Home‎ > ‎Caminho Pro Interior - SP‎ > ‎

APRESENTAÇÃO DESSE CAMINHO


APRESENTAÇÃO DESSE CAMINHO




Pode parecer a escolha mais louca no caos de tudo o que está se desdobrando em nosso planeta agora.

Pode ser bastante desafiador dar o primeiro passo em outra direção neste mundo onde tudo se resume à mera sobrevivência: trabalho, competição por trabalho, dinheiro, mais dinheiro, poder, medo de perder.

Quando estamos viciados demais neste círculo é hora de levantar a cabeça, abrir o olhos, os ouvidos, o coração e a alma.

Deixar tudo aquilo que apenas nos deixa na mão e caminhar em OUTRA DIREÇÃO, nenhuma daquelas que percorremos no dia a dia, nenhuma daquelas que tentamos fazer em menos tempo possível, nenhuma daquelas que nos levam apenas à lugar nenhum.

É chegada a hora de perceber que em vez de irmos mais longe devemos chegar mais perto, reconectarmos com aquele que ainda habita nosso ser, NÓS MESMOS.

O Caminho Pro Interior deve ser desbravado com coragem e determinação, paciência e atenção.

São 18 cidades e 04 distritos, mais de 400 km, aqui tem chão suficiente para que qualquer um de nós, através das belezas naturais e história que remonta séculos, chegue ao seu destino e se encontre lá.

Bem Vindo! Boa caminhada!

Fonte: www.caminhoprointerior.com.br


A primeira placa desse Caminho que avistei, localizada ao lado da Catedral de Amparo/SP, próxima do "Marco Zero" desse roteiro.


Interior de São Paulo e Sul de Minas ganham um caminho para peregrinações 

(Publicado no site www.circuitodenoticias.com.br/, em 11/10/2019) 

Uma nova Rota Turística e de Peregrinação, com cerca de 400 quilômetros que une as nove cidades do Circuito das Águas Paulista e mais nove cidades da região, sendo três do Sul Minas Gerais.

Idealizado pela amparense Kate Jeremias, o Caminho pro Interior, tomou forma com a ajuda de mais quatro mulheres também obstinadas: Laura Umbelina Santi, Roseli G. C. Vasco de Toledo, Silvana Ismael Guarizzo e Viviana da Silveira Bueno. Inspirado no Caminho de Santiago de Compostela, Francês/Espanhol, e também nos Caminhos da Fé e da Luz, Brasileiros, ele foi criado para dar ênfase e mostrar as belezas das 18 cidades que o compõe: Amparo, Mostardas (distrito), Monte Alegre do Sul, Serra Negra, Lindoia, Águas de Lindoia, Monte Sião/MG, Bueno Brandão/MG, Munhoz/MG, Socorro, Pedra Bela, Pinhalzinho, Tuiuti, Morungaba, Distritos de Sousas e Joaquim Egídio (Campinas), Pedreira, Jaguariúna, Holambra, Santo Antonio de Posse e Arcadas (distrito), retornando a Amparo.

A construção do itinerário do Caminho pro Interior privilegiou as estradas rurais, mas, destaca o Prefeito de Monte Alegre do Sul, Edson Rodrigo de Oliveira Cunha, “também traz o turista para dentro da área urbana, pois prevê que cada marco oficial do caminho fique ao lado da principal igreja da cidade”.

A atuação do Consórcio das Cidades que formam o Circuito das Águas Paulista, sob a Presidência do Prefeito da cidade de Socorro contribuiu para que o Caminho pro Interior saísse do campo das ideias e tomasse forma, viabilizando a sinalização e o estímulo inicial que a Associação Amigos do Caminho pro Interior precisava.

“O Caminho pro Interior vai permitir que cada cidade crie produtos turísticos e de lazer próprios ou em parceria com outras cidades, produzindo eventos dos mais diversos tipos, caminhadas, corridas rurais, passeios fotográficos e tantos outros” é a expectativa do diretor de Cultura, Esportes e Turismo de Monte Alegre do Sul, Antonio Henrique Corsi.

O Prefeito da cidade de Amparo, Luiz Oscar Vitale Jacob afirma que “é um privilégio a cidade de Amparo ser a sede do Caminho pro Interior, um roteiro circular que não leva o peregrino ou o turista para longe, pelo contrário, concentra as pessoas em torno das cidades da nossa região. Ele começa e termina em Amparo”. 


A bela cidade de Amparo/SP, vista desde o morro onde se encontra o monumento do Cristo Redentor.

A inauguração do 1º trecho de 49,9 quilômetros do Caminho pro Interior será no sábado, 26/10, 6 horas da manhã, da praça Monsenhor João Batista Lisboa, 175, junto a Catedral Nossa Senhora do Amparo, Centro da Cidade de Amparo, com duração de dois dias, visitando o Distrito de Mostardas, Monte Alegre do Sul e terminando em Serra Negra.

