Home‎ > ‎Caminho da Prece‎ > ‎

CONSIDERAÇÕES FINAIS


CONSIDERAÇÕES FINAIS

"Preces coletivas sobem com mais força." (Petrônio)


PRECE IRLANDESA

"Que a estrada se abra à sua frente,

Que o vento sopre levemente em suas costas,

Que o sol brilhe morno e suave em sua face,

Que a chuva caia de mansinho em seus campos,

E, até que nos encontremos, de novo...

Que Deus lhe guarde nas palmas de suas mãos!”


Pintura existente numa parede da residência do Polly.

Com sede em Jacutinga-MG, tendo como marco inicial a antiga Estação Ferroviária (Sedecon), são 71 quilômetros por estradas rurais, que cortam os municípios de Jacutinga, Ouro Fino, Inconfidentes, Tocos do Mogi e chega à Basílica de Nossa Senhora do Carmo, na cidade de Borda da Mata – MG.

Com natureza exuberante e belos cenários, o “CAMINHO DA PRECE” é uma ótima opção de caminhada para finais de semana; é um caminho intermediário, de curta duração, que além dos atributos de prece, meditação, encontro consigo mesmo, integração com pessoas simples, com a natureza e com situações do dia a dia.

É um despertar, um chamado às coisas simples da vida; através dele podemos perceber como Deus se faz presente em simples gestos.

O desapego e compartilhar com o próximo é necessário para nosso crescimento.

O Caminho da Prece é também uma preparação para quem pretende fazer uma caminhada ou peregrinação mais longa.

Começamos a ser felizes a partir do momento que fazemos algo para a felicidade do outro.”

Fonte: www.facebook.com/pages/Sedecon-Jacutinga


Jacutinga: O Caminho da Prece tem seu início nessa cidade.

O “Caminho da Prece”, a exemplo de outros caminhos turísticos de caráter religioso, visa proporcionar melhor estrutura às pessoas que queiram fazer peregrinação até a Basílica de Borda da Mata, oferecendo-lhes os necessários pontos de apoio.

O “Caminho da Prece” tem um percurso de 71 quilômetros e pode ser percorrido em dois dias, partindo da antiga Estação Ferroviária de Jacutinga, até a Basílica de Borda da Mata, percorrendo estradas rurais, onde é possível usufruir de belezas naturais encantadoras das montanhas do Sul de Minas, que tornam o roteiro muito atrativo até mesmo aquelas pessoas não ligadas ao seu caráter religioso.

O trajeto proporciona momentos de reflexão, fé e integração com a natureza.

Conforme caminha o peregrino se depara com exemplares da fauna e flora da nossa região, que tornam a caminhada mais agradável, além de contar com pontos de apoio onde é possível alimentar, descansar e conhecer um pouco mais dos produtos e serviços simples e tradicionais, que somados a exuberância da natureza, em muitos locais ainda intocados, que fazem do sul de Minas, uma das regiões mais belas do País.

Fonte: www.jacutinga.mg.gov.br



EPÍLOGO



Quem termina seus dias numa queda de cavalo ou se afoga ao cruzar um rio caudaloso teve, na maioria dos casos, uma vida mais feliz que aquele que morre de apoplexia num escritório ou sala de jantar...” (W. H. Hudson)


    Peregrinar é uma forma de procurar, de avançar, de olhar o horizonte, essa linha onde a Terra e o Céu se tocam.

    E é uma atitude tão antiga quanto a existência do Homem.

    Porquanto, todas as grandes religiões consideram a peregrinação como uma via de conversão, desde que empreendida com inquietação e espírito de busca.

    As grandes peregrinações cristãs são à Terra Santa, a Roma, a Santiago de Compostela, a Fátima, e outros centros espalhados pelo mundo.


Defronte ao Ghandi Hotel..

    Milhões de pessoas se dirigem anualmente a estes locais considerados sagrados, utilizando os mais variados meios de transporte, desde avião, barco, trem, automóvel, ônibus, motocicleta, bicicleta, cavalo e, ainda, os próprios pés.

    A peregrinação a pé era, em tempos antigos, a forma mais comum para os menos afortunados, por ser a mais barata, quando se faziam centenas de quilômetros, às vezes milhares, em viagens que duravam semanas e, muitas vezes, meses.

    Também hoje se peregrina a pé e, quase sempre, porque se fez uma promessa.

    Porém, cada vez mais, pelo simples e profundo desejo de percorrer um caminho iniciático, com algum esforço físico e psíquico, superando dificuldades, aproximando-se do lugar almejado.

    E sempre mergulhado no silêncio, pelos campos, olhando para longe e para dentro de si mesmo.

    Nesse sentido, diria que o Caminho da Prece propicia o ambiente ideal para uma valiosa reflexão sobre a vida interior de cada um.

    Porque nele, de forma impressionante, sentimos a presença do Criador com mais força e constância.

    Isso tudo, traduzido pelos belos cenários, a paisagem bucólica, os morros verdejantes e a natureza em plenitude que encontramos em seu percurso.

    Além, é claro, da amabilidade e carinho dos moradores que encontramos ao longo do Caminho.

    De se ressaltar que os cruzeiros fincados no trajeto proporcionam momentos únicos de introspecção, oração e de encontro com Deus.

       

Um obrigado especial ao Edy Prado e ao Polly pelo carinho e hospitalidade com que fui recebido em Jacutinga.

    Dessa maneira, não poderia encerrar essas linhas, sem dizer um muito obrigado e que Nossa Senhora os abençoe, ao Polly e ao Edy, que tanto lutaram, até conseguir a demarcação e oficialização desse mágico roteiro:


O CAMINHO DA PRECE, que recomendo com efusão!


BOM CAMINHO A TODOS!


    Agosto/2015

 ‎VOLTAR