Home‎ > ‎Caminho de Nhá Chica‎ > ‎

A HISTÓRIA DE NHÁ CHICA


MINHA VIAGEM

Na manhã gelada de uma segunda-feira de julho, eu tomei um ônibus da Viação Gardênia em direção à cidade de Ouro Fino/MG, já minha velha conhecida de outras paragens pelo Caminho da Fé.

Depois, outro coletivo me conduziu à cidade de Inconfidentes/MG onde, de pronto, reencontrei a peregrina Sônia, amiga de longa data, com quem dividiria a trilha desta vez.

Rapidamente, nos dirigimos à Pousada Martinelli, onde havíamos feito reserva.

Ali, por R$60,00, eu pude dispor de um excelente quarto individual, limpo e espaçoso.

Mais tarde, após as providências rotineiras de caminhantes contumazes, fomos visitar e orar na igreja matriz da cidade, cujo padroeiro é São Geraldo Majela.

Depois, como não poderia ser diferente, adentramos ao bar do Maurão, “casa” referencial dos peregrinos em Inconfidentes.


A igreja matriz de Inconfidentes/MG, que eu não canso de fotografar.

Ali, além de adquirirmos nossa Credencial Peregrina, pudemos confraternizar com o Eraldo José Sarapu, o fundador do Caminho de Nhá Chica, bem como abraçar e interagir com o Oswaldo “Xará” e o Maurão, amigos de longa data, cuja amizade eu prezo demais.

No local também se faziam presentes outros peregrinos do Caminho da Fé, com quem logo fizemos contato.

Desnecessário dizer que apesar do frio reinante e estarmos, apenas, no início da semana, algumas garrafas da decantada cerveja “Peregrina” foram consumidas.


A "turma" reunida: Sônia, Maurão, Eraldo, Oswaldinho e eu.

Nesse intermeio tive a oportunidade de ouvir, ainda que rapidamente, a versão do Eraldo sobre a “iluminação” que lhe invadiu antes da criação desse novel roteiro, cujo história conto abaixo.

Depois de fraternais despedidas, a Sônia e eu, logo nos recolhemos, integralmente, focados na peregrinação que encetaríamos no dia sequente.

Antes de me deitar, no entanto, pedi proteção a Beata Nhá Chica através da seguinte oração:

Deus, nosso Pai, vos revelais as riquezas de vosso Reino aos pobres e simples. Assim agraciastes vossa serva Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica, com inúmeros dons: fé profunda, amor ao próximo e grande sabedoria. Amou a Igreja e manteve uma terna devoção à Imaculada Conceição. Por sua intercessão, concedei-nos a graça de que precisamos….. E dai-nos a alegria de vê-la elevada à honra dos altares. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém!


A HISTÓRIA DESSE CAMINHO, contada pelo ERALDO JOSÉ SARAPU

A devoção a Nhá Chica em Minas Gerais é um fato inconteste e em algumas localidades tal fervor chega a emocionar.

Tanto isto é verdade que uma comunidade de pessoas residentes no bairro dos Romas, em Inconfidentes, como forma de distinção a Beata, mandou erigir uma singela capelinha em sua homenagem.

Nela, anualmente, sempre no dia 14 de junho, data em que se comemora a festa litúrgica de Nhá Chica, é realizada uma missa.

Contou-me o Eraldo José Sarapu, o criador do Caminho de Nhá Chica, no interior do bar do Maurão, que na celebração de 2018, ele foi invadido por uma centelha divina, talvez, uma espécie de epifania, surgindo daí a inspiração de criar um Caminho, unindo aquele singelo templo ao Santuário da Imaculada Conceição de Nhá Chica, em Baependi/MG.


Com o Eraldo, o genial criador do Caminho de Nhá Chica.

Tal “revelação” permaneceu latente em sua memória a lhe atazanar, de forma que 15 dias depois ele deu conhecimento a alguns amigos de sua ideia, logo apoiada por todos.

Teve início, então, a fase de pesquisas, levantamentos topográficos, mensurações quilométricas, identificação de locais para pernoite dos peregrinos, enfim, lentamente, o trajeto foi tomando forma, culminando com sua definição, demarcação e sinalização em maio de 2019, evento em que contou com o auxílio de vários voluntários.

Nesse interregno, foram muitas as viagens, reuniões com as prefeituras das cidades que fazem parte do percurso e, principalmente, o envolvimento das comunidades por onde discorre esse itinerário.

Finalmente, a coroar tão árduo esforço, o Caminho de Nhã Chica foi solenemente inaugurado em 14/06/2019 e no dia seguinte teve início a “Caminhada Inaugural” nesse traçado, com 13 peregrinos, que culminou, 10 dias depois, com a feliz chegada do grupo ao Santuário de Nhá Chica, em Baependi/MG.

Os "pioneiros" que “batizaram” esse Roteiro foram: 01- ERALDO, 02- ZÉ RICARDO, 03- ZÉ VALMEI, 04- OSWALDINHO, 05- ILSON, 06- SÔNIA, 01, 07- SÔNIA LIGABON, 08- IVAIR, 09- ROGÉRIO, 10- JOAQUIM, 11- PERDIZ, 12- JEANETE e 13- SOTELLO.

Impossível não demonstrar ao Eraldo minha emotividade, admiração e veneração por tão nobre gesto: o da criação desse fantástico roteiro religioso que eu iniciaria no dia sequente.


A HISTÓRIA DE NHÁ CHICA

Atualmente, a cidade de Baependi tem atraído muitos peregrinos ao Santuário de Nossa Senhora da Conceição, mais conhecido como Igreja de Nhá Chica, considerada um patrimônio espiritual da cidade.