Para Kate Jeremias, presidente da Associação Amigos do Caminho pro Interior, que já fez o Caminho da Fé e o da Luz, completa “o Caminho pro Interior permite vivenciar uma experiência em contato com a natureza da Serra da Mantiqueira, conhecendo estradas rurais, em sua grande maioria não asfaltada, um verdadeiro convite para a contemplação, a reflexão, o autoconhecimento e a reconexão com o outro e consigo mesmo – o que importa é o caminho, nem tanto a chegada, é a sua transformação pessoal”.

A Associação Amigos do Caminho pro Interior estimula a todos para cuidar da natureza, desenvolver atividades físicas, esportivas, ecológicas e de aventura, quer caminhando, praticando passeios de bicicleta, a cavalo ou mesmo de forma motorizada, mas tem que ter atenção com a sinalização para não se perder, ter cuidado com os animais e com as pessoas que moram na área rural, todo mundo merece respeito, e sempre se pode fazer novas amizades.

“Vejo o Caminho pro Interior como uma oportunidade que o comércio, os restaurantes e os hotéis de toda a nossa região não podem perder, pois no médio e longo prazo teremos mais turistas e novas necessidades a atender. Sem falar que outros negócios podem ser abertos ou ampliados para atender esse novo público” é a visão do Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico da cidade de Amparo, Vicente Mário Martini Auler.

Qualquer pessoa, famílias ou grupos dispostos a vivenciar uma experiência em contato com a natureza podem participar do Caminho pro Interior, o importante é preparar-se física e psicologicamente. Uma vez inscrito nos eventos organizados você pode contar com serviços que facilitam as atividades. Afinal todo mundo merece tranquilidade e segurança em seus momentos de lazer e diversão.

Fonte: https://www.circuitodenoticias.com.br/noticia/10409/interior-de-sao-paulo-e-sul-de-minas-ganham-um-caminho-para-peregrinacoes 


A belíssima Catedral de Amparo/SP.


A CIDADE DE AMPARO/SP


No início do século XIX, famílias de Atibaia, Bragança e Nazaré fixaram-se num bairro chamado Camanducaia, na região do Sertão de Bragança, possivelmente atraídos pela fertilidade das terras da região.

Por volta de 1824, os moradores do retiro, com autorização do vigário capitular, constroem uma capela dedicada a Nossa Senhora do Amparo, que acabaria por dar nome à cidade.

Em 8 de abril de 1829, o bairro da capela de Nossa Senhora do Amparo ganha a condição de capela curada, data que é oficialmente considerada a fundação de Amparo. Com o crescimento dos anos seguintes, o aglomerado é elevado a condição de freguesia (1839).

1850 marca o início das lavouras de café, ciclo que impulsionaria a elevação da vila Nossa Senhora do Amparo à categoria de cidade em 1863.

Quando da sagração da Igreja Matriz no ano de 1878, foi entronizada a imagem de Nossa Senhora do Amparo, trazida da cidade portuguesa do Porto, sob o patronato da Baronesa de Campinas, Da. Anna Cintra.

Nas décadas seguintes, a cidade prosperou com o café, ganhou serviço de correios, inaugurou um jornal ("Tribuna Amparense"), iluminação com lampiões a querosene e a Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, para escoar sua crescente produção de cafeeira rumo ao porto de Santos.


Monumento ao Cristo Redentor, em Amparo/SP.

Em 1878, Amparo recebeu a visita de Dom Pedro II, que é hospedado pelo Barão de Campinas, cidade já considerada a maior produtora de café do Brasil Império.

Durante os anos 20, a então Igreja Matriz, agora Catedral Nossa Senhora do Amparo, consoante projeto do engenheiro civil amparense Dr. Amador Cintra do Prado, neto do Barão de Campinas, foi radicalmente reformada, tendo suas paredes reforçadas e suas torres finalizadas.

Tal projeção manteve-se até a segunda década do século XX, quando então a grave crise do café (1929) trouxe crise e estagnação econômica à cidade. E foi neste mesmo ano que o Secretário de Justiça do Estado de São Paulo, Artur Piqueroby de Aguiar Whitaker, em discurso, designou a cidade como a "Flor da Montanha".

Somente a partir de 1940, a estagnação econômica provocada pela crise do café começou a se reverter, com o surgimento, ainda tímido, da atividade industrial.

Amparo é um dos 11 municípios paulistas considerados estâncias hidrominerais pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de Estância Hidromineral, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

População atual: 70 mil pessoas – Altitude: 674 m.

Fonte: Wikipédia.


À noite, em Amparo, confraternizando com o Vinícius, meu companheiro de caminhadas.