Home‎ > ‎Caminho de Santa Paulina‎ > ‎

A HISTÓRIA DESSE ANTIGO CAMINHO


SOBRE O CAMINHO

Quantas provas de amor nos dá o Senhor; sinto-me como no céu de contentamento.” (Santa Paulina)




O Caminho de Santa Paulina é resultado de um projeto idealizado pelo historiador Isaque de Borba Correa, o agente de turismo Marco Vilarinho (Badeco) e o consultor turístico Marcos Vinicios Pagelkopf.

O lançamento oficial do percurso ocorreu oficialmente em 2017 e contou com uma cerimônia e o envio de um grupo de 12 pessoas que fizeram o trajeto no mês de maio.

O caminho reconstitui o trajeto realizado por Santa Paulina durante sua passagem por Camboriú, em uma Festa do Divino, no final do século 19, e contempla paisagens em meio à Mata Atlântica e o contato com a natureza.

Para guiar os peregrinos, o caminho conta placas de sinalização instaladas e custeadas pela Prefeitura de Nova Trento, que é parceira do projeto idealizado pela Associação Caminho de Santa Paulina, de Camboriú, que também conta com o apoio da Prefeitura de Camboriú.

De acordo o agente de turismo Marco Vilarinho, o Badeco, aproximadamente 100 pessoas já fizeram o Caminho de Santa Paulina, porém, nem todas efetivaram a inscrição e, assim, não receberam o diploma.

Ele destaca que os idealizadores do projeto estão abertos à colaboração, novos apoios e patrocínio para o melhoramento do roteiro.

Os interessados em realizar o caminho, devem efetuar a inscrição através do site: www.madrepaulina.com, endereço criado pela Associação que mantém o projeto.

No site estarão contidas informações que orientarão o peregrino sobre como proceder.

Mais informações também podem ser obtidas através do telefone: (47) 9 9286 4962.

Fonte: www.olhovivocan.com.br


A Casa Paroquial, situada em Camboriú/SP, onde Santa Paulina pernoitou em 1899, local de início do "Amabilíssimo".

Caminho de Santa Paulina - Amabilíssimo

Caminho de Santa Paulina é um perfeito caminho ecológico, com trilhas que seguem, exclusivamente, pelo interior da exuberante mata atlântica.

São ao todo, desde a Casa Pastoral de Camboriú, onde a Santa ficou hospedada, até a Igreja onde está o Santuário da Santa Madre Paulina, em Nova Trento, 60 quilômetros, divididos da seguinte forma:

Um pequeno trecho urbano, que vai do centro de Camboriú, até atingir a área rural da cidade.

Depois, o Caminho segue todo o seu percurso, 100% em área rural, sendo que dois trechos, um na chegada e outro no fim, são, integralmente, dentro da mata atlântica.

Caminha-se por trechos de comunidades rurais agrícolas, onde o peregrino, além de contemplar paisagens esplendorosas, terá oportunidade de fazer colheita com agricultores, em tempos de frutificação de algumas variedades.

São comunidades rurais que no passado se dedicavam à plantação do fumo.

Contudo, abandonaram tal atividade e agora se dedicam ao cultivo de frutas.

Por fim, o trecho dos vinhedos, onde os mais antigos e tradicionais colonos de Nova Trento de dedicam à vinicultura.

Amabilíssimo abrange os seguintes municípios: Camboriú, Tijucas, Canelinha e Nova Trento.

Fonte: https://turismo.novatrento.sc.gov.br


Visitando a praça central de Camboriú/SC, na véspera de iniciar o Caminho de Santa Paulina.


A HISTÓRIA DESSE ANTIGO CAMINHO

A Peregrinação pelo Caminho de Santa Paulina passa por uma estrada muito antiga, do início do Séc XIX, construída por antigos colonizadores de uma colônia fracassada na cidade de Porto Belo, denominada Colônia Nova Ericeira.

Com o naufrágio desse projeto de colonização, os assentados marcharam para o interior do município, atualmente, conhecido como a cidade de Tijucas.

De Tijucas foram rumando para o norte, em direção a Itajaí, cortando a cidade de Camboriú até a Foz do Rio Itajaí Mirim, naquele que, inicialmente, foi chamado de “Caminho do Meio”.

Este, foi a primeira ligação entre Tijucas a Itajaí, passando pelo interior de Camboriú, até a inauguração da Estrada do Encano, em 25 de julho de 1920.

O trajeto que tem como ponto de partida Nova Trento, passa pelas localidades hoje conhecidas como São João Batista, Canelinha e Tijucas, formando o percurso que Santa Madre Paulina (a primeira santa canonizada brasileira) realizou em 1899, para ir inaugurar a igreja matriz de Camboriú.

O belo trajeto tem uma boa parte pelo interior da Mata Atlântica e conta com cenários belíssimos para se contemplar, em meio à cachoeiras, pássaros e pequenos animais silvestres, transitando por comunidades de imigração europeia, caracterizadas pelo sotaque forte e suas comidas tradicionais.

Também, por antigos plantadores de fumo, que ainda mantém na paisagem suas estufas de outrora, sendo que, algumas, restauradas, atualmente, servem de pousadas/hospedagens.

Locais bucólicos, com plantações belíssimas, pastagens e bicas de água no decorrer do percurso, tornam esse roteiro atrativo, cultural e espiritual.

Por fim, passaremos pela casa do sobrinho de Santa Paulina, o Sr. Nono Atílio Visenteinner, produtor de um saudável e delicioso vinho artesanal, que você levará em suas lembranças, após percorrer o Caminho de Santa Paulina.

Nosso destino final será o Santuário de Santa Paulina, aonde, o peregrino receberá o Certificado de Conclusão do percurso e, dependendo do horário, será agraciado com a “Benção do Peregrino”, ao final da santa missa.

Fonte: www.casadeaventura.com.br/peregrinacao