Home‎ > ‎Partidas de Xadrez‎ > ‎

UMA JOGADA INSÓLITA!


UMA JOGADA INSÓLITA!

MI Nelson Pinal Borges

Revisando algumas revistas cubanas Jaque Mate dos anos 60, reencontrei-me com uma extraordinária partida do ex-Campeão mundial Boris Spasski, na qual realiza uma das jogadas mais surpreendentes da história do Xadrez moderno. A partida, jogada no Campeonato da URSS de 1956 contra o GM Yuri Averbach, mostra o grande talento e a tremenda capacidade criativa do jovem Spasski. 


O jovem Spasski em seus primeiros anos como enxadrista

Nunca é demais lembrar que Boris Spasski -Leningrado, 30/1/1937- começou a jogar aos cinco anos e com 18 anos foi o Grande Mestre mais jovem do mundo. Campeão Mundial Juvenil em 1955, foi Campeão da URSS em várias ocasiões e realizou a façanha de ganhar dois ciclos do Torneio de Candidatos, derrotando nos matches a E. Gueller -duas vezes-, P. Keres, M. Tal, B. Larsen e V. Korchnoi. Quando derrotou Tigran Petrosian em 1969, foi proclamado pela FIDE como o 10º Campeão Mundial de Xadrez. 


Spasski com Petrosian 

 
Boris Spasski, 10º Campeão Mundial

Em sua melhor época como jogador, Spasski foi vencedor de grandes Torneios internacionais e foi o primeiro tabuleiro da equipe da URSS no famoso Match do Século contra a equipe do Resto do Mundo em 1970 e onde ganhou de B. Larsen uma partida que muitos denominaram "A Partida do Século". Ainda que depois de perder o cetro mundial para Robert J. Fischer em 1972 Boris não tenha voltado a ser o mesmo jogador ambicioso de antes, ganhou o Campeonato da URSS em 1973, teve outras atuações relevantes e continuou sendo um extraclasse do Xadrez Mundial. 


Spasski perdeu o cetro mundial para Bobby Fischer em 1972

Comparado por muitos com o genial José R. Capablanca por ser um jogador prático mais que de estudo, Spasski possui um estilo Universal e grande facilidade para o ataque; são famosos seus Gambitos de Rei contra R. Fischer e David Bronstein. Assim mesmo, enriqueceu com novas idéias a Siciliana Fechada e a Defesa Tarrasch, entre outros sistemas de jogo. 

Reconhecido por seu caráter afável e seu extremo cavalheirismo dentro e fora da sala de jogo, Spasski é um personagem que prestigia com sua presença toda atividade enxadrística da qual participe como jogador, cronista, conferencista ou simples expectador. 


O sempre afável Boris

Voltando à partida, Spasski jogou uma Defesa Índia de Rei contra o 1.d4 de Averbach, que conseguiu clara vantagem posicional depois da troca de bispos brancos. A posição prometia muito para o branco, que tinha vantagem de espaço e o potencial domínio da coluna h. É nesta difícil posição que Spasski encontra, quase por arte de magia, a jogada 16...Cc6!!??, entregando um cavalo por um peão sem a menor possibilidade de ataque e quase nenhuma possibilidade concreta de compensação. Após a realização desta engenhosa jogada, o auditório reclamou a correção da mesma no tabuleiro mural onde era exibida a partida. Entretanto, só um jogador com uma visão superior poderia ver as possibilidades ocultas que brindava o surpreendente movimento e a posição derivada do mesmo. 


Averbach - Spassky, Cto URSS 1956

Posição da partida após a surpreendente jogada 16...Cc6!!??

Seu possível raciocínio: a posição das negras é inferior, muito restringida e sem um claro contra-jogo. Com jogadas lógicas, as negras se verão superadas pelo domínio das brancas na coluna "h", que se converteria em um ataque direto ao Rei negro. Que fazer? Buscar um contra-jogo baseado no domínio da coluna "b" e na manobra Ce6-d4. Seria suficiente? Pelo menos, a partir de então, a partida não estaria de um só lado e as brancas teriam que se se preocupar e atender a suas debilidades. 

De fato, a jogada estremeceu psicologicamente ao GM Averbach, que não encontrou um plano preciso para executar sua vantagem material. A partida seguiu com altos e baixos de ambas as partes -inclusive Spasski esteve ganho - e terminou em empate. Porém, o simples resultado do encontro já era secundário. Mais importante era a lição de criatividade brindada por Spasski! 


O GM Yuri Averbach, adversário de Spassky nesta partida

Espero que sejam pacientes, vejam a partida e tirem suas conclusões a respeito das possibilidades ocultas que brindam determinadas posições sempre que se conte com o talento, a intuição e a capacidade para criar jogadas engenhosas como a que nos presenteou para a posteridade Boris Spasski. 

Yuri Averbach  x  Boris Spasski ½-½ -  Leningrado, Cto URSS 1956


Fonte: http://www.torre21.com/