Home‎ > ‎Caminho Pro Interior - SP‎ > ‎

2º dia: DISTRITO DE MOSTARDAS (MONTE ALEGRE DO SUL/SP) a SERRA NEGRA/SP - 25 QUILÔMETROS


2º dia: DISTRITO DE MOSTARDAS (MONTE ALEGRE DO SUL/SP) a SERRA NEGRA/SP - 25 QUILÔMETROS 




Nesse dia eu teria a especial companhia do meu “irmão” peregrino Vinícius e, conforme o combinado, às 4 h 30 min ele apareceu na porta do hotel onde eu estava hospedado.

Então, adentramos num táxi que, 30 minutos mais tarde nos deixou defronte à Capela da Exaltação à Santa Cruz, localizada no distrito de Mostardas, cuja sede é Monte Alegre do Sul, onde eu havia encerrado a primeira etapa no dia anterior.

Após os acertos monetários consentâneos, nos cumprimentamos, desejamos, mutuamente, um Bom Caminho e, com o dia claro, encetamos a nossa jornada.

Inicialmente, ultrapassamos o rio Camanducaia por uma ponte, depois, fletimos à esquerda e acessamos uma larga estrada de terra, por onde prosseguimos alegres e em alto astral.

Esse percurso inicial, extremamente arborizado, perpassa entre inúmeras e bem cuidadas chácaras, por onde seguimos animados ouvindo o som do rio fluindo pelo nosso lado esquerdo.

Depois de percorrermos um pequeno trecho sobre asfalto, pela rodovia que provém de Socorro, adentramos à direita e prosseguimos por uma estrada larga e arborizada, nominada por alguns turistas como “Caminho da Felicidade”, tamanha sua beleza e frescosidade.

Percorridos 7 quilômetros, fizemos uma pausa diante da Fonte da Índia Obirici, para fotos e hidratação.

Diz uma lenda que: Desditosa no seu grande amor, Obirici suplicou aos céus que perpetuassem na terra a memória da sua dor. Condoído, Tupã deu à humanidade o bálsamo das lágrimas e do pranto que, pela primeira vez, brotou dos olhos de Obirici. Originaram-se as fontes cristalinas e murmurantes...

Dizem, ainda, que se você encontrar as imagens de sete passarinhos nos azulejos ali desenhados, seu maior desejo será realizado, porém, embora eu observasse tudo na maior concentração e paciência, só visualizei quatro aves.

Prosseguindo, logo transitamos pela seleta Vila Girardelli, depois, numa padaria fizemos uma pausa para ingestão de um saudável copo de café acompanhado de um pão com manteiga ("pão na graxa", como disse seu proprietário).

Na sequência, por uma ponte pênsil, ultrapassamos o rio Camanducaia, depois fizemos outra pausa para fotos diante da igreja matriz de Monte Alegre do Sul, cujo padroeiro é o Bom Jesus.

Uma placa fincada no local nos avisava que até ali eu já caminhara 35.800 metros. 

Algumas fotos desse trecho:


Capela localizada no bairro Mostardas: início de nossa jornada nesse dia.


Trecho inicial muito bem sinalizado, como em todo o percurso.


Trecho fabuloso e hidratado, situado em meio à frodosa mata nativa.


Meu parceiro Vinícius segue animado à minha frente.


A famosa Fonte da Índia.


O trecho matoso prossegue...


Trânsito pelo seleto bairro Girardelli.


A belíssima igreja matriz de Monte Alegre do Sul/SP.

A Estância Hidromineral de Monte Alegre do Sul, localizada no Vale do Camanducaia, está a aproximadamente 145 km de distância de São Paulo. O acesso à cidade pode ser feito pelas rodovias Fernão Dias, Anhanguera, Bandeirantes e D. Pedro.

Em todo o município, é possível admirar montanhas ricas em fauna e flora, além de curtir o voo de garças e tucanos.

