Home‎ > ‎Notícias Peregrinas‎ > ‎

CAMINHO DA FÉ VAI ACONTECER EM 2016


INSPIRADO NA PEREGRINAÇÃO DE SANTIAGO DE COMPOSTELA, CAMINHO DA FÉ VAI ACONTECER EM 2016


Fonte: http://www.jovensconectados.org.br/



Para se inscrever acesse:  http://www.jovensconectados.org.br/veja-como-se-inscrever-para-a-peregrinacao-caminho-da-fe.html

Uma das ações propostas dentro do Projeto #Rota300 vai despertar os jovens para uma grande experiência missionária e de espiritualidade. Jovens de todo Brasil poderão se inscrever para o Caminho da Fé, uma peregrinação do município de Águas da Prata (SP) até Aparecida (SP) em JULHO de 2016. O caminho acontece tradicionalmente há 12 anos e, até 2017, fará parte da preparação dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida. O trajeto é inspirado no Caminho de Santiago de Compostela e os jovens irão percorrer, de bicicleta ou a pé, cerca de 500 km.

Inicialmente, a data divulgada era de 1º a 12 de dezembro; mas, por conta de fatores climáticos, e para garantir a estrutura pessoal necessária, a data foi adiada para 1º a 11 de julho.

A proposta do “Caminho da Fé” vem como uma resposta concreta e acessível àqueles que desejam ‘trilhar o caminho do bem’, de acordo com a organização. A experiência de fé vivida no percurso faz com que os peregrinos percorram este caminho interior, seguindo Jesus e anunciando-O entre os jovens.

O Caminho da Fé oferece também oportunidades concretas de solidariedade, como a partilha de alimentos, ajuda em curativos, no carregar a mochila uns dos outros e nas palavras encorajadoras. “Quando a solidariedade e a caridade cristã se fazem presentes, o irmão debilitado não é um fardo ou peso, mas uma real oportunidade de carregar as dores do outro. Aqueles que possuem o verdadeiro espírito de peregrino, sabe que o irmão não pesa, não é um fardo, pois é irmão”, explica o documento de preparação do Caminho.

Você confere abaixo as orientações e dicas sobre o Caminho da Fé:



O eixo central da trilha do Caminho da Fé vai de Águas da Prata a Aparecida. São 320 km cruzando áreas rurais dos municípios conveniados. Plantações de café e de eucaliptos, morros e vales, rios e cachoeiras fazem parte da trilha. A travessia da Serra da Mantiqueira é, sem dúvida, a parte mais encantadora e desafiadora. Atualmente, o percurso passa pelas seguintes cidades: Águas da Prata (SP), Andradas (MG), Barra de São João/Ouro Fino (MG), Crisólia (MG), Ouro Fino (MG), Inconfidentes (MG), Borda da Mata (MG), Tocos do Moji (MG), Estiva (MG), Consolação (MG), Paraisópolis (MG), Luminosa/Brasópolis (MG), Campista (SP), Campos do Jordão (SP), Piracuama/Pindamonhangaba (SP) e Moreira César/Roseira (SP).

Por ser percorrida em vias secundárias e rurais em sua maioria, as distâncias entre as cidades não são tão precisas, mas correspondem, aproximadamente, à distância a caminhar. No caminho, encontram-se vilarejos, pequenas cidades, colônias e cidades médias. Povo simples, pequenos agricultores, gente de fé e de devoção que sempre pede a bênção e a intercessão do peregrino a Nossa Senhora Aparecida.



O Caminho da Fé é uma trilha até Aparecida, mas não é a única. Para dar identidade foi criada uma credencial de peregrino. Nela consta alguns dados de identificação e o local de início da caminhada e a opção (caminhada ou bicicleta). Esta credencial deverá ser preenchida com os carimbos dos pontos de apoio aos peregrinos nas pousadas e outros estabelecimentos identificados ao longo da trilha. É como um “passaporte” de peregrino que deverá ser apresentado na secretaria do Santuário de Aparecida para receber o certificado de peregrino que o próprio Santuário oferece àqueles que concluem os quilômetros do Caminho da Fé. Esta credencial poderá ser retirada na sede da associação do Caminho da Fé em Águas da Prata. Porém, o projeto #Rota300 fará o próprio carimbo. Cada vez que se passa numa paróquia se carimba o passaporte.



Ao longo de toda a trilha existem pousadas e hotéis que estão credenciados para acolher e carimbar a credencial dos peregrinos. Para pernoitar nestas pousadas, é necessária a reserva com antecedência. A maioria é simples e familiar. Alguns comportam poucos peregrinos. A lista com os endereços, telefones e outras informações está no site do Caminho da Fé. Já no caso dos jovens do #Rota300, os alojamentos serão somente nas paróquias que estarão ao longo do caminho. CABE A CADA JOVEM SOMENTE PAGAR ALIMENTAÇÃO, que será nas cidades do percurso.

