Home‎ > ‎Caminho de Aparecida II‎ > ‎

1ª Etapa: ALFENAS ao BAIRRO MATÃO (ALFENAS) – 21 quilômetros


1ª Etapa: ALFENAS ao BAIRRO MATÃO (ALFENAS) – 21 quilômetros



Eu levantei bem cedo, tomei meu desjejum, depois, juntamente com a Alessandra, aguardamos a chegada do Rodrigo que, pontualmente, às 6 h 30 min, passou com seu veículo para nos dar uma carona.

Vinte minutos depois, estávamos no Portal do Caminho, localizado diante da igreja de São Francisco de Assis, no bairro Pinheirinho, que está 4 quilômetros distante do centro de Alfenas.

O Rodrigo prontamente nos devolveu as mochilas e respectivos cajados, e além de conversarmos sobre o trajeto do dia, pudemos registrar algumas fotos daquele breve, mas inesquecível momento.

Depois de fraternais despedidas, principiamos a caminhar em direção ao centro da cidade, e não encontramos dificuldades, porque a sinalização se mostrou novamente excelente.



Embora o clima estivesse bastante frio, o céu se encontrava límpido e a metereologia prometia muito calor para aquele dia, após as 11 horas.

Assim, animados, estugamos nossos passos em direção ao nosso objetivo do dia: o albergue do Bairro Matão (Alfenas).


Km 00,0 – Portal do Caminho – Bairro Pinheirinho, em Alfenas/MG.


Km 00,0 – Portal do Caminho – Bairro Pinheirinho, em Alfenas/MG. Muita emoção no momento da partida!


Km 03,0 – Igreja de Nossa Senhora Aparecida, zona central de Alfenas/MG.


Km 05,0 – A cidade de Alfenas vai ficando na saudade, enquanto transitamos pelos seus derradeiros bairros periféricos.


Km 08,0 – Início do tão sonhado trecho em terra.


Km 08,5 – Caminho em descenso, sem sombras, e com ampla vista do entorno.


Km 09,0 – Estrada ainda em descenso, situada em meio a grandes fazendas de criação de gado.


Km 11,0 – Nesse trecho, o caminho é ladeado por um renque de palmeiras imperiais.


Km 12,0 – Início do trecho em asfalto, pela rodovia BR-491.


Km 15,0 – Caminho plano e sombreado. A Alessandra caminha bem longe, à minha frente.


Km 16,0 – Nesse trecho, o caminho atravessa em meio a uma grande plantação de pés de cafés.


Km 17,0 – Nesse ponto, a Alessandra fez uma pausa para descanso e eu prossegui em frente.


Km 17,5 – Um trecho arborizado, belo e bastante solitário. 


Km 18,0 - Nesse trecho, o caminho é estupendamente arborizado, o que serviu para amenizar os efeitos do sol forte.


Km 19,0 – Um dos locais mais belos desse derradeiro tramo.


Km 19,5 – Principiando a ascender em direção ao Bairro Matão.


Km 20,0 – Trecho em ascenso, sem sombras e com muita poeira.


Km 21,0 – Transitando pelo Bairro Matão, junto à Capela de São Geraldo.


Vista de um dos braços da represa de Alfenas, quase integralmente seco, desde o Bairro Matão.


Interior do albergue do Bairro Matão, onde fiquei hospedado.


Com o amigo Tarciso e Dona Duína, no Bairro Matão.


Um amigo peregrino, com a Alessandra, na casa de Dona Duína e Sr. Fernando, no Bairro Matão.


RESUMO DO DIA: Tempo gasto: 5 h – Clima: frio e ensolarado, com temperatura variando entre 10 e 21 graus.

Pernoite no albergue existente no Bairro Matão: bastante simples, faltando ainda alguns ajustes, mas o local é extremamente acolhedor – A Alessandra ficou hospedada num dos quartos existentes no interior da residência de Dona Duína - Preço: R$50,00 - incluindo o café da manhã e as duas refeições: almoço e jantar.

IMPRESSÃO PESSOAL: Uma jornada de pequena extensão, fácil e agradável. O ponto negativo se situa no trecho em asfalto, através da rodovia BR-491, porquanto a mesma não possui acostamento e, embora esse percurso seja de apenas dois quilômetros, conta com um trânsito expressivo de veículos. Afora o trajeto pela cidade de Alfenas e por seus bairros periféricos, todo o restante do roteiro discorre por locais arejados e de excelsa beleza, pois a natureza nesse entorno está perfeitamente preservada. O acolhimento no Bairro Matão ainda está, de forma geral, um tanto precário, contudo o calor humano ali exalado pela Dona Duína e o Sr. Fernando, compensa toda a rusticidade do pernoite.


2ª Etapa: BAIRRO MATÃO (ALFENAS) à GUAIAPAVA (PARAGUAÇU) – 28 quilômetros 

VOLTAR‎