café. 


Um trecho agradabilíssimo de caminhar.

Refeitos, prosseguimos por uma agradável senda retilínea, orlada por um renque de pinheiros do nosso lado esquerdo e um verdejante haras na outra margem.

No final desse agradável trajeto, quando íamos girar à direita, fomos alertados por uma senhora que reside nesse local, de que o roteiro do caminho fora modificado, em virtude de um sitiante, logo adiante, ter obstruído esse caminho com um portão eletrônico de ferro, impedindo a passagem de pedestres e veículos.

Infelizmente, a sinalização está um tanto deficiente nesse local, mas seguindo as instruções da solícita amiga, retornamos à rodovia Conde Francisco Matarazzo Júnior, que vai em direção à cidade de São Simão, e seguimos pelo acostamento alguns quilômetros, até adentrar à direita, junto à linha férrea. 


Chegada junto à via férrea. 
(Créditos da foto: peregrina Marlene Santos)

Mais à frente, depois de transpô-la, seguimos em frente, à direita, e logo adentrávamos em zona urbana.

E por uma passarela cimentada, aportamos ao centro da simpática São Simão, que vivia um autêntico regurgito por conta de vivenciarmos um sábado de carnaval. 


Passarela cimentada que nos levou até São Simão.

Na cidade ficamos hospedados no Hotel São Simão onde, por R$35,00, pudemos dispor de excelente quarto individual.

Para almoçar, utilizamos os serviços da Cantina Brasil, onde ingerimos uma saudável refeição no sistema self-service, por R$33,00 o quilo. 


Igreja matriz de São Simão.

Mais tarde, pós um merecido descanso, fomos visitar e fotografar a igreja matriz da cidade, cujo padroeiro é São Simão Apóstolo, inaugurada em 1892 e construída em estilo eclético
.

Igreja matriz de São Simão, de outro ângulo...

Infelizmente, o templo se encontrava fechado, frustrando minha tentativa de verificar os afrescos de Benedito Calixto e do italiano Cercelli existentes em seu interior. 


Portal do Caminho da Fé em São Simão. 

Na praça contígua ao templo, está instalado o Portal do Caminho da Fé, o qual fizemos questão de fotografar. 


Mãe Aparecida, a vossa benção e proteção! 
(Créditos da foto: peregrina Marlene Santos)

À noite, em vista da intensa agitação reinante na cidade, optamos por ingerir singelo lanche e logo nos recolhemos.