Home‎ > ‎80 Livros que Li e Gostei‎ > ‎

TRANSANTÁRTIDA - Dr. Jean-Louis Étienne


TRANSANTÁRTIDA - Autor: Dr. Jean-Louis Étienne

"A travessia do último continente"


SINOPSE

É um dos melhores livros sobre uma aventura na Antártica. Escrito logo após o final de uma expedição que durou seis meses, do verão de 1989 à primavera de 1990, e que percorreu 6.300 km de gelo desértico e isolamento voluntário. Jean-Louis Étienne é um dos grandes nomes da exploração moderna francesa. Médico e especialista em nutrição e biologia do esporte, participou de expedições ao Himalaia, à Groenlândia e à Patagônia. Seu maior feito foi ter se tornado, em 1986, o primeiro homem a atingir o Pólo Norte Geográfico, sozinho, sem a companhia de cães ou apoio externo. O objetivo da expedição Transantártida foi o de alertar ao mundo sobre a riqueza da Antártica e a urgência de se proteger um dos ambientes mais puros e intocados que existe. Jean-Louis questiona o lado negativo das nações que lutam por um pedaço de terra (leia-se gelo) no único continente realmente descoberto pelo homem, em 1820, e reflete sobre a importância de se chegar a acordos diplomáticos sobre a preservação de uma área de 14 milhões de km quadrados de água doce, petróleo, gás natural e ouro. Lembrando que todos os grandes projetos polares foram conduzidos por expedições privadas, as únicas que se dão direito a correr riscos, a Transantártida chegou onde intencionava: a travessia integral de um continente gigantesco, uma das últimas aventuras inéditas possíveis no final do século XX.

RESENHA PUBLICADA NO SITE: http://www.kalapalo.com.br/

Mais um volume da excelente coleção Ventos e Aventuras da José Olympio Editora. Esses títulos nem sempre são fáceis de ser encontrados nas livrarias, embora ainda não estejam todos esgotados, mas podem ser comprados também em sebos – livrarias de livros usados e raros. Minha sugestão é buscar no portalwww.estantevirtual.com.br.

Quem leu o livro Endurance, de Caroline Alexander, sabe um pouco da história do grande explorador Sir Ernest Shackleton, que Amyr Klink tem como ídolo. Shackleton tentou ser o primeiro homem a atravessar o continente antártico em 1914-16, sem sucesso. Essa proeza só foi só conseguida em 1989, quando um grupo de seis aventureiros – um francês, um americano, um inglês, um russo, um japonês e um chinês – com a ajuda de dúzias de cães de trenó, completou a travessia. Essa é a história narrada por esse livro.

Foram sete meses de expedição dura, com caminhadas extenuantes de oito horas por dia ou mais, frio intenso, ventos de furacão, queimaduras de frio, bolhas nos pés e nas mãos, risco constante de vida e um tipo isolamento que só a Antártica ainda consegue oferecer hoje na Terra.

O Dr. Jean-Louis Étienne, autor do livro e líder da expedição, aproveita a ocasião e discute temas mais filosóficos nas páginas do livro, dando destaque para a necessidade de se evitar a exploração comercial do “último continente livre” do planeta, a Antártica. É interessante a discussão interior que o autor promove consigo mesmo, enquanto caminha sobre a imensidão branca e inclemente, sobre a utilidade e necessidade prática de aventuras como essa travessia do continente antártico… Uma pergunta que com certeza passa pela cabeça de todo aventureiro e do público interessado no tema.

Uma curiosidade… UAP Antartica, o veleiro polar utilizado pela expedição Transantártida do Dr. Étienne em 1989, é o mesmo barco no qual o grande velejador neozelandês Sir Peter Blake foi assassinado aqui no Brasil, em 2001.


Opinião Pessoal: A incrível viagem desses 6 bravos "guerreiros modernos" é um livraço de aventura. Daqueles que começamos a ler e não queremos parar mais. 

Minha Avaliação: Imperdível! 

VOLTAR‎