Muitos sitiantes e pessoas de boa vontade oferecem água para os peregrinos abastecerem suas garrafas e cantis. É bom tomar cuidado com a água, muitas vezes não são potáveis. Alguns pequenos estabelecimentos oferecem energéticos e isotônicos aos que precisarem como também lanches simples e que ajudam a repor energias.

As refeições maiores serão sempre o café da manhã e o jantar. Ao longo do dia, pode-se comer barras de cereais, frutas ou um lanche preparado na hora do café.



O Caminho da Fé é uma proposta de experiência da vida simples e austera. Saindo das comodidades de suas casas, o peregrino é convidado a viver a peregrinação com o pouco que necessita na mochila.

Dicas: A mochila deve ser confortável, do tipo ‘trilheiro’; existem inúmeros tamanhos e capacidades, mas deve-se levar em consideração uma orientação: não se deve carregar mais do que 10% do peso do peregrino, pois se assim for, causará um grande transtorno e desconforto físico e exigirá maior esforço. Alguns afirmam que com 6kg é possível levar o que é necessário. A mochila deve ter presilhas no peito e no quadril (peiteira e barrigueira), pois torna mais confortável e o peso não ficará somente nos ombros;

O que levar: três camisetas leves e de fácil secagem (uma no corpo e mais duas); shorts ou bermuda, meias apropriadas para trilha, blusa de frio e calça de material leve, capa de chuva (que cubra também a mochila), calçado (botas de trilha ou tênis) resistente e macio, boné ou chapéu (de pano com abas), sandália ou chinelo, material de higiene pessoal (creme, sabonete, escova de dentes, lenços descartáveis, um pacotinho de lenços umedecidos), material de primeiros socorros (pomada pra assadura, antisséptico, fita micropore, relaxante muscular, remédios pra dores, protetor solar e repelente, agulha e linha para drenar as possíveis bolhas), uma pequena lanterna, óculos de sol, garrafa de água ou cantil, cajado (de metal ou bambu).



Em alguns lugares o sistema bancário é bem precário. Hospitais ou prontos socorros prestam auxílio aos peregrinos, como também muitas farmácias já habituadas a lidar com os problemas comuns aos peregrinos. As pousadas ou hotéis credenciados poderão prestar um precioso auxílio e informações.

Não haverá uma estrutura de apoio definida para atendimento de saúde (médicos, socorristas, bombeiros, etc.). Haverá apenas um carro com itens de primeiros socorros, que também levará as bagagens do peregrino. Caso necessário, os atendimentos de saúde serão feitos nas cidades por onde passa a peregrinação.



O Caminho da Fé passa por serras, vales e lugares onde a natureza é abundante. Momentos de contemplação da natureza e de oração acompanharão os peregrinos. Pede-se aos peregrinos para evitar jogar lixo ao longo da trilha. O bom exemplo de cidadania e respeito contribuirá pela preservação e pela harmonia com a natureza.



O cajado é o grande ‘amigo’ do peregrino, serve de apoio e sustento nas grandes subidas e descidas. Servirá também para proteger de animais (cães) que eventualmente possam aparecer. Eles poderão ser adquiridos, de bambu (na sede da associação de Águas da Prata) ou de metal. O cajado indica disposição para percorrer o caminho. Segundo o profeta Zacarias (cf. Zc 11,7), os cajados têm um nome particular: o cajado “bondade” (isto é, afabilidade, suavidade, benignidade, benevolência, caridade, amor) e o cajado “união” (isto é, ligação, que une e enlaça, que resgata o que estava desunido). Muito além de sua utilidade, ele tem um significado particular na vida do peregrino: será seu ouvinte, amigo, ‘confessor’, rezará com ele e lhe será grato pela companhia e ajuda.



A trilha Caminho da Fé tem um roteiro a ser percorrido. Este Caminho é sinalizado por setas amarelas (nos postes, mourões de cerca, porteiras, pedras, pontes, árvores etc). Existem placas a cada 2 km que tem uma numeração em ordem decrescente. Nas divisas de municípios também existem sinalizações com informações de distâncias, características da região e outras informações. Os peregrinos devem tomar cuidado, pois deixar de seguir as setas implica perder o rumo na trilha e se desviar do caminho. Nas cidades maiores, infelizmente, estas setas estão em postes com cartazes de propagandas e placas. Muita atenção. Qualquer dúvida deve-se procurar informações nas pousadas ou pontos de apoio a turistas.

OBS: na região de Pindamonhangaba, antes de chegar à cidade, existe um desvio, mas ele leva o peregrino para uma rota que poderá fazer com que ande ainda mais e correrá o risco de não encontrar ponto de apoio ou pousada. É melhor seguir até o centro da cidade, onde existem indicações e a sinalização das setas amarelas.

O envio será realizado no Santuário Nossa Senhora Aparecida na cidade de Tambaú (SP). As Missas de envio serão de terça a sexta, às 9 h, e as quintas-feiras também haverá Missa às 19 h. Nos sábados, as Missas são 9 h e 19 h. E aos domingos, as Missas acontecem 07 h, 10 h e às 19 h.

