Home‎ > ‎Partidas de Xadrez‎ > ‎

PARTIDA COMENTADA


PARTIDA COMENTADA

Capablanca, José Raul (CUB)  x  Steiner, Herman (USA)  -  Los Angeles, 1933.


José Raúl Capablanca y Graupera , enxadrista cubano detentor do título de campeão do mundo entre 1921 e 1927. 
Capablanca ainda é considerado como um dos melhores jogadores de todos os tempos, especialmente conhecido pela sua rapidez de julgamento, isenção de erros, grande qualidade nos finais e estilo posicional. 
Em toda a sua carreira, Capablanca sofreu menos de cinquenta derrotas em jogos oficiais, conseguindo ainda o feito de estar invicto durante oito anos consecutivos, de 1916 a 1923, inclusive, uma série de 63 jogos sem perder incluindo a vitória no campeonato do mundo. 
Vamos à partida:

Partida no visor

1. e2-e4

Será este um bom lance na abertura? Vamos ver:

a) Ao avançar da casa e2 para a casa e4, o Peão do Rei, duas diagonais são abertas: uma para a saída do Bispo do Rei e a outra para a Dama. Logo, este é um lance de desenvolvimento.

b) Após o avanço, o Peão situa-se numa casa central e domina uma delas. Logo, é um lance de ação central.

A resposta afirmativa às duas perguntas sobre um lance de abertura (É um lance de desenvolvimento? É um lance de ação central) indica que este deve ser um lance indicado na abertura. Este lance não é de ataque nem de defesa, é considerado um lance neutro.

1 ... e7-e5

Os objetivos das Negras são os mesmos.

2. Cg1-f3

É lance de desenvolvimento. Observe que o Cavalo, em sua casa inicial dominava três casas: e2, f3 e h3. Com este lance, ele passa a dominar oito casas: g1, e1, d2, d4, e5, g5, h2 e h4

É lance de ação central, pois das oito casas dominadas, duas delas são centrais (d4 e e5).

É lance de ataque, pois ameaça o Peão negro de e5.

Nota: as casas f3, c3, f6 e c6 são as melhores casas para os Cavalos quando iniciamos a partida com o peão do rei. Observe que nas casas e2 ou h3 o seu raio de ação seria menor e no segundo caso, sequer teria ação central.

Após o lance realizado pelas brancas, o jogador com as peças negras tem um problema para resolver: como defender o Peão posicionado na casa e5 que está sendo atacado?

Vamos analisar as possibilidades:

a) 2 ... f7-f6

Apesar de defender o Peão, este lance não é recomendável, pois priva o Cavalo do Rei de sua melhor casa, ou seja, onde ele dominaria oito casas, sendo duas delas centrais. Além disso, enfraqueceria um futuro roque pequeno, pois desestabilizaria a barreira de Peões do roque (abre a diagonal a2-g8 por onde poderia atuar o Bispo ou a Dama brancos). Sua ação central também não seria muito efetiva, pois apenas defenderia o Peão atacado. O avanço deste peão, também, limitaria a possível saída da Dama negra via diagonal d8-h4.

Nota: Se as Negras realizarem este lance, uma possível linha seria: 2 ... f6 3 Cxe5! fxe5 4 Dh5+ g6 5 Dxe5+, seguido de 6 Dxh8, ganhando material.

b) 2 ... d7-d6

Defende o Peão, permite a saída do Bispo da Dama através da diagonal c8-h3, mas limita a ação do Bispo do Rei na diagonal f8-a3 e tem pouca ação central. Por isto não é considerado uma boa defesa

c) 2 ... Dd8-e7

Além de não exercer ação central efetiva, também impede a saída do Bispo do Rei.

d) 2 ... Dd8-f6

Se posiciona na melhor casa do Cavalo e se expõe, após o avanço do Peão da Dama branco, ao ataque de Bispo em g5. Sua ação central é muito pequena. Por estes motivos não é uma defesa recomendada.

e) 2 ... Bf8-d6

Bloqueia o avanço do Peão da Dama das negras e, conseqüentemente, impede o desenvolvimento do Bispo da Dama negro.

