Home‎ > ‎Caminho da Prece‎ > ‎

2018 - CAMINHO DA PRECE - VIII - 2 JORNADAS


2018 – CAMINHO DA PRECE – VIII - 2 JORNADAS

Você nunca estará 100% pronto e nem encontrará o momento certo. Mas esse é o ponto. Isso significa que cada instante é o momento certo. Se você quiser, apenas comece.” 




Visando fechar o ano com “Chave de Ouro”, fui percorrer novamente o Caminho da Prece, desta vez, na companhia do amigo Vinicius, um peregrino que conheci no Caminho da Fé, no final de 2017.

Tudo acertado, locais de pouso reservados, aportei à linda cidade de Jacutinga/MG numa terça-feira à tarde e, como sempre faço, me hospedei no Hotel Gandhi, onde havia feito reserva.

Lá, por R$70,00, pude dispor de um excelente quarto individual, limpo e agradável.

Aproveitei a ocasião para ali mesmo adquirir minha credencial peregrina, passaporte obrigatório para aqueles que desejam receber seu Diploma no final do trajeto.

À noite, como de praxe, estivemos eu e o Vinícius na casa do Polly que, mais uma vez, nos recebeu carinhosamente, com direito a café, bolo, cerveja, etc.

Ali passamos momentos agradáveis, de muita alegria e descontração, relembrando com saudades outros encontros.

Uma ótima ocasião para rever os amigos, saber das novidades, cotejar experiências e combinar projetos futuros.

Abaixo, algumas fotos dessa sadia e festiva confraternização:


Na casa do Polly: Com ele e o Vinícius.


Com os fundadores do Caminho da Prece: Polly Ferreira e Ely Prado.


Com o Ely Prado, o Benedito (irmão do Polly) e o Vinícius. Momentos de muita alegria!


1º dia: JACUTINGA/MG a INCONFIDENTES/MG – 39 quilômetros 

Desafios tornam a vida interessante e superá-los é o que traduz uma vida significativa.” 


Defronte ao "Marco Zero" do Caminho da Prece. Partindo para a aventura!

Estávamos em pleno mês de dezembro, tempo firme, com previsão de sol ardente brilhando num céu azul e sem nuvens, a partir das 9 horas.

Assim, como forma de agilizar e tornar mais agradável nosso deslocamento, deixamos o local de pernoite às 4 horas, depois de ingerir um profícuo café da manhã que o Márcio, o porteiro noturno, gentilmente nos preparou.

Nossa caminhada foi tranquila, plena de bons momentos, com trânsito por locais ermos, silenciosos e verdejantes.

Durante o trajeto, fizemos duas pausas para descanso e hidratação: uma no bairro Peitudos e outra no bairro Ponte Preta.

Ainda, e como de costume, efetuamos paradas obrigatórias para refletir e orar em 3 cruzeiros que estão fincados ao longo desse percurso.

E, sem maiores intercorrências, aportamos em Inconfidentes/MG, mais especificamente, no bar do Maurão, após 7 h 25 min de “viagem”.

À tarde, após uma revigorante soneca, tive tempo para visitar a igreja matriz da cidade, cujo padroeiro é São Geraldo Majela.

Depois, fui conhecer a Pousada Santa Varanda, cuja proprietária, Dona Luzia, me recebeu com extrema simpatia, bem como me mostrou, detalhadamente, suas instalações, limpas e perfeitamente adequadas a receber grupos de peregrinos.

Posteriormente, no bar do Maurão, tive o prazer de rever e abraçar meu Xará, o Oswaldo Francisco|Bueno, amigo de coração, com quem me confraternizei e dei muitas rizadas, face seu estilo boquirroto e jovial de passar novidades.

ALGUMAS FOTOS DO PERCURSO DESSE DIA:


O dia amanhecendo...


Primeiro cruzeiro do Caminho da Prece.


 
Igrejinha de São Francisco.


O bairro de Peitudos aparece à frente.


