7º/9º dia: LUMINOSA/MG a APARECIDA/SP - 74 QUILÔMETROS


7º dia: LUMINOSA/MG ao BAIRRO CAMPISTA (CAMPOS DO JORDÃO/SP) – 25 QUILÔMETROS 

Maria passa na frente e pisa na cabeça da serpente.” 

Como a grande maioria dos peregrinos que transita por Luminosa, na sequência, meu destino sempre foi em direção à Pousada de Dona Inês para, depois, enfrentar a terrível serra do “Quebra-Perna”.

Ocorre que, tempos atrás, quando pernoitei na Pousada de Dona Ditinha, o Sr. Nilton, seu marido, me contou que existem caminhantes e ciclistas que não se sentem preparados para enfrentar a rispidez desse trajeto.

Então, alguns optam por um roteiro alternativo: a estrada de terra que liga Luminosa a Campos do Jordão, utilizada por veículos, em qualquer época do ano, embora essa variante acresça 2 quilômetros ao percurso global dessa etapa, e foi por ela que eu segui novamente.

A saída se deu às 5 h 30 min, depois de ingerir lauto café da manhã, preparado por dona Ditinha.

Sem dúvida, esse caminho não guarda muita semelhança com o roteiro oficial do Caminho da Fé, embora o ascenso seja perene e em lenta, mas constante aclividade.

De fato, não há escarpas íngremes e escorregadias como no outro, apenas uma inclinação contínua e parcimoniosa.

No décimo quilômetro, do lado direito, há uma fonte de água potável, excelente opção para o caminhante repor o seu precioso líquido.

No geral, apreciei muito o percurso e somente cruzei com alguns veículos motorizados no caminho, pois não avistei nenhum peregrino no trajeto.

Percorridos 13 quilômetros em bom ritmo, eu desaguei na rodovia SP-122, onde girei à esquerda e caminhados mais 2.000 metros, reencontrei o roteiro oficial.

A partir dali foi só seguir as flechas amarelas até o bairro Campista, que já pertence a Campos do Jordão, onde fui muito bem acolhido na Pousada da Rose, local onde pernoitei nesse dia.

Algumas fotos dessa etapa: 


O vale onde se encontra Luminosa/MG.


Uma sucessão de serras que ia ficando à minha retaguarda..


Pousada da Rose, bairro Campinas, Campos de Jordão/MG: local imperdível!

RESUMO DO DIA:

Pernoite: Pousada da Rose, no bairro Campista, em Campos do Jordão: Excelente! – Preço: R$90,00, com almoço, jantar e café da manhã.


AVALIAÇÃO PESSOAL – Uma etapa de razoável intensidade, entretanto, transita-se por locais belíssimos, ermos, extremamente arborizados e, no trecho inicial, sobre piso em terra. No geral, um percurso difícil, mas extremamente agradável. E o tratamento dispensado por dona Rose e família em sua pousada, é de deixar o peregrino com vontade de voltar ali sempre.



8º dia: BAIRRO CAMPISTA (CAMPOS DO JORDÃO/SP) a PEDRINHAS (GUARATINGUETÁ/SP) – 27 QUILÔMETROS 

Maria passa na frente e pisa na cabeça da serpente.” 


Na verdade, em minha opinião, e como faria uma quilometragem baixa, a jornada se afigurava bastante tranquila.

Assim, conforme combinado no dia anterior e após farto café da manhã, a Rúbia, filha de Dona Rose, me levou até o Portão do Horto Florestal onde, exatamente, às 5 h 15 min, dei início à minha solitária jornada.

Com o dia clareando segui em frente sem maiores dificuldades, pois já conhecia o trajeto de sobejo.

Após 8 quilômetros, sempre caminhando entre mata nativa, eu emergi num local aberto e atingi a altitude de 1970 m, a maior altimetria do Caminho da Fé.

E após transitar diante da Fazenda Santa Maria, teve início íngreme descenso, que fui vencendo com parcimônia e muito cuidado.

Sem grandes novidades, eu transitei pelo bairro Gomeral e, após vencer outro profundo declive, aportei à Pousada do Sr. Agenor, onde o calor humano externados pela Elen e Dona Maria, faz o peregrino se sentir em casa e querer voltar sempre.

Algumas fotos dessa etapa: 


A cidade de Campos de Jordão, desde o Mirante do Pau Arcado.


O bairro Gomeral aparece abaixo, desde a Estrada de Pedrinhas.


Com a Elen, Sr. Agenor e Dona Maria, pessoas especialíssimas!!

RESUMO DO DIA: Pernoite na Pousada do Sr. Agenor: Atendimento excelente! – Apartamento simples, com café da manhã e mais 2 refeições – Preço: R$100,00



9º dia: PEDRINHAS (GURATINGUETÁ/SP) a APARECIDA/SP – 22 QUILÔMETROS 

Maria passa na frente e pisa na cabeça da serpente.” 

Finalmente, chegava à derradeira etapa e estava muito próximo de minha meta final.

E como o clima se mantivesse quente e abafadiço, eu tinha a intenção de chegar cedo ao meu destino, assim, após tomar o café da manhã preparado por Dona Maria, parti solitário às 4 h 30 min.

Com a lanterna ligada, 1.000 metros adiante, passei pelo distrito de Pedrinhas/Guaratinguetá e duzentos metros à frente, observando à sinalização, adentrei à direita, em larga estrada de terra e segui em bom ritmo, enquanto lentamente o dia raiava.

E sem maiores dificuldades, pois o trajeto é integralmente plano, às 8 h 30 min aportei à Basílica de Nossa Senhora Aparecida, a tempo de tomar banho num hotel próximo e assistir à missa das 9 horas.

Depois da celebração, tranquilamente, pude passear pelo Santuário, fazer compras, almoçar e, mais tarde, após as libações de praxe, retornar à minha residência.

Algumas fotos dessa etapa: 


Retóes e planícies, a tônica dessa etapa.


Na Casa da Mãe: Gratidão, Nossa Senhora Aparecida!


A alegria de poder retornar a esse magnífico Santuário Mariano.

AVALIAÇÃO PESSOAL – Uma etapa fácil e de pequena extensão, onde a alegria da chegada compensa o esforço dispendido na “viagem” global. E, o reencontro com Nossa Senhora Aparecida, tem o dom de amenizar nossas querelas e oportuniza esperanças num amanhã mais aprazível.