Demora-se em média, de 12 a 15 dias para finalizá-lo a pé. Alternativamente, há pessoas que fazem com bicicletas.

Lembramos que em cada POUSADA os peregrinos devem carimbar o seu PASSAPORTE. Ao chegar ao chegar a Aparecida, o peregrino deve procurar o setor pastoral do santuário para carimbar o passaporte e participar da missa de agradecimento.



Menor de 18 anos somente acompanhado pelos pais ou com autorização do Juizado de Menores;

Não são formados grupos e as saídas são diárias;

O peregrino é livre para escolher a forma de caminhar – sozinho ou em grupo de pessoas, de preferência com o mesmo propósito e/ou pensamento filosófico;

Não estão previstas áreas de camping. É de livre escolha do peregrino o local de partida;

Duração aproximada a pé de 17 a 20 dias, caminhando entre 20 e 30 km, considerando a partida do ponto mais distante;

Duração aproximada de bicicleta, de 8 a 10 dias, considerando a partida do ponto mais distante;

Gastos diários em torno de R$ 80,00 por dia (refeição e pernoite), pagando-se no local onde utilizar os serviços;

O peregrino deve carimbar o passaporte nos lugares indicados no mapa do caminho. Ao chegar ao Santuário Nacional de Aparecida, deve apresentar o passaporte carimbado para receber o certificado.



Resistência física para enfrentar aclives e declives;

Seguir sempre indicações amarelas ao longo do trajeto, que é todo sinalizado com setas pintadas em postes, mourões e cercas, pedras, muros, pistas de rolamento, calçadas, além de centenas de placas indicativas;

Se possível não caminhar sozinho, pois todos estão sujeitos a imprevistos;

Não jogar lixo ao longo do Caminho. Porte sempre uma “sacolinha” plástica.

O Caminho passa por propriedades privadas. Respeite-as deixando porteiras e cancelas como as encontrou (abertas ou fechadas). Isto é de responsabilidade individual. Não a delegue a outros;

As pousadas contam com a colaboração quanto à limpeza e respeito aos horários de silêncio;

O Caminho visa às práticas cristãs e à meditação;

A caminhada é de inteira responsabilidade do peregrino. As administrações municipais e do Caminho da Fé não se responsabilizam por quaisquer incidentes que possam ocorrer durante o trajeto;

Cães costumam seguir o peregrino em busca de alimento: pedimos que impeçam, para evitar aborrecimentos aos proprietários e transtornos às pousadas e hotéis;

Sinta-se responsável pelo caminho para que ele continue sua trajetória marcada pela simplicidade, tal como foi idealizado;

Mais informações com Leonardo, de Tambaú (leospigareal@hotmail.com), com a secretária do Santuário (19)3673-3201 ou no site www.padredonizettitambau.com.



O Caminho da Fé, inspirado no milenar Caminho de Santiago de Compostela (Espanha), foi criado para dar estrutura às pessoas que sempre fizeram peregrinação ao Santuário Nacional de Aparecida, oferecendo-lhes os necessários pontos de apoio.

A ideia da sua criação ocorreu após um dos organizadores percorrer por duas vezes o conhecido caminho espanhol. Imbuído do propósito de criar algo semelhante no Brasil, convidou alguns amigos aos quais expôs seus planos, tendo recebido pronta acolhida dos mesmos.

O “Caminho de Fé” parte de Águas da Prata (interior de São Paulo), passando pelo sul de Minas Gerais, até chegar à Aparecida. Esta trilha inaugural possui 320 km. Outros ramais foram sendo criados ao longo dos anos (São José do Rio Pardo, Mococa, Aguaí, Tambaú, São Carlos e Sertãozinho). Todos estes ramais se convergem a Águas da Prata e, de lá, até Aparecida.



O Projeto Rota300, inspirado pelo dinamismo da JMJ e pelas conclusões do Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil de 2013, construído pelos jovens da Coordenação da Pastoral Juvenil Nacional, pelos adultos da Equipe de Subsídios e pelos Bispos Referenciais Regionais da Juventude, se desenvolve a partir da peregrinação da Imagem de Nossa Senhora Aparecida nas dioceses brasileiras, no período de 2015 a 2017. Sua elaboração e execução acontecem em clima missionário da juventude local e está em sintonia com a organização da ‘Comissão do Projeto Jubilar do Tricentenário do Encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida’.”



Outras experiências missionárias com os jovens podem ser organizadas nas dioceses dentro do #Rota300.

Confira os passos que podem ser dados e algumas dicas no link: http://www.jovensconectados.org.br/wp-content/uploads/2015/10/folder-miss%C3%A3o.pdf

Por Gracielle Reis, com informações do roteiro Caminho da Fé (http://www.jovensconectados.org.br/caminho-da-fe-vai-acontecer-em-2016.html)


 ‎VOLTAR‎