Monte Alegre do Sul é banhada por vários ribeirões e córregos que fluem em terras montanhosas, embelezando ainda mais a bucólica paisagem natural. A típica cidade do interior possui apenas 8 mil habitantes, a maioria de descendência italiana. E a colonização deixou como herança as principais atrações da cidade: construções coloniais do século 19 e inúmeros alambiques.

O Santuário do Senhor Bom Jesus, inaugurado em 1919, é o único da região. O destaque é a sua beleza arquitetônica, em contraste com o morro do Cristo ao fundo. O interior do Santuário é todo ornamentado por belíssimas pinturas do renomado artista italiano D. Rocco e os altares são feitos em mármore esculpido.


Local famoso na cidade...

Com muitos rios e riachos, a cidade é um verdadeiro festival de pequenas cachoeiras, como a do Falcão, com quedas de aproximadamente dez metros, localizada na estrada que liga Monte Alegre do Sul ao distrito de Mostardas. A cachoeira das Mostardas, embrenhada em um vale que mais parece uma pintura, é outra atração e reserva quedas naturais de mais ou menos cinco metros, proporcionando banhos deliciosos.

A cidade possui mais de 50 alambiques que produzem pinga e vinho artesanalmente, além de licores. Quem gosta da arte e aprecia uma boa cachaça não pode deixar de conhecê-los. Outra atração imperdível é o Mirante do Cruzeiro. O trajeto, que pode ser percorrido de automóvel, é formado por 14 estações que simbolizam a Via Crucis, tendo início logo atrás do Santuário do Senhor Bom Jesus. Durante a noite, a imagem do Cristo iluminada parece estar flutuando.


Placa dos 35.800 m percorridos.

Após uma pausa para fotos e hidratação. nós seguimos adiante e, 500 m à frente, numa bifurcação, fletimos à direita, acessamos a rua da Juventude e, de imediato, passamos a caminhar numa larga e ascendente estrada de terra, ladeados por pequenas chácaras e imensos cafezais.

Percorridos 13.500 m e obedecendo à sinalização em outra bifurcação, fletimos à esquerda e prosseguimos em forte ascenso, que logo acima, nos propiciou passar diante da capela de Santa Luzia, situada num local fresco e sereno, junto a uma fonte de água cristalina, onde dessedentamos à vontade.

Prosseguindo, logo alcançamos o topo do morro, situado a 1111 m de altitude, de onde detínhamos ampla vista de toda a região, inclusive, olhando em frente, pudemos observar outro morro, nominado Serrinha, que ainda iríamos sobrelevar.

O descenso pelo lado oposto, após transitar pelo interior de belíssimo trecho de mata nativa, se revelou um exuberante passeio pela natureza, integralmente preservada nesse fresquíssimo vale.

Em seguida, novamente, pelo interior de outo nicho de mata, enfrentamos o derradeiro aclive do dia que, no seu cume, nos levou a transitar a 1135 m de altitude, o ponto de maior altimetria dessa etapa, localizado diante da Adega Colonial.

Já em franco descenso, logo passamos diante do famoso Hotel Fazenda São Mateus, depois, mais abaixo, adentramos em zona urbana.

E, caminhando sobre piso asfáltico, aportamos diante da bela igreja matriz de Serra Negra, dedicada a Nossa Senhora do Rosário, nossa meta na jornada.

Algumas fotos do percurso desse trecho derradeiro: 


Após passar por Monte Alegre do Sul, de volta aos verdes campos..


Placa motivacional...


A Capela de Santa Luzia, localizada no alto do morro.


Uma autêntica cobra "sucuri", que encontramos viva na estrada...


Divisa de Municípios...


Em frente e ao longe, o morro da Serrinha, por onde iríamos transitar na sequência.


Placa reflexiva... céu azul.,. somente agradecer!


Outro fresco trecho de mata nativa que desfrutamos no percurso.


Em descenso, em direção a verde vale, pleno de cafezais.


