Home‎ > ‎80 Livros que Li e Gostei‎ > ‎

EM BUSCA DA ALMA DE MEU PAI – Autores: Jamling Tenzing Norgay com Broughton Coburn


EM BUSCA DA ALMA DE MEU PAI – Autores: Jamling Tenzing Norgay com Broughton Coburn 


“Uma jornada de um Sherpa ao cume do Everest.” 




Em 1953, dois homens alcançaram pela primeira vez o topo do Everest. Edmund Hillary, neozelandês da expedição britânica, tornou-se um herói em todo o Ocidente. Seu guia, Tenzing Norgay, sherpa e budista, passou a ser visto por seu povo como um sábio: para os sherpas, as montanhas são a morada das divindades, e ele fizera uma peregrinação sem precedentes.

Seu filho Jamling Tenzing Norgay nasceu treze anos depois. Estudou na Índia e nos Estados Unidos e pouco viu o pai, mas guardou a paixão pelo Chomolunghma - nome sherpa do Everest. Em 1995, o cineasta David Breashers convidou-o para participar de uma expedição de filmagem ao cume do Everest e Jamling pôde realizar seu sonho. Por uma coincidência trágica, a estação de 1996 ficou na história do montanhismo pelos acontecimentos terríveis narrados por Jon Krakauer em No ar rarefeito.

Em busca da alma de meu pai é o relato da escalada do Everest do ponto de vista sherpa e budista, e é um retrato emocionante da cultura de um povo que costuma ser deixado de fora da história.


SINOPSE extraída do site: http://felipeopequenoviajante.blogspot.com.br/ 

Seu filho Jamling Tenzing Norgay nasceu treze anos depois. Estudou na Índia e nos Estados Unidos e pouco viu o pai, mas guardou a paixão pelo Chomolunghma - nome sherpa do Everest. Em 1995, o cineasta David Breashers convidou-o para participar de uma expedição de filmagem ao cume do Everest e Jamling pôde realizar seu sonho. Por uma coincidência trágica, a estação de 1996 ficou na história do montanhismo pelos acontecimentos terríveis narrados por Jon Krakauer em No Ar Rarefeito.

Em busca da alma de meu pai é o relato da escalada do Everest do ponto de vista sherpa e budista, e é um retrato emocionante da cultura de um povo que costuma ser deixado de fora da história.

Nós lemos este livro há muitos anos, e lembrei dele agora não só porque está à venda em todas as livrarias daqui de Darjeeling, norte da Índia, terra do chá, mas também porque visitamos o Himalayan Mountaineering Institute, onde ficam o Museu do Everest, o lugar onde o Tenzing Norgay foi cremado e a estátua dele.

Há tempos sou fã do Tenzing: ele foi o primeiro homem a escalar o Everest, junto com Edmund Hillary. Ele era "o" cara. Como ele mesmo disse, ele era um sherpa, um carregador, e terminou a vida cheio de medalhas, sendo levado de um lado para outro de avião e se preocupando com imposto de renda, heheheh...

No instituto, que era o local preferido dele, existem vários cursos de montanhismo. O museu, como todos os museus da Índia, é fraco, com poucas informações (o Google é muito melhor!), mas foi emocionante ver as roupas e os equipamentos que ele usou para chegar ao cume.

Recomendo a leitura do livro, que foi escrito pelo filho dele: é emocionante!



Opinião Pessoal: Um dos livros mais tocantes, carismáticos e intensos que já li sobre o tema monte Everest.

Minha Avaliação: Imperdível!

VOLTAR‎