Home‎ > ‎As Ruas de Campinas/SP‎ > ‎

AVENIDA SENADOR SARAIVA


AVENIDA SENADOR SARAIVA – ENTRE A TRADIÇÃO E A MODERNIDADE



Localizada em um espaço privilegiado da Região Central, a Avenida Senador Saraiva destaca-se pela proximidade com duas das sete maravilhas de Campinas, o Mercado Municipal e a Estação Cultura; e também com a Rua Treze de Maio, principal ponto do comércio na Região Central.

Em relação aos deslocamentos, a Avenida garante acesso à nova rodoviária de Campinas e à Região Sudoeste, a mais populosa do município, composta pelos bairros Ouro Verde, Campo Grande, Icaraí e Viracopos.

Em 2009, para atender a 56 mil usuários de 59 linhas de ônibus que passam por essa via, a Senador Saraiva foi presenteada com uma Estação de Transferência que se estende ao longo do canteiro central, num trecho de cerca de 500 metros, entre a Rua Barreto Leme e o Terminal Central (Rua Ferreira Penteado); e com amplo processo de revitalização.

A Prefeitura firmou uma parceria com os comerciantes e permissionários estabelecidos na região para revitalizar as fachadas das lojas, recuperar calçadas e padronizar as bancas, tornando o espaço muito mais bonito e agradável.

De acordo com o prefeito de Campinas Dr. Hélio de Oliveira Santos, "a estação é mais um instrumento de requalificação e melhoria para a região central. Por isso, além de trazer beleza à região, conforto e segurança ao usuário do transporte coletivo, ela representa o respeito do Poder Público a todos que moram na região e utilizam o Centro comercial de Campinas para realizar suas compras", ressaltou.

De acordo com a Associação Comercial e Industrial de Campinas - ACIC, a Avenida conta com 95 prédios comerciais, por onde passam mais de 20 mil consumidores/dia – fato que coloca o espaço como o terceiro no ranking de movimentação comercial da cidade, com destaque para a presença do Mercado Municipal.


MERCADÃO



Inaugurado em 12/04/1908 pelo prefeito Orosimbo Maia, o Mercado Municipal é uma obra do arquiteto Ramos de Azevedo e comemorou, recentemente, o seu centenário.

O Mercadão, como é mais conhecido, tem 7 mil m² (tamanho equivalente a um campo de futebol) e conta com 143 boxes (98 no prédio central e 45 na parte externa), de acordo com a Serviços Técnicos Gerais - SETEC, autarquia que administra o espaço.

A história do Mercado se confunde com a história de inúmeros personagens. Gente como Júlio Hüsemann, 77, que conheceu o Mercado na infância. “Sempre brinquei nesta redondeza e perto da Avenida Senador Saraiva; quando adulto, deixei a carreira de aviador para assumir os negócios da família”. Ele casou-se com a filha do proprietário da Tabacaria “Rei do Fumo” e está à frente da loja desde 1974.

Júlio conta que o Mercado é espaço de passagem de muitas autoridades. “Já vi aqui Adhemar de Barros, quase todos os governadores de São Paulo; e, mais recentemente, Aécio Neves”.

De acordo com a SETEC, o Mercadão recebe, aos finais de semana, mais de 4 mil visitantes. E, em datas comemorativas, o público chega a 10 mil.

Quem nunca visitou o Mercadão Municipal de Campinas, não pode perder a oportunidade. Ele fica localizado à Praça Carlos Botelho entre as Ruas: Benjamin Constant, Álvares Machado, Ernesto Khulmam e Barreto Leme, no Centro. O telefone para contato é (19) 3232-3679.


DA TRADIÇÃO À MODERNIDADE



Se por um lado, a Senador está próxima a prédios tradicionais, ela também tem construções jovens e modernas como o Terminal Central, maior terminal urbano da cidade, que acaba de ser reformado.

Em 2010, o Terminal completou 25 anos.

O supervisor de Trânsito e Transporte da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), José Rodrigues Marcelino, 44, é o funcionário mais antigo do Terminal e acompanha a sua história desde a inauguração.

Ele conta que, em 1985, o Terminal urbano era confundido com uma Rodoviária, em razão dos padrões da época.

A rotina neste espaço começa muito cedo. O Terminal abre às 5h30 e fecha às 23 horas, recebendo, cerca de 65 mil pessoas/dia, que podem acessar 32 linhas com embarque e desembarque no local.

Marcelino lembra toda a evolução do transporte público de Campinas neste período. “Vi os passes de papel, as fichinhas, os validadores de cartão e hoje, o Bilhete Único. Vi também o pessoal curioso para andar no primeiro ônibus articulado da cidade; e, agora, vou ver os biarticulados chegarem.”


REVITALIZAÇÃO



Em 2009, a Prefeitura, por meio da EMDEC, revitalizou o Terminal Central, ampliando as condições de conforto, acessibilidade e segurança dos usuários do transporte coletivo. Foi a primeira grande reforma desde a sua inauguração.

O espaço ganhou novo visual, iluminação, sinalização e acessibilidade. As melhorias representam “um elemento simbólico da humanização do direito de ir e vir do cidadão”, destacou o prefeito Dr. Hélio de Oliveira Santos, durante a reinauguração do terminal, em junho do ano passado.

Todos os banheiros foram reformados e adaptados para pessoas com deficiência. O terminal ganhou lombofaixas, piso podotátil, nova comunicação visual, novos bebedouros e lixeiras com separação de material orgânico e reciclável.

O Terminal Central fica localizado à Praça Ópera “O Guarani”, Rua Cônego Cipião, s/nº, no Centro. O telefone para contato é 3231-4748.


CURIOSIDADES:

- A Avenida