f) 2 ... Cb8-c6

Defende o Peão do Rei atacado, exerce ação central (casas e5 e d4), é lance de desenvolvimento (amplia o raio de ação do Cavalo de 3 casas iniciais para 8 casas) e não impede a saída de nenhuma de suas peças. É sem dúvidas a melhor opção. Assim sendo:

2 ... Cb8-c6

Confira no diagrama ao lado a posição após: 2...Cb8-c6

3. Cb1-c3

Em sua casa inicial este cavalo dominava apenas 3 casas (a3, c3, d2), com este lance passou a dominar 8 casas (b1, d1, e2, e4, d5, b5, a4, a2), logo é um lance de desenvolvimento. Das oito casas que passou a dominar, 2 delas são centrais: d5 e e4.

3 ... Cg8-f6

As Negras optaram por este lance pelas mesmas razões apresentadas no lance anterior. A posição que se chegou neste momento é chamada de Abertura dos 4 Cavalos.

4. Bf1-b5

Vejamos as vantagens deste lance:

a) Em sua casa inicial este Bispo dominava as casas g2, e2, d3, c4, b5 e a6. Após se posicionar em b5, continuou dominando o mesmo número de casas da diagonal f1-a6 e passou a dominar as casas a4 e c6, ou seja, ampliou o seu raio de ação, caracterizando um lance de desenvolvimento.

b) É um lance de ataque, pois ameaça o Cavalo negro de c6, que age no centro do tabuleiro e por este motivo, dizemos que o Bispo tem ação indireta no centro. Observe que já existe a ameaça branca Bxc6, deixando o Peão negro de e5 indefeso e atacado pelo Cavalo branco de f3.

c) Torna possível o roque pequeno.

4 ... Bf8-b4

Após a análise anterior, somos levados a pensar que as Negras devem defender o Peão do Rei, pois as Brancas ameaçam 5. Bxc6 seguido de 6. Cxe5. Um lance que poderia passar pela cabeça ao invés do executado na partida seria 4 ... d6, mas ele obstruiria a saída do Bispo do Rei, e não devemos posicionar as peças na abertura de maneira que impeçam o desenvolvimento das outras.

Com o lance do texto, as Negras optaram pela defesa pelo contra-ataque. Observe que as Negras passaram a atacar o Cavalo branco de c3, que também defende o seu Peão do Rei, que está atacado pelo Cavalo do Rei negro. Logo, se 5. Bxc6 (com idéia de ganhar o Peão do Rei negro), seguiria 5 ... dxc6 6. Cxe5 Bxc3 7. bxc3 Cxe4 e as Negras recuperam o Peão.

O Bispo negro realizou um lance de desenvolvimento, de defesa (pelo contra-ataque) e de ação central (indireta, pois ataca o Cavalo branco de c3 que tem ação no centro). Com este lance, aprendemos um novo conceito: a defesa pelo contra-ataque.

5. 0-0 (Re1-g1 + Th1-f1)

O roque deve ser realizado por quem se inicia no xadrez o mais rápido possível, e de preferência, o roque pequeno. Por que? Pelo fato de o roque colocar o Rei em segurança e, também, colocar a Torre em jogo rapidamente.

Veremos mais à frente alguns casos em que se faz o roque grande com o objetivo de atacar pela ala do Rei quando as peças já estão instaladas naquele setor do tabuleiro e o Rei adversário fez o roque pequeno. A isto segue o avanço dos Peões desta ala (do Rei) apoiados pelas Torres na primeira horizontal.

Há ocasiões onde o "atraso" do roque é proposital para verificar qual dos roques o adversário fará para fazer a sua opção, mas de maneira geral, o melhor é rocar o mais cedo possível e de preferência o roque pequeno.

5 ... 0-0 (Re8-g8 + Th8-f8)

A luta começa a tomar forma. As Negras optam por rocar na mesma ala que as Brancas, o que começa a caracterizar uma luta no centro do tabuleiro. Se rocassem em lados opostos, ambos teriam o plano de avançar os Peões das alas contrárias aos seus respectivos roques para atacar o roque adversário.