A religiosidade tem destaque, dando foco a Francisca de Paula de Jesus, carinhosamente chamada de NHÁ CHICA, filha de mãe escrava e, supostamente, senhor branco.

Perdeu sua mãe aos dez anos de idade, e teve que enfrentar a vida junto com seu irmão de 12 anos, sob os cuidados de Nossa Senhora.

Era analfabeta, não aprendeu a ler e escrever, e das escrituras sagradas ela só conheceu, porque alguém ia ler para ela e, mesmo assim, ela detinha grande sabedoria.


A  Bem-aventurada Beata.

Nunca se casou, e dedicou sua vida integralmente aos pobres, dando conselhos a todas as pessoas que a procuravam.

Comerciantes e homens de negócios iam conversar com ela e ouvir seus conselhos, sendo que muitos a consideravam uma santa e não tomavam decisões sem antes consultá-la.

Nhá Chica era uma senhora que tinha dons de clarividência, a quem muitos iam pedir orientações, porém ela não se considerava santificada, dizia que apenas rezava com muita fé.

Falecida em 1895, aos 87 anos de idade, sua beatificação aconteceu no dia 4 de maio de 2013, em Baependi, numa cerimônia presidida pelo prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, o cardeal Ângelo Amato, representante da Santa Sé, que anunciou a data de 14 de junho como a festa litúrgica em memória de Nhá Chica.

Desta forma, Nhá Chica se tornou a primeira leiga e negra brasileira a ser declarada beata pela Igreja Católica.


Inaugurado em Inconfidentes o ‘Caminho de Nhá Chica’

Fonte: https://terradomandu.com.br (edição de 15/06/2019)


Os admiradores e devotos da beata Nhá Chica passam a contar com uma rota de peregrinação com trajeto de 250 quilômetros, passando por 14 cidades do Sul de Minas. O ‘Caminho de Nhá Chica’ foi inaugurado neste sábado (15). O ponto de partida fica na zona rural de Inconfidentes, conhecida como a Capital Nacional do Crochê. O destino é o Santuário da Imaculada Conceição de Nhá Chica, em Baependi.

A inauguração faz parte das homenagens do aniversário de 124 anos da morte de Nhá Chica, celebrado ontem (14/06). Ao amanhecer deste sábado, o grupo formado por 13 romeiros se reuniu para uma celebração na capela Nhá Chica, no bairro dos Romas, zona rural de Inconfidentes. Serão oito dias percorrendo, pela primeira vez, a rota traçada em homenagem à Beata. “Esperamos que as pessoas possam usufruir desse caminho como forma de desenvolver a espiritualidade. É também um trabalho para desenvolver o turismo religioso”, conta Eraldo Sarapu, um dos idealizadores da rota.

Trajeto - Quem se aventurar a percorrer o Caminho de Nhá Chica poderá entrar em contato com as paisagens de 14 municípios do Sul de Minas, pertencentes à Arquidiocese de Pouso Alegre e à Diocese da Campanha, que integram a rota: Inconfidentes, Borda da Mata, Congonhal, Espírito Santo do Dourado, Silvianópolis, Careaçu, Heliodora, Natércia, Conceição das Pedras, Cristina, Carmo de Minas, Soledade de Minas, Caxambu e Baependi.

O caminho foi demarcado com placas de sinalização, assim como foi feita parceria com as pousadas que estão no caminho que poderá ser percorrido a pé ou de bicicleta.


A capelinha de Nhá Chica, situada no bairro dos Romas, em Inconfidentes/MG.

Logo após a beatificação de Nhá Chica, em 2013, surgiu a ideia de construir uma capela em honra à Beata, em Inconfidentes. A homenagem se materializou em julho de 2017, no Bairro Romas, zona rural do município. Não por acaso, a capela foi erguida no quilômetro 230 do Caminho da Fé, rota religiosa que inspirou os criadores do trajeto que homenageia a santa de Baependi.

A construção resultou de um mutirão da família “Roma”, esforço que deu forma a uma arquitetura rústica, pensada assim para reproduzir a antigas casas de Minas Gerais. No dia 20 de julho de 2017, a capela recebeu as bênçãos do pároco de Inconfidentes, padre Antônio Brentegani. A época, o religioso ressaltou a simplicidade de Nhá Chica e a nova possibilidade aberta aos peregrinos com a construção da capela: “Aqui os peregrinos vão rezar e conhecer melhor a vida e as virtudes desta mulher simples”, considerou.

Hoje, a capela é um ponto importante de oração e apoio aos peregrinos do Caminho da Fé.

Mas a devoção por Nhá Chica levou os fiéis a projetarem um novo passo. Durante a primeira missa na capela, em 2018, surgiu a ideia de criar o trajeto religioso dedicado a ela. Desde então, o grupo se organizou em Inconfidentes para concretizar o projeto, o que finalmente aconteceu neste mês de junho.

Turismo de Fé - De acordo com a Associação dos Amigos do Caminho da Fé, somente em 2018, 10 mil peregrinos passaram por Inconfidentes, com destino ao Santuário de Nossa Senhora Aparecida, no Estado de São Paulo. Esses grupos ajudam a movimentar pousadas, restaurantes, usando as estruturas do Município e comércio local, o que movimenta a economia da cidade.

“Além de reforçar a fé, esses grupos contribuem muito para a economia do Município, pois dormem na cidade, ficam em nossas pousadas, jantam em nossos restaurantes e compram em nosso comércio. Também são divulgadores do nosso Município, levando o nome de Inconfidentes por meio dos registros fotográficos e imagens que ficam em suas memórias, seja pelas belas paisagens ou pelos atrativos turísticos, como nossas árvores de crochê”, destacou a chefe do Setor de Cultura e Turismo, Camila Ferreira.

Fonte: https://terradomandu.com.br (edição de 15/06/2019)