Home‎ > ‎Partidas de Xadrez‎ > ‎

A PROSTITUTA DO REI


A PROSTITUTA DO REI

Entusiastas do tabuleiro. Vamos ver hoje uma das lutas mais originais e surpreendentes da história do xadrez. 
É que nesta partida sem igual o comandante em chefe do exército branco (o rei das brancas) não tem pudor nem decência e sacrifica até mesmo sua mulher (a dama branca) a fim de ganhar, de qualquer forma, a batalha contra as forças negras.
Ofuscado por este objetivo e sem escrúpulos, trata sua distinta e esplendorosa esposa como se fosse uma "mulherzinha vulgar", uma ninfomaníaca descarada, e a entrega sem descanso, uma e outra vez, a seus inimigos. Estes, transtornados diante de tal esquisito e saboroso manjar servido em bandeja de prata, estão loucos por degustá-la, por comê-la, porém lutam encarniçadamente contra seus instintos primários e não ousam tocá-la, já que sabem que isso seria utilizado pelo poderoso rei inimigo como justificativa para arrasar e devastar seu frágil reino.
Porém, a prostituta forçada segue oferecendo-se, uma e outra vez, segue entregando-se sem constrangimentos, e sabe que cedo ou tarde fará estragos entre as viris filas inimigas. Será uma batalha impudica, conhecida pela historia como "a legendária e desavergonhada vitória da prostituta do rei".


Adams  x  Carlos Torre  -  
Nueva Orleans, 1920

[Richard Guerrero]

1.e4 e5 2.Cf3 d6 3.d4 exd4 4.Dxd4
Mais freqüente é 4.Cxd4.
4...Cc6 5.Bb5
A abertura, que começou sendo uma Defesa Philidor, se converteu, por transposição de jogadas, na antiga Defesa Steinitz da Abertura Espanhola.
5...Bd7 6.Bxc6 Bxc6 7.Cc3 Cf6 8.O-O Be7 9.Cd5 Bxd5?!
Uma jogada que não parece muito recomendável. A coluna "e" ficará agora aberta e as brancas poderão aproveitá-la para aumentar a pressão com suas torres. Parece melhor manter "a tensão" com 9...O-O.
10.exd5 O-O 11.Bg5 c6 12.c4?
Omitindo um simples contragolpe táctico. O correto era 12.dxc6! bxc6 13.c4! seguido de Tfe1 e Tad1, com forte pressão sobre o centro negro. As brancas teriam assim uma clara vantagem posicional.
12...cxd5?!
Igualava rapidamente 12...Cxd5! 13.cxd5
(13.Bxe7 Cxe7) 13...Bxg5 14.Cxg5
(14.dxc6 Bf6!) 14...Dxg5 15.dxc6 bxc6 16.Dxd6 Db5.
13.cxd5 Te8 14.Tfe1 a5?!
Uma jogada desnecessária e debilitadora. Observe-se o quanto se tornou incômoda a posição negra após a tomada da coluna "e" pela torre branca. Resulta evidente que não é possível a "desejável" 14...Bf8? por 15.Txe8 Dxe8 16.Bxf6. As negras deveriam jogar aqui 14...h6! dando uma casa de fuga para o rei negro por "h7", o que teria evitado a insólita situação que se dará na partida.
15.Te2!
Preparando-se para dobrar as torres na melhor coluna.
15...Tc8?
Toma a coluna "c" aberta. Entretanto, veremos que isso não vai ter grande futuro... Era a última oportunidade para jogar 15...h6!
16.Tae1!
A vantagem posicional branca já é esmagadora. O cavalo, o bispo e a torre do rei das negras não podem mover-se, enquanto que a dama não pode abandonar a defesa do bispo. Além disso, existe a ameaça 17 Bxf6! que forçaria a responder com 17...gxf6 para não perder material, o que debilitaria mais ainda a triste posição negra. Um panorama desolador...
16...Dd7
Já é muito tarde para a jogada 16...h6 por 17.Bxf6! gxf6
(17...Bxf6 18.Txe8+) 18.Dg4+ Rh7 19.Dh5! Rg7 20.Cd4! com ataque decisivo.
17.Bxf6!
As brancas se dispõem agora a explorar maravilhosamente a debilidade da primeira fila das negras.
17...Bxf6
Claro está que 17...gxf6 era a crônica de uma morte anunciada, porém talvez tivesse sido uma morte menos dolorosa, mais vulgar. Em troca, com a resposta da partida, isto vai se converter em um fenomenal espetáculo, em um circo, em um autêntico festival para o desfrute de toda a família! 
Cinco anos depois, em 1925, Carlos Torre imortalizaria o ex-campeão mundial Emanuel Lasker com sua famosa combinação do moinho, porém agora vai ser o gênio mexicano quem vai ficar imortalizado...
18.Dg4!
Começa a festa! A dama branca vai começar a entregar-se uma e outra vez!
18...Db5
Forçada! A única casa disponível para manter defendida a torre de "e8"! Note-se que, devido à debilidade da última fila, a dama branca não pode ser capturada. Se agora 18...Dxg4 19.Txe8+ Txe8 20.Txe8#. E caso se tente defender a dama negra com 18...Ted8 ganha de imediato 19.Dxd7 Txd7 20.Te8+ Txe8 21.Txe8#.
19.Dc4!!
Continua o show! Parece que as negras podem realizar agora numerosas capturas, porém, em realidade, não podem capturar nada. Ao contrário... São elas que estão gravemente ameaçadas de captura!
19...Dd7
De novo, forçada! Se por exemplo 19...Txe2 20.Dxc8+! seguido de mate.
20.Dc7!!



Uma situação realmente incrível! A dama branca persegue sem descanso as peças inimigas entregando-se continuamente em plano kamikaze!
20...Db5
Não há alternativa!
21.a4!
Não se podia deixar-se levar pela emoção e seguir impulsivamente com 21.Dxb7?? pois as brancas receberiam um jarro de água fria após 21...Dxe2!
(21...Dxb7?? 22.Txe8+) 22.Txe2
(22.Dxc8 Dxe1+ 23.Cxe1 Txc8 ganhando.) 22...Tc1+ E são as negras que dão mate!
21...Dxa4
Agora, em compensação, 21...Dxe2 seria contestada com 22.Txe2! E nenhuma das duas torres negras podem capturar!
22.Te4!
Prosseguem as acrobacias sem rede! O negro continua sem poder capturar nada e, pouco a pouco, sua dama vai ficando sem casas...
22...Db5
Novamente única! Se 22...Tf8 23.Dxc8! E se 22...Dxe4 23.Txe4!
23.Dxb7!!
A dama se entrega pela última vez e força a captura de sua homóloga negra, que já não tem nenhuma casa de escape! Uma perseguição fantástica!
1-0

Partida no visor

Fonte: http://www.torre21.com/