Home‎ > ‎Crer / MG - 3ª Parte‎ > ‎

02º dia: SÃO SEBASTIÃO DA VITÓRIA a CAPELA DO SACO – 26 quilômetros


02º dia: SÃO SEBASTIÃO DA VITÓRIA a CAPELA DO SACO – 26 quilômetros

Há sempre um abraço nos esperando ao final do caminho. De alguém, de algo, de um ente querido, de uma alma, de Deus. Chegamos sempre até um abraço.




Saída às 5 h 30 min, depois de ingerir frutas e uma barra de chocolate, porquanto o café da manhã ofertado pela pousada somente seria servido depois das 7 h.

Por sorte, na passagem pelo centro de São Sebastião, eu encontrei uma padaria aberta e nela pude ingerir um café supimpa, acompanhado de pães de queijo.

Nessa etapa, o percurso do CRER e o da Estrada Real são coincidentes.

O trajeto é de média extensão, e mescla grandes retões com algumas subidas/descidas fortes.

Quase no final da jornada, a visão da Represa dos Camargos se mostra como um lindo atrativo, já que ela é avistada a uns 5 quilômetros antes da chegada.

Infelizmente, a balsa que fazia a travessia de veículos e pedestres estava inoperante a mais de 8 meses, de forma que atravessei a represa num barco que faz tal serviço, onde paguei R$5,00 a passagem.

Na Pousada Reis, onde me hospedei, tive o prazer de compartilhar o espaço com um grupo de ciclistas mineiros e paulistas, com o qual fiz amizade e confraternizei, intensamente, antes do jantar.

Outro destaque em Capela do Saco é o bar do Pinguinha, visita obrigatória, local onde seu simpático proprietário acolhe com muito carinho e atenção os turistas e peregrinos.

Algumas fotos do percurso desse dia:


Muita  nebulosidade nesse dia.


Apesar do frio reinante, seguimos firmes na trilha.


Trilha úmida, cerração intensa...


A nebulosidade prossegue...


Em campo aberto...


Descendendo. No horizonte, ainda há nebulosidade.


A estrada serpenteia nesse trecho, depois, mais abaixo, segue à esquerda.


Primeira visão da belíssima Represa dos Camargos.


A Represa dos Camargos, mais próxima..


A capelinha de Nossa Senhora Aparecida, em Caquende/MG.

Capela de Nossa Senhora do Porto do Saco, distrito de Carrancas tem esse nome em razão dos primeiros colonizadores terem construído por volta de 1700, uma capela próximo a uma grande curva do Rio Grande que forma um verdadeiro "saco".

A data de inauguração da Capela de N S da Conceição é 1712, a mando de Júlia Maria da Caridade, uma das três irmãs “ilhoas''*.

Dona Júlia era proprietária da antiga Fazenda do Saco e devota de Nossa Senhora da Conceição, e há quem diga que a construção da capela tenha sido motivada pela aparição de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição nas margens do rio Grande.

A capela fica no distrito de Porto do Saco, que já foi importante canal comercial de São João Del Rei antes da ferrovia.

Após 1879, as terras foram doadas à própria capela e às pessoas que desejassem formar um povoado em torno dela.


Bar do Pinguinha, na Capela do Saco, com o próprio. Local imperdível!

Hoje em dia é possível visitar a pequena capela branca, de janelas azuis, e imaginar os costumes do passado ao conversar com os moradores mais antigos, uma verdadeira aula de história.

Esta capela está tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, IEPHA/MG, e é considerada o primeiro patrimônio municipal de Carrancas.

O distrito está a cerca de 30 quilômetros de distância de sua sede e é banhado pelo rio Grande, um dos principais cursos d'água de Minas Gerais, hoje represado em um lago chamado Represa dos Camargos.

Devido a isso, atrai muitos visitantes nos finais de semana para a prática de esportes ou simplesmente relaxarem em suas águas.

*As três Ilhoas: A história das "Três Ilhoas" fala sobre três irmãs naturais da Ilha do Faial, Açores, que vieram para Minas na primeira metade do século XVIII. Vem delas a origem de famílias tradicionais do sul de Minas, como os Rezende, Carvalho, Ribeiro, Andrade, Junqueira, Ferreira, Guimarães, entre outras.

Fonte: http://www.carrancas.com.br/


Confraternição com os ciclistas da Estrada Real, na Pousada Reis. em Capela do Saco.

RESUMO DO DIA:

Tempo gasto, computado desde a Pousada Nova Vitória, em São Sebastião da Vitória/MG, até a Pousada Reis, em Capela do Saco/MG: 6 h;

Clima: frio e nublado de manhã; depois das 9 horas, calor e sol forte até o final da jornada.

Pernoite na Pousada Reis: Apartamento individual: Excelente – Preço: R$60,00.

Almoço no Restaurante da Pousada Reis: Excelente – Preço: R$25,00.


AVALIAÇÃO PESSOAL – Uma etapa de média extensão, sem grandes variações altimétricas e extremamente bela. Nela transitei por locais ermos, silenciosos e com exuberante vegetação. Nesse trajeto, além de pastagens e gado leiteiro, também encontrei imensas plantações de café e milho. No derradeiro trecho da jornada, o cenário se expandiu e caminhei por locais sem sombra, sob um sol candente. No global, um percurso fácil, pleno de muito verde e belas paisagens, mormente quando se avista a Represa dos Camargos.