Home‎ > ‎80 Livros que Li e Gostei‎ > ‎

A CIDADELA – Autor: A. J. Cronin


A CIDADELA – Autor: A. J. Cronin


“Um clássico sobre a medicina no início do século XX.” 




No fim de uma tarde de Outubro do ano de 1924 um jovem mal vestido olhava atenta e intensamente através da janela de uma carruagem de terceira classe do comboio quase vazio que, vindo de Swansea, atravessava o Vale do Penwell. Partindo do Norte, Manson viajara durante todo o dia com transbordo em Carlisle e Schrewbury, mas na tirada final da sua enfadonha viagem para Gales do Sul encontrou-se sob o domínio de uma excitação ainda mais intensa pelas perspectivas do emprego, o primeiro da sua carreira médica, nessa estranha e desolada região.


RESENHA publicada em: http://ler-e-reler.blogspot.com.br/ 


Um de meus autores favoritos, posto que em poucos livros vi uma descrição tão realista do ser humano, é quase impossível não se reconhecer e reconhecer pessoas próximas em seus personagens. Pessoas que batalham o dia-a-dia, carregadas de esperança, como cada um de nós. Neste livro - o 1º que li - o autor nos mostra um pouco de suas experiências como médico, sendo o personagem principal um cirurgião. O autor pode através dele expor suas dificuldades e tragédias ocorridas nas minas de carvão inglesas. É de um realismo chocante a descrição das condições de trabalho a que eram submetidos estes mineradores, paralelo a esse drama coletivo - de toda uma comunidade - participamos do drama de um jovem médico e sua esposa que precisam conviver com esta situação para poder sobreviver, vendo suas tentativas de uma melhor condição de vida ser sempre frustradas. Mas algo acontece, uma oportunidade se apresenta, algumas decisões são tomadas e esse jovem casal vê uma mudança de vida em seu futuro, a questão é: as decisões certas foram tomadas? Eu te convido a ler e tirar suas conclusões, Viaje você também neste livro...


ANÁLISE publicada no site: http://mediropulso.blogspot.com.br/ 


A Cidadela, livro publicado pela primeira vez em 1937, da autoria do britânico A.J. Cronin, é uma obra-chave da literatura médica. Este romance, com algumas referências autobiográficas, narra a história de Andrew Mason, um jovem médico que, apenas terminado o curso, inicia o seu percurso profissional na industrializada Grã-Bretanha dos anos 30. O enredo é simples: Andrew parte para o País de Gales, onde inicia a sua prática como ajudante do velho médico de uma pequena aldeia mineira, Blaenelly. Confrontado com as terríveis condições de trabalho dos mineiros e com a saúde da comunidade, na qual os casos de febre tifoide se multiplicam, o Dr. Mason dedica-se de forma intensa aos seus doentes, pondo em prática todo o idealismo de um jovem médico. Casa-se com Christine, uma professora que o ajuda nos seus trabalhos de investigação acerca da silicose, patologia respiratória muito frequente em quem trabalhava nas minas.

Mais tarde, o casal parte para Londres. Na grande cidade, Andrew entra em contato com a classe médica conceituada e poderosa que, vivendo da atividade privada, se dedica exclusivamente ao tratamento dos mais ricos. Enriquecer é fácil. Injeções de água são pagas a peso de ouro por "doentes" que de nada padecem, mas julgam e querem padecer. O protagonista, ao contrário do esperado, acaba por envolver-se nestes esquemas de dinheiro fácil, abandonando os princípios que até aí o haviam caracterizado. O seu idealismo transforma-se em cinismo e a exploração dos mais ricos substitui a dedicação aos mais necessitados. Até que um dia, enquanto assiste um cirurgião de renome, algo corre mal...

Muito criticada pela classe médica da época, A Cidadela, publicada em Portugal pela Europa-América, ecoa o drama das escolhas éticas na prática da medicina. Uma narrativa que mantém toda a atualidade, ou não fosse o confronto entre integridade profissional e tentações materialistas ainda uma preocupação dos nossos dias.

King Vidor adaptou a obra ao cinema, num filme de 1938, que já passou na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa.



Opinião Pessoal: Obra do início do século vinte e mais conhecida do médico e escritor britânico que influenciou jovens do mundo inteiro a cursar medicina. Conta à história de um médico em início de carreira, honesto, mas ambicioso, tentando alcançar seus objetivos. Seguramente, um dos livros mais marcantes que li em minha juventude e que, apesar do tempo, persiste imutável em seus valores morais. 

Minha Avaliação: Imperdível! Nota Dez!

VOLTAR‎