Home‎ > ‎Caminho da Fé‎ > ‎Ramal Franca - Cam da Fé‎ > ‎

FINAL


FINAL

Sonhos podem sim se tornar realidade. Você só precisa acreditar e lutar por isso. A fé e a persistência nunca decepcionam.” 




PARA REFLETIR..

Atualmente, todos vivemos em um mundo dominado pelas máquinas.

Quase não restam em nosso deteriorado planeta espaços livres, onde possamos esquecer nossa sociedade industrial e testar, sem sermos incomodados, nossas faculdades e energias primitivas.

Em todos nós se esconde uma saudade do estado primogênito, com o qual podíamos calibrar-nos com o universo e enfrentá-lo, descobrindo a nós mesmos.

Aquele que cresceu no campo ou na montanha pode viver durante anos na cidade, desenvolver um trabalho científico e enriquecer sua inteligência, mas o que não pode fazer é permanecer eternamente lá.

Quando vê aparecer o sol entre as nuvens e sente o vento no rosto, sonha como uma criança com novas aventuras na natureza.

Comigo acontece exatamente isso.

Aqui está basicamente a razão de não haver para mim uma meta mais fascinante que esta: Um homem e um Caminho!

(Adaptado de um pensamento do alpinista-mór Reinhold Messner)


"Marco Zero" do Caminho da Fé, em Franca/SP. Ao fundo, a igreja de Nossa Senhora Aparecida.


FINALIZANDO...

Estou convencido de que a peregrinação é ainda um autêntico rito de renovação espiritual. Mas também acredito nela como uma poderosa metáfora de qualquer jornada feita com o propósito de encontrar alguma coisa de suma importância para o viajante. Com um aprofundamento de foco, cuidadosa preparação, atenção voltada para a trilha sob nossos pés e respeito pelo destino da caminhada, é possível transformar até o itinerário mais comum numa viagem sagrada.” 

Frequentemente, tenho a impressão de que busco uma região distante de minha residência para me lembrar de quem realmente sou.

E não há qualquer mistério sobre a razão dessa atitude.

Deslocado do seu ambiente habitual, privado de seus amigos, de suas rotinas diárias, de sua geladeira abarrotada de comida, de seu armário de roupas - destituído de tudo isso, você é compelido à experiência direta.

Essa situação conscientiza, inevitavelmente, a quem está vivendo tal realidade, de que ela nem sempre é prazerosa, mas é eternamente revigorante.

Percebi, eventualmente, que a vivência peregrina é a mais valiosa prática que eu posso ter.

O homem ocidental é de tal forma assediado por ideais, submetido a um constante bombardeio de opiniões, conceitos e às mais variadas estruturas de informação, que se torna difícil experimentar o que quer que seja sem o filtro dessas estruturas.

E o mundo natural, nossa fonte tradicional de “insights” está desaparecendo rapidamente, tanto que os habitantes da cidade moderna nem podem ver as estrelas à noite.

Esse humilde lembrete do lugar do indivíduo no grande esquema das coisas, que era dado aos seres humanos ver a cada vinte e quatro horas, agora lhes é negado.

Não é de admirar, portanto, que as pessoas percam seus parâmetros, a noção do que efetivamente são e do que suas vidas de fato significam.
 

Despedindo-me da Pousada Triângulo, em Divinolândia/SP, e voltando para casa...

Nesse sentido, as peregrinações me ajudaram a desfrutar situações insólitas e me conhecer melhor. 

Com relação ao trecho percorrido no Caminho da Fé, diria que fui privilegiado com clima propício e paisagens verdejantes e diferenciadas em sua consistência.

Pensando nisso, meu agradecimento sincero ao Criador, por proporcionar momentos tão gratificantes vivenciados junto à exuberante natureza que, com sua beleza explícita, enlaça e acolhe esse novel itinerário.

Por derradeiro, cumpre ressaltar que o Ramal Franca se encontra muito bem sinalizado e, diria mesmo que é praticamente impossível se perder nesse roteiro, mesmo marchando sozinho como eu fiz.


Bom Caminho a todos! 

Março/2020

 ‎VOLTAR ‎