Home‎ > ‎100 Livros que Li e Gostei‎ > ‎

LIVRE – Autora: Cheryl Strayed


LIVRE – Autora: Cheryl Strayed




Livre é um livro que dispensa muitos comentários. É um best seller, virou filme e será um clássico num futuro próximo. A obra narra a vida de Cheryl Strayed, que em determinado momento da vida se encontra perdida pela morte da mãe e pelo término de seu casamento. Foi então que a autora decidiu caminhar sozinha por 1.770 quilômetros pela costa oeste dos Estados Unidos, do deserto de Mojave, no sul da Califórnia, atravessando Oregon até o Estado de Washington, na famosa trilha Pacific Crest Trail, conhecida como PCT. O relato de Cheryl Strayed é dos melhores que já li, é carregado de angústia, sentimento, medo. A obra é uma conversa ao pé do ouvido que nos faz caminhar junto com ela ao logo dos 1.700 quilômetros. Um livro inspirador que merece constar em qualquer acervo.


Sinopse: Aos 22 anos, Cheryl Strayed achou que tivesse perdido tudo. Após a repentina morte da mãe, a família se distanciou e seu casamento desmoronou. Quatro anos depois, aos 26 anos, sem nada a perder, tomou a decisão mais impulsiva da vida: caminhar 1.770 quilômetros da Pacific Crest Trail (PCT) – trilha que atravessa a costa oeste dos Estados Unidos, do deserto de Mojave, através da Califórnia e do Oregon, em direção ao estado de Washington – sem qualquer companhia. Cheryl não tinha experiência em caminhadas de longa distância e a trilha era bem mais que uma linha num mapa. Em sua caminhada solitária, ela se deparou com ursos, cascavéis e pumas ferozes e sofreu todo tipo de privação. Em Livre, a autora conta como enfrentou, além da exaustão, do frio, do calor, da monotonia, da dor, da sede e da fome, outros fantasmas que a assombravam. “Todo processo de transformação pessoal depende de entrega e aceitação”, afirma. Seu relato captura a agonia, tanto física quanto mental, de sua incrível jornada; como a enlouqueceu e a assustou e como, principalmente, a fortaleceu. O livro traz uma história de sobrevivência e redenção: um retrato pungente do que a vida tem de pior e, acima de tudo, de melhor.


Opinião Pessoal: Mesmo para aqueles que não curtem acampamento, essa história vale a pena ser lida. Viajar pode ser uma forma de autoconhecimento e de transformação. Quando Cheryl decidiu enfrentar essa trilha, estava desafiando os seus próprios medos, um caminho desconhecido sobre si mesma e buscando algo que ainda não entendia – uma vida repleta de si.


Minha Avaliação: Excelente! Gostei Muito!