Home‎ > ‎Crer / MG - 3ª Parte‎ > ‎

07º dia: CAXAMBU/MG a SÃO LOURENÇO/MG – 29 quilômetros


07º dia: CAXAMBU/MG a SÃO LOURENÇO/MG – 29 quilômetros

Você pode viajar milhões de quilômetros em uma única vida sem nunca arranhar a superfície dos lugares, nem aprender qualquer coisa sobre os que vivem ali. O sentido da viagem é parar e ouvir todo mundo que tem uma história para contar.” (Pino Cacucci)




Os roteiros do CRER e da ER são coincidentes nessa etapa, por onde também transcorre o Caminho dos Anjos, assim, há flechas amarelas em toda a extensão do trajeto.

Saída às 5 h 30 min, algo desapontado, porque apesar do atendente que me recepcionou na Pousada garantir que o porteiro noturno coaria um café para mim, este alegou que não lhe fora passada tal incumbência.

Assim, apesar do frio, parti sem ingerir nada quente, apenas uma banana, acompanhada de uma barra de cereal.

Eu já havia caminhado nesse percurso em duas oportunidades anteriores, de forma que conhecia de sobejo esse trecho.

No início encontrei bastante nebulosidade, o que concorreu para que meu deslocamento fosse extremamente agradável.

Os primeiros 19 quilômetros são tranquilos, por estradas de terra praticamente toda plana.

O trecho derradeiro, após a passagem diante do Hotel Fazenda Vista Alegre é composto de ascensos e declives acentuados, que venci já sob sol forte.

Os derradeiros 3 quilômetros são trilhados por bairros periféricos onde o lixo, cachorros, motos e veículos disputam espaço com o peregrino, porquanto, praticamente, não existe calçada em toda essa extensão.

À tarde fiz agradável visita do Parque Balneário da cidade, bem como pude conhecer e fotografar a belíssima e rica igreja matriz de São Lourenço.

Mais tarde, quando do meu retorno ao hotel, tive o prazer de receber a visita do amigo e ciclista Hugo Motta, que reside e trabalha nessa cidade, o atual mantenedor do Caminho dos Anjos, de quem matei saudades e travei proveitosa conversa sobre “Caminhos e peregrinos...”

Algumas fotos do percurso desse dia:


Muita neblina de manhã.


Trajeto belíssimo e ermo.


P
Paisagens de encher os olhos..


Caminhando em trecho aberto e com sol.


Transitando pelo bairro de Mato Dentro.


Do lado esquerdo, paisagens que mais parecem um cartão-postal.


Entrada para o Hotel Fazenda Vista Alegre.


Visitando o Parque das Águas de São Lourenço/MG.

O Parque das Águas de São Lourenço está localizado no coração da cidade e compreende mais de 400.000 metros de áreas verdes, com lindas paisagens, jardins e gramados, sendo um dos mais belos parques da América Latina.

No Parque I estão as diversas fontes de água mineral, o balneário, lojas, restaurante, lanchonete e um imenso lago.

No embarcadouro há pedalinhos, caiaques e barcos a remo, que servem para divertir e são também um meio de praticar exercícios.

No meio do lago há uma pequena ilha, onde se pode ir a bordo de barcos e pedalinhos, um lugar agradável e encantador, povoado por pássaros exóticos como tucanos, pavões, araras e uma família de capivaras.

Ao cair da tarde, chegam as garças, que fazem da ilha o seu berçário.

Parque das Águas de São Lourenço/MG.

Às margens do lago, está o Balneário, uma bela construção, que dispõe de duchas, saunas, massagens, banhos de espuma, banhos de sais e tratamentos estéticos.

No parque há fontes de água gasosa, água ferruginosa, água magnesiana, água bicarbonata mista, água sulfurosa e água alcalina, que são indicadas para auxiliar no tratamento de diversas disfunções e doenças.

Cada fonte tem um nome: Fonte Oriente, Fonte Andrade Figueira, Fonte Primavera I, Fonte Primavera II, Fonte Alcalina, Fonte Jaime Sotto Mayor, Fonte José C. Andrade, Fonte Parque II.

Cada tipo de água tem uma função terapêutica e o uso mais apropriado é feito sob orientação de médicos especializados, e a de maior destaque é a Vicky, que tem um tipo de água só encontrada em dois lugares no mundo: na França e em São Lourenço.


Interior da belíssima igreja matriz de São Lourenço/MG.

As alamedas oferecem um passeio tranquilo junto à natureza, e nas diversas lojas do parque podem ser encontradas lembrancinhas de viagem como também mel, própolis, malhas, livros etc.

Nas galerias pode-se admirar ou adquirir obras de artistas locais, mas, para quem quiser rezar, há a Ermida do Bom Jesus do Monte, construída em 1892, que faz parte dos monumentos históricos da cidade, ou a Gruta Nossa Senhora dos Remédios.



Com meu grande amigo Hugo Motta, em São Lourenço/MG. Gratidão por sua atenção, amizade e pelo nosso reencontro!

AVALIAÇÃO PESSOAL – Uma jornada de razoável extensão, com uma conclusão decepcionante. Na verdade, o roteiro entre Caxambu e o Hotel Fazenda Vista Alegre, um percurso de 19 quilômetros, é de excepcional beleza. Porém, o trecho final é difícil e inseguro, mormente o terrível trânsito pelos bairros periféricos de São Lourenço. Um trajeto de 3 quilômetros, por locais que não oferece beleza e nada acrescenta ao fatigado caminhante. Diria mesmo, que o ideal seria aportar à cidade pela rodovia ou, até, via táxi, pois esse derradeiro “tramo” não recomendo a ninguém, porquanto é tenso, estressante e arriscado.


RESUMO DO DIA:

Tempo gasto, computado desde a Pousada Águas de Caxambu, em Caxambu/MG, até o Hotel Imperial, em São Lourenço/MG: 6 h 10 min.

Clima: Fresco e nublado no início, depois, com sol ameno até o final da jornada.

Pernoite no Hotel Imperial: Apartamento individual – Razoável! – Preço: R$100,00 (mês de julho).

Almoço no Restaurante e Pizzaria La Bellas: Espetacular! Um dos melhores de todo o Caminho! – Preço: R$19,00, pode-se comer à vontade no self-service.