Home‎ > ‎Relatos Peregrinos - II‎ > ‎

Realidade ou Coincidência? !!!


Ronaldo Reis (*)

Realidade ou coincidência? !!!


Em junho/02 realizei um sonho antigo de percorrer sozinho e a pé, a parte final do Caminho de Santiago, pelo simples prazer de caminhar, sem nenhuma conotação mística ou religiosa, apenas caminhar numa região que sabia belíssima.

Sonho que já tinha tido oportunidade de realizar, mas que de repente, sem ainda saber a razão, senti vontade, um chamado, o desejo de efetivar em 2002.

Percorri aproximadamente 270 km, começando antes da cidade de Astorga, demorando 11 dias para chegar em Santiago da Compostela.

Pense em algo que você sonhava em realizar e realizou conforme sonhou. Assim defino a minha viagem.

É muito difícil falar das trilhas que percorri, da beleza, tranquilidade, dúvidas, frio, chuva, sol, calor, solidão, alegria, amigos que nunca mais verei, solidariedade humana entre pessoas dos mais distantes países, sem falar o mesmo idioma, mas felizes pelo mesmo objetivo que nos unia, independente de nossas origens e crenças.

Fui com o coração aberto, sem "buscar" nada em especial. A "força" do Caminho é inegável. Tocou na minha alma, especialmente nos muitos (a maioria) dos momentos em que percorria sozinho (por livre opção) as trilhas que pareciam não ter fim, pensando, pensando... O que me traz aqui?

Recentemente uma amiga me falou que quando eu percorria o Caminho de Santiago, estava sendo "preparado" para o que sucedeu comigo quando regressei ao Brasil, de forma a poder enfrentar e resistir ao que passei, e o que ainda está por vir.

O "inimigo" estava oculto, sorrateiro, dentro da minha cabeça, aguardando a hora de surgir, de forma repentina, sem nenhum aviso prévio.

Os médicos se mostraram surpresos pelo fato de eu não sentir nada, absolutamente nada, quando percorria o CS. Se mostraram felizes e aliviados, pois talvez lá mesmo tivesse terminado o meu Caminho...

- Será que eu buscava "algo" sem saber?

- Será que eu estava sendo "chamado" para percorrer o CS,"por alguém" que sabia o real motivo de eu ter de percorrer o Caminho naquele período?

- Será que o Cajado que me ajudou a percorrer o CS, e que eu trouxe de volta comigo, sem uma razão aparente, com toda a sua energia, ao ser colocado na cabeceira de meu leito no hospital ajudou na minha recuperação?

- Será que o período em que estive internado (11 dias - o mesmo tempo que percorri o CS), ao percorrer mentalmente o Caminho, lembrar dos lugares, das pessoas, do muito de bom que passei, explica o que minha amiga me alertou?

- Será que o médico brasileiro que encontrei em alguns lugares do Caminho, e que me disse estar passeando pela Europa buscando "um novo rumo para sua vida", e que ao ouvir falar do CS também sentiu vontade de percorrer a parte final do Caminho, a que eu percorria, no período que eu percorria, justamente a sua presença, a sua força interior, impediu, protegeu inadvertidamente, de me acontecer algo?

- Será que ao "me proteger" ele também, sem saber, estava encontrando o "seu Caminho" ?

Tirem suas conclusões.

Tudo de bom.

 
(*) Texto Original publicado no Portal Peregrino: www.caminhodesantiago.com.br