Igrejinha do bairro de Peitudos, cujo padroeiro é São Sebastião.


Caminho plano, arejado e com entorno verdejante.


Segundo cruzeiro do Caminho da Prece.


Pausa para descanso no bairro Ponte Preta (Ouro Fino/MG).


Caminho sem sombras, mas com paisagens imorredouras.


Nesse trecho, o Vinícius segue animado à minha frente...


Terceiro cruzeiro do Caminho da Prece.


Igreja matriz de Inconfidentes/MG.


No bar do Maurão, festejando com meu Xará!


Xará, Vinícius, Maurão e eu. Momentos de grande festa, para recordar sempre!


RESUMO DO DIA:

Tempo gasto, computado desde o prédio do SEDECON, em Jacutinga/MG, até a Pousada Martinelli, localizada em Inconfidentes/MG: 7 h 30 min.

Clima: nublado de manhã, ensolarado, após as 9 horas, com temperatura variando entre 17 e 27 graus.

Pernoite na Pousada Martinelli – Apartamento individual excelente – Preço: R$60,00

Almoço no Restaurante Martinelli - Excelente! – Preço: R$34,90 o Kg, no sistema self-service.


2º dia: INCONFIDENTES/MG a BORDA DA MATA/MG – 32 quilômetros 

Querido Deus, quero tomar um minuto não para pedir qualquer coisa, mas, simplesmente, para dizer obrigado por tudo de bom que tenho.” 


Cruzeiro de Pedra. Momento de oração e agradecimento!

Seria outra jornada de grande superação, além do que pretendíamos retornar às nossas cidades de origem naquele mesmo dia.

Assim, partimos às 4 h, depois de ingerir o farto café da manhã que, gentilmente, o proprietário da pousada deixou-nos preparado na noite anterior.

O primeiro grande desafio dessa etapa está no topo do morro Monjolinho, situado a quase 1100 m de altitude, onde se encontra fincado o 4º Cruzeiro da Prece.

Ali chegamos após uma hora de caminhada, com tempo para orações, fotos e, ainda, depositar as pedrinhas que levávamos em nossas mochilas para tal finalidade.

O trajeto sequente nos levou a perpassar pelo bairro Boa Vista da Adelaide, depois, pela Venda da Ziza, etc..

Com o sol crestando forte e o calor em ebulição, fizemos algumas pausas para fotos, hidratação e ingestão de frutas e carboidratos.

Efetivamente, por obrigações pré-agendadas, tínhamos horários a honrar naquela data e, por conta disso, implementamos um ritmo constante na jornada.

Isto, no entanto, não impediu nossa admiração pela paisagem circundante, o que propiciou várias pausas contemplativas, bem como outras para fotos e comentários.

Bem ainda, para oração e reflexão diante do 5º e 6º Cruzeiros da Prece, que encontramos no trajeto derradeiro.

Nesse pique, sem maiores intercorrências físicas, às 10 h 30 m nos perfilamos diante do Marco Zero do Caminho da Prece, localizado na praça fronteiriça à Basílica de Borda da Mata, para uma foto histórica.

Depois, adentramos ao templo para orações e preces de agradecimento.

Em seguida, seguimos até o Hotel San Diego, para um revigorante banho e a necessária troca de indumentária.

Na sequência, descendemos até o Restaurante Sal e Pimenta, onde um merecido almoço nos esperava, regado a uma boa cerveja gelada.

E, logo depois, para honrar compromissos inadiáveis, embarcamos num ônibus de regresso às nossas residências.

ALGUMAS FOTOS DO PERCURSO DESSE DIA:


Descendendo em direção a Venda da Ziza.


Mais um dia amanhecendo...


Quinto cruzeiro do Caminho da Prece.


Reflexão perfeita. Abaixo, a Fazenda Jerusalém.


Paisagem espetacular!


Sexto cruzeiro, localizado a 1.101 m de altitude, o ponto mais alto do Caminho da Prece.


Igrejinha do bairro Moji.


