Home‎ > ‎80 Livros que Li e Gostei‎ > ‎

AVENTURA NO TOPO DA ÁFRICA – Autor: Airton Ortiz


AVENTURA NO TOPO DA ÁFRICA – Autor: Airton Ortiz


“Trekking no Kilimanjaro.” 




Uma emocionante narrativa da jornada do jornalista gaúcho Airton Ortiz rumo ao ponto mais alto do Continente Negro. Junto com o autor, o leitor vai seguindo seus passos desde a chegada em Joanesburgo até a pisada firme na boca da cratera no cume do Kilimanjaro, numa mistura de acontecimentos, aprendizagens e as aventuras de uma viagem repleta de informações históricas e anedotas.

RESENHA: por Margi Moss

Aventura no topo da África - Trekking no Kilimanjaro é um leque que você abana e, junto com Airton, vai seguindo seus passos desde a chegada em Joanesburgo até a pisada firme na boca da cratera no cume do Kilimanjaro. Ele mistura os acontecimentos, as aprendizagens e as aventuras de sua viagem com informações históricas e anedotas. Diferente da maioria dos turistas que vão "conhecer a África" e falam do continente como se se tratasse de apenas um país, a curiosidade de Airton não se restringe às paisagens e aos locais por onde ele passa, mas também abrange as vidas das pessoas que encontra pelo caminho. Airton vai fundo - conversa com os africanos, visita suas casas e conhece suas famílias.

Compartilho o fascínio de Airton Ortiz pelo monte Kilimanjaro. Desde criança (nasci e cresci no Quênia), esta montanha surgiu solitária e resplandecente, no meu horizonte cotidiano. A caminho da escola no carro do meu pai, minha irmã e eu competíamos, tagarelando, para ver quem primeiro ia pôr os olhos no cume nevado. Nem sempre a montanha nos proporcionava esse privilégio. A maioria das vezes, ela se escondia numa confusão de nuvens ou simplesmente sumia na neblina. Mas nos dias claros, uma grossa linha branca, ligeiramente curvada, manchava o céu azul. Eram as "neves eternas" do Kilimanjaro, que surgia, imponente e glorioso, a 130 quilômetros de distância acima das planícies amareladas. Ao avistá-lo, minha irmã e eu ficávamos por alguns momentos quietinhas, em sinal de respeito por aquele vulto coberto de neve que domina física e mentalmente todos os seres humanos que perambulam pela África do Leste.

O ímã que atrai pessoas do mundo inteiro, como Airton, para escalarem o monte Kilimanjaro, também me puxou de volta do Brasil para minha terra natal em 1990. Consegui chegar até Kibo, onde desisti devido a palpitações. No livro do Airton, pude reviver com prazer a parte da escalada que eu tinha feito e depois, muito melhor... pude continuar a subida com ele, com muito frio e pouco ar, até o cume dessa Montanha-Monarca a tempo de ver o sol nascer.



Opinião Pessoal: Em todo o mundo existem escritores que “introduzem a aventura” aos seus leitores, incentivando a prática de determinadas atividades, instigando a curiosidade e, por conseguinte, promovendo a ação ao invés da inatividade. Ortiz tenta cumprir esse papel no Brasil. Seus livros não são grandes obras de arte, não apresentam um estilo estético muito definido, não têm a originalidade que caracteriza os grandes escritores, mas, mesmo assim, despertam o interesse do leitor. 

Minha Avaliação: Excelente!

VOLTAR‎