6. d2-d3

As Brancas defendem seu Peão central ao mesmo tempo em que abrem a diagonal para a saída de seu Bispo da Dama. É um lance de defesa e de desenvolvimento.

6 ... d7-d6

Pelos mesmos motivos das Brancas.

7. Bc1-g5

O Bispo branco dominava somente as casas de sua diagonal aberta, agora age também sobre as casas h4 e f6 (onde se encontra o Cavalo adversário). Logo, este é um lance de desenvolvimento.

Observe que o Cavalo negro está cravado (não deve mover-se, pois o Bispo capturaria a Dama). Concluímos então que também é um lance de ataque.

Em contrapartida, as Negras não temem 8. Bxf6, pois seguiriam com 8 ... Df6. Mas a ameaça do primeiro jogador é outra: 8. Cd5!, atacando novamente o Cavalo do Rei negro, seguido de 9. Cxf6+ gxf6 (forçado) 10. Bh6 e as Brancas conseguem romper a barreira do roque negro, abrindo a coluna "g" para um ataque. Essa manobra é possível por causa do Cavalo negro cravado.

7 ... Bb4xc3

Levando em consideração a análise feita no lance anterior, as Negras percebem que é necessário trocar seu Bispo pelo Cavalo branco para evitar que ele se dirija à casa d5. Se jogam 7 ... h6 com o objetivo de combater a pregadura, seguiria 8. Bh4 g5 e a barreira de Peões do roque está enfraquecida. Além disso, todo avanço de Peões deve ser muito bem pensado, visto que é a única peça que não retorna, portanto, a casa que ele deixa de vigiar após seu avanço não poderá mais ser defendida por ele. Após este tipo de pressão dos Peões, geralmente o Bispo retrocede para g3, mas neste caso específico há uma continuação interessante: 9. Cxg5! hxg5 10. Bxg5 Bxc3 (único que evita 11 Cd5!) 11. bxc3 De7 12. Df3 Rg7 13. Dg3, seguido de f4.

8. b2xc3

8...Cc6-e7

O lance negro não é bom, pois permite o enfraquecimento do roque e dá chance às Brancas trocarem seu Bispo pelo Cavalo negro, quebrando a barreira de Peões do roque, onde surgiria uma coluna aberta (coluna g), por onde podem agir a Dama e/ou Torre brancas; formam-se peões dobrados (f6 e f7), que devem ser evitados, pois são fracos; gera as casas fracas, f6 e h6 (não podem mais ser defendidas por Peões), onde podem se instalar peças adversárias.

Confira no diagrama ao lado a posição após: 8...Cc6-e7

De maneira geral isto deve ser evitado, mas neste caso as Negras não podem ser criticadas, pois conseguiriam tirar vantagem da posição. Vejamos um exemplo do que poderia seguir: 9. Bxf6 gxf6 10. Ch4 c6 11. Bc4 Cg6 12. Cxg6 hxg6 13. f4 Rg7 14. Df3 Th8 e as Negras conseguem tirar proveito da coluna h que ficou à sua disposição.

Mas lembre-se: um roque bem defendido é aquele no qual a Torre está ao lado de seu Rei, a barreira de Peões está intacta, e o Cavalo posicionado em sua melhor casa (f6 ou c6, dependendo do roque). Mais cedo ou mais tarde esta estrutura será alterada, e quando chegar a hora deve-se analisar bem de maneira que não permita que o adversário tire proveito da situação.

9. Cf3-h4

As Brancas começam a manobra para abrir a coluna “f” movimentando o Cavalo para que o Peão de “f” avance. Esta é uma manobra típica para aproveitar a ação das Torres nas colunas abertas.

9 ... c7-c6 10. Bb5-c4

Devemos sempre procurar a iniciativa no xadrez. Quanto mais recuamos, mais o adversário avança e tendo em vista que o tabuleiro é um espaço limitado, em pouco tempo, efetuando lances passivos, chegaremos a uma posição restringida.