Chegada ao "Marco Zero" do Caminho da Prece, localizado defronte à igreja matriz de Borda da Mata/MG.


Final de mais um Caminho da Prece! Deus e Nossa Senhora do Carmo sejam louvados!


RESUMO DO DIA:

Tempo gasto, computado desde a Pousada Martinelli, em Inconfidentes/MG, até o Hotel San Diego, localizado em Borda da Mata/MG: 6 h 45 min.

Clima: Nublado até as 8 h, depois ensolarado e fresco, com temperatura variando entre 17 e 25 graus.

Pernoite/Banho no Hotel San Diego – Apartamento individual excelente – Preço: R$60,00

Almoço no Restaurante Sal e Pimenta -Excelente! Recomendo! – Preço: R$14,00, pode-se comer à vontade no sistema self-service.


Meu 8º Certificado do Caminho da Prece (MG), que guardo com muito orgulho e carinho!


FINAL 

Ao sair para caminhar em um dia agradável e aspirar ao ar livre, sinto que todas as minhas preocupações se esvai.” 


Mais um dia amanhecendo na trilha...

Quando os jornalistas entrevistam caminhantes em algum roteiro religioso, a pergunta é sempre a mesma: quais as razões que os motivam a peregrinar?

Na verdade, não existe uma resposta uniforme para tal indagação.

Porquanto, o impulso que leva alguém a se locomover em direção a um local sacro é equivalente ao número de peregrinos no percurso.

Visto que, alguns caminham por diversão, outros por esporte, ou, ainda, por motivos religiosos ou espiritual, após a perda de um ente querido, para agradecer algo especial ou uma graça recebida, após uma mudança de vida, ou, simplesmente, porque se sentem felizes numa trilha.

Em termos quantitativos, poucos são os que andejam, exclusivamente, por penitência ou, ainda, para quitar alguma promessa.

Mas existem outras motivações: algumas pessoas, a pé ou de bicicleta, percorrem um caminho exclusivamente pelo desafio de fazê-lo, outros, porque é a moda naquele momento.

Alguns mais, para agradar o cônjuge, que deseja caminhar, ou um amigo, ou mesmo um grupo, que pretende realizar um significativo evento espiritual. 


Caminho da Prece e paisagens imorredouras...!! Tudo a ver!

Existem pessoas que, numa encruzilhada de suas vidas, fazem um caminho na esperança de “se reencontrar” interiormente.

Há peregrinos que transbordam de expectativas sobre um trajeto, mas ficam decepcionados com o que encontram.

Outros têm ideias pré-concebidas em fazer um caminho, de uma forma “autêntica”, presumivelmente, à maneira do romeiro penitente: sem dinheiro e contando com a ajuda que outras pessoas lhes ofertarão durante a viagem.

Muitos, no entanto, já estiveram num caminho e gostaram tanto, que regressam para matar saudades.

Possivelmente, foi este o meu caso, posto que considero o Caminho da Prece um roteiro mágico e imperdível, assim, sempre que houver possibilidade, eu retornarei. 


Com meus "Irmãos de Fé": Ely Prado e Polly Ferreira.

Nesse sentido, quero deixar consignado aqui efusivos agradecimentos aos meus preclaros “Irmãos de Fé”, Polly Ferreira e Ely Prado, valorosos guerreiros que tanto lutaram e fizeram para que o Caminho da Prece se transformasse, também, num Caminho Sagrado, ícone de peregrinações brasileiras. 


Meu valoroso "Companheiro de Viagem". Gratidão, Vinícius, pela força e parceria!

Por derradeiro um “obrigado” especial ao meu “Companheiro de Viagem”, o Vinícius Souza, a quem agradeço pelos momentos inesquecíveis de labuta na senda e convivência diária.

Já que ele, com sua força física, garra, bom-humor, parceria e extrema dedicação religiosa, concorreu, decisivamente, para que nossa jornada fosse coroada de êxito.


Bom Caminho a todos! 

Dezembro/2018