Home‎ > ‎Caminho de Inverno‎ > ‎

HISTÓRIA


HISTÓRIA DO CAMINHO DE INVERNO




O Caminho de Inverno é a rota jacobeia que une Ponferrada a Santiago de Compostela pelo vale do rio Sil, através do qual cruza ou rodeia a serra oriental galega, por cotas mais baixas que o Caminho Francês.

Daí a origem de seu nome, pois além desse caminho ter sido utilizado, historicamente, por legiões romanas, arrieiros medievais e pelas tropas napoleônicas, também servia de passagem aos peregrinos em épocas invernais, que objetivavam evitar as nevascas de O Cebreiro, habituais nos meses mais frios, e pelos frequentes transbordamentos do rios que compõem o vale de Valcárce.

Com 270 quilômetros de traçado, esse roteiro se apresenta como uma grande alternativa ao Caminho Francês, ainda que sua extensão seja, aproximadamente, 60 quilômetros maior.

E, desde sua bifurcação em Ponferrada, seu traçado não volta a confluir com o itinerário Francês, apenas, entronca-se em Lalin-A Laxe, com a Variante Sanabresa da Via de La Plata.

O Caminho de Inverno cruza quatro comarcas e territórios de caráter singular: a comarca de El Bierzo (em León), a comarca de Valdeorras (na Galícia, província de Ourense), a zona da Ribeira Sacra (compreende as ribeiras do rio Sil e do Minho, nas províncias de Ourense e Lugo), e a comarca de Deza (província de Pontevedra).

Assim, a curiosidade é que esse Caminho resulta ser a única rota jacobeia que transcorre, em algum momento, pelas quatro províncias galegas, pelo qual se qualifica – num bom slogan – como “O mais Galego de todos os Caminhos”.

Ademais, além de seu passado milenar, ele é também uma rota de grande futuro, porque apresenta fatores chaves, como sua proximidade de Santiago (desde Ponferrada podemos chegar a Compostela em apenas 9 jornadas), a crescente massificação dos outros caminhos, assim como os atrativos paisagísticos e culturais que oferece.

O número de peregrinos que elege esse caminho, aumenta ano após ano, sobretudo, por aqueles que já realizaram o Caminho Francês e querem cambiar de paisagens, ou senderistas que desejam evitar o bulício das rotas mais concorridas.

Assim, apesar de se tratar de um caminho ainda minoritário, é bastante comum encontrar outros peregrinos nesse roteiro.

Fonte: www.gronze.com


Passeando por Ponferrada, descontraidamente, na véspera de iniciar o Caminho de Inverno.


MAIS INFORMAÇÕES SOBRE ESSE CAMINHO


A bonita localidade templária de Ponferrada é o ponto de partida do “Camiño de Invierno”, que discorre pelo vale do rio Sil, como entrada natural à Galicia ao longo dos séculos.

Uma rota formosa, plena de natureza e paisagens atrativas, que evita a escalada de O Cebreiro, dura e quase inacessível durante os meses de inverno.

Este trajeto surgiu através de uma antiga via romana, como alternativa histórica para adentrar às terras galegas de uma maneira mais exequível.

Trata-se de uma boa opção em época de chuvas e neve, até porque, cada vez mais os peregrinos a percorrem durante a primavera e o verão, por sua frondosa vegetação e verdes paisagens.

O Caminho de Inverno está menos concorrido que outros itinerários, o que garante uma marcha mais solitária e tranquila.

Além disso, ele conta com boa sinalização e uma excelente rede de albergues e alojamentos nas localidades onde as etapas se encerram.

Tirante a Comarca de Bierzo, ele é o único Caminho de Santiago que discorre pelas quatro províncias galegas, entrando em Ourense por Valdeorras, passando ao sul de Lugo e depois por Pontevedra e A Coruña.

O terreno que ele cruza é o seu maior trunfo: caminhar pelo Patrimônio da Humanidade de Las Médulas, serpentear os cânions do rio Sil e ascender ao Alto do Faro, são experiências únicas para um peregrino.


Castelo Templário, existente em Ponferrada, "ponto Zero" do Caminho de Inverno.


Diante do Castelo Templário, em Ponferrada, na véspera de iniciar o Caminho de Inverno. Muita expectativa e animação!