Home‎ > ‎Mídia‎ > ‎

ENTREVISTA AO JORNAL DO "SINDIQUINZE" - EDIÇÃO DE SETEMBRO/2.011


NOSSA GENTE: Servidor une atividade física, religiosidade e turismo em caminhadas pelo mundo

    
Caminho de Santiago de Compostela - Via de La Plata em 2008

    Como você lembra do seu avô aos 60 anos de idade? Ao contrário do que víamos há 10 anos atrás, as pessoas consideradas do grupo da “maior idade” superam limites e realizam atividades que os jovens de hoje não praticam.
    É o caso do servidor da 12ª Vara do Trabalho de Campinas, Oswaldo Buzzo, que há 10 anos, faz da caminhada a junção de exercício físico, religiosidade e turismo.
Buzzo conta que sempre praticou corrida. Entretanto, por um problema na coluna, foi proibido de praticar atividades de impacto. A partir disto, decidiu optar pela caminhada como forma de exercitar o corpo e a mente.
    Às vésperas de  completar 50 anos de idade, em 2001, o Analista Judiciário quis comemorar o aniversário de uma maneira diferente: percorrendo a pé o caminho de Santiago de Compostela, com início em Saint Jean de Pied de Port, no sul da França - um percurso de mais de 800 quilômetros. 
    A partir daí, Buzzo conta que, anualmente, durante o período de férias no Tribunal, realiza caminhadas por diferentes percursos nacionais e internacionais. “Eu buscava uma aventura que unisse religião, cultura, esportividade e que, ao mesmo tempo, fosse, além de inesquecível, marcante e acessível à minha nova idade”, conta.
    De acordo com ele, a maior dificuldade é suportar as diversas bolhas que se formam nos pés e os diversos obstáculos encontrados pelo caminho. Oswaldo Buzzo conta que, em 10 anos de caminhadas anuais, percorreu todos os caminhos sozinho e já se deparou com cobras, bois e cachorros que o perseguiram. “Você sempre encontra várias pessoas caminhando, mas, é difícil encontrar uma pessoa em que haja sintonia de ritmo e vontade durante o trajeto, sem contar o tempo que ficamos fora de casa. Na última vez, eu fiquei 38 dias fora”, explica.
    Oswaldo lembra que, durante o caminho pela Estrada Real, realizado em 2010,  ao passar por Ouro Preto/MG utilizou um percurso em mata fechada, onde sofreu diversas picadas de abelhas e aranhas, sendo diagnosticado com urticária devido ao veneno.
    O servidor do TRT-15 conta que caminha cerca de 10 quilômetros por dia, além de fazer natação três vezes por semana. Para se preparar para os grandes percursos, Oswaldo realiza um treinamento mais pesado que inclui musculação e caminhada com peso. “Durante os caminhos mais longos, eu carrego de oito a dez quilos nas costas, pois na mochila é necessário ter remédios, roupas, alimentos, dentre outros itens de necessidade pessoal”.

Passos de Anchieta percorrido em 2007


    O maior caminho já percorrido pelo Analista Judiciário foi o de Lourdes, na França, rumo à Santiago de Compostela, na Espanha, em 2004, quando ele andou 1.100 quilômetros em 32 dias. “O mais difícil talvez tenha sido de Sevilha a Santiago que foram 1.000 quilômetros em 29 dias. Mas, é um caminho bem deserto, com poucas árvores”.
    Neste ano de 2011, Oswaldo Buzzo repetiu o caminho de Santiago de Compostela, desta vez, pelo norte - um dos mais difíceis devido ao trajeto montanhoso, de vegetação e de beira-mar.
    Para ele, a sensação de concluir um caminho é dúbio. “A primeira sensação é de agradecimento por ter chegado vivo ao final e por ter realizado um sonho e a Segunda é de tristeza por ter que voltar à realidade”.
    Oswaldo, que diz nunca revelar o seu próximo destino, conta que ainda neste ano pretende fazer um trajeto brasileiro de, no máximo, uma semana. 
    Além de Santiago de Compostela e Lurdes, o servidor já percorreu o Caminho do Sol (SP),  Caminho das Missões (RS), o Caminho da Fé, Caminho da Luz (MG), Passos da Anchieta (ES), Estrada Real (MG) e Estrada dos Romeiros (SP). 
    Mais informações sobre as viagens realizadas por Buzzo podem ser encontradas no diário de viagem dele publicado através da página eletrônica www.oswaldobuzzo.com.br.