Passagem diante da Adega Colonial, situada no ponto de maior altimetria dessa etapa.


A belíssima igreja matriz de Serra Negra/SP.


O interior da belíssima igreja matriz de Serra Negra/SP.

A Estância Hidromineral de Serra Negra apresenta o turismo tradicional, de compras, de eventos e rural. Seu agradável clima de montanha, aliado às fontes de águas minerais com poderes terapêuticos e sua rica beleza natural, tornaram-lhe conhecida como "Cidade da Saúde".

Na Estância o turista poderá realizar passeios turísticos tradicionais, seja pelo teleférico que leva ao Monumento do Cristo Redentor, nos trenzinhos que realizam o city tour pela Estância, em fontes diversas ou por belas praças. O contato direto com a natureza se completa com uma visita ao Balneário Municipal, que oferece banhos de imersão, pérola, turbilhão, saunas seca e úmida, duchas e massagens revigorantes.

O comércio local apresenta grande variedade de produtos em lã, linha, couro, artefatos de madeira e laticínios. O turismo rural oferece a possibilidade de visitação em propriedades que desenvolvem desde o plantio de café e cultivo de produtos orgânicos à fabricação de queijos e vinhos. A vida noturna também se destaca com bares e restaurantes atrativos e animadas casas noturnas. Para bem recepcionar o turista, a cidade conta com uma ampla estrutura hoteleira e excelente serviço de hospedagem, que pode ser comprovado através de luxuosos hotéis, como também junto ao ambiente familiar e informal dos hotéis fazenda.

Para a realização dos mais diversos tipos de eventos, Serra Negra mantém em constante atividade o Centro de Convenções Circuito das Águas, o maior complexo para sediar eventos da região. Sua estrutura física compreende três auditórios que totalizam 1400 lugares e mais três salas de apoio. A área de exposições coberta inclui amplo saguão de 4 mil m² que se soma à área externa de 3.640 m² e ao pátio de 4 mil m². O complexo conta com amplo estacionamento, restaurante e lanchonete, ambulatório, telefones públicos e acesso para deficientes.

Localizada ao norte do Estado de São Paulo, numa região de 927 m de altitude, com picos de até 1.300 m, e rodeada por montanhas da Serra da Mantiqueira, Serra Negra possui um ambiente seguro e agradável.

População: Aproximadamente, 30 mil habitantes


Em animada conversa com o famoso humorista Ronald Golias, imortalizado na cidade.

RESUMO DO DIA - Tempo gasto, computado desde a Capela da Exaltação à Santa Cruz, localizada no distrito de Mostardas, cuja sede é a cidade de Monte Alegre do Sul/SP, até a igreja matriz de Nossa Senhora do Rosário, situada em Serra Negra/SP: 5 h.

Clima: Nublado, depois ensolarado, variando a temperatura entre 18 e 27 graus.

Pernoite: Hotel Pousada Aconchego de Amparo/SP: Apartamento individual excelente - Preço: R$ 115,00.

Almoço: Restaurante Ponto 8: Excelente! – Preço: R$48.90 o kg no sistema self-service.


Placa informativa dos 49.900 m percorridos, localizada na praça central de Serra Negra/SP.

AVALIAÇÃO PESSOAL: Uma etapa de média extensão e com razoáveis dificuldades altimétricas, mormente pelos dois ascensos a serem superados, logo após a passagem pela cidade de Monte Alegre do Sul. A se destacar que, praticamente, afora os locais massivamente urbanizados, o traçado contempla estradas de terra perfeitamente transitáveis, onde a tônica são os imensos cafezais e as bem cuidadas chácaras e fazendas. De se ressair o trânsito que envidamos por locais de excelsa beleza, que nos proporcionaram magníficas vistas de longínquos horizontes. No global, um trajeto empolgante e um tanto exigente, mas que vencemos com pertinácia e sem maiores adversidades físicas.