Com o lance do texto as Brancas continuam com a iniciativa, pois ao invés de simplesmente recuar para a4, optam por colocar o Bispo em c4 onde age diretamente na diagonal onde se encontra o Rei negro e atacando diretamente o Peão f7, que embora tenha duas defesas, devemos destacar que uma delas é do próprio Rei!

10 ... Bc8-e6

As Negras temem a ação do Bispo branco e tratam de propor a troca do mesmo.

11. Bg5xf6!

As Brancas fazem agora o lance que já era possível há dois lances atrás, mas neste momento o estrago é maior, pois as Negras não terão tempo de reagir, tirando vantagem da coluna que se abrirá.

Confira no diagrama ao lado a posição após: 11.Bg5xf6

11 ... g7xf6

Lance forçado, pois se 11 ... Bxc4? 12 Bxe7! Dxe7 13 Cf5! seguido de 14 dxc4, ganhando uma peça.

12. Bc4xe6 f7xe6 13. Dd1-g4+

A coluna aberta começa a ser utilizada. A Dama ataca o Rei e o Peão e6 indefeso. São muito úteis os lances com mais de um objetivo, pois limita a resposta do adversário.

13 ... Rg8-f7

Forçado, pois caso contrário perderia o Peão.

14. f2-f4

Seguindo o plano de abrir a coluna f e agir com a Torre nela.

14 ... Tf8-g8

Aparentemente as Negras conseguiram uma compensação ocupando a coluna aberta com sua Torre, mas esta vantagem não é duradoura!

15. Dg4-h5+

Mais uma vez o recurso do lance com mais de um objetivo é utilizado. As Brancas atacam o Rei e o Peão h negros. A resposta negra novamente é limitada.

15 ... Rf7-g7

Defendendo o Peão e saindo do xeque.

16. f4xe5

O bom posicionamento das peças começa a dar frutos. Abre-se a coluna f para que as Torres ajam sobre ela.

16 ... d6xe5

Mais um lance forçado, pois se 16 ... fxe5, o mate é inevitável, 17 Tf7+ Rh8 18 Dxh7++. Este exemplo demonstra a força de uma Torre na coluna aberta.

17. Tf1xf6!

Nunca sacrifique uma peça se não tiver 100% de certeza que o adversário tem como refutar a sua combinação! Se houver dúvida, por menor que seja, o melhor é não fazê-lo. Mas neste caso, as Negras já estão perdidas...

Confira no diagrama ao lado a posição após: 17.Tf1xf6

17 ... Rg7xf6

As Brancas estavam ameaçando entrar com a Torre em f7 e seguir com o mate como na linha anterior.

18. Ta1-f1+ Ce7-f5

Mais um lance forçado, pois se 18 ... Rg7 19. Tf7+ Rh8 20. Dxh7++

19. Ch4xf5!

Melhor que 19 exf5, pois permitiria a fuga do Rei das Negras via e7, que também perde, mas a resistência seria maior.

19 ... e6xf5 20 Tf1xf5+ Rf6-e7

Se as Negras jogassem 20 Re6, a continuação seria exatamente a mesma.

21. Dh5-f7+ Re7-d6

Forçado.

22. Tf5-f6+ Rd6-c5

Forçado. Observe que esta peregrinação do Rei está sendo possível graças ao descuido com a proteção do roque.

23. Df7xb7!

A Torre branca não pode ser capturada, pois as Brancas estão ameaçando mate com 24 Db4++ ou 24 Txc6++.

Confira no diagrama ao lado a posição após: 23.Df7xb7

23 ... Dd8-b6

Forçado. Tentando obstruir a passagem da Dama branca e defendendo o mate com a Torre.

24. Tf6xc6+!

Vemos aqui mais um conceito de Tática: desvio de peça defensiva (a Dama negra que defende o mate em b4).

24 ... Db6xc6

Forçado. Observe que ao ser obrigada a se dirigir para a casa c6, após capturar a Torre, a Dama negra tirou a casa de fuga do seu Rei.

25 Db7-b4 xeque-mate (1-0)

Partida no visor

Fonte: http://aulasdexadrez.blogspot.com.br/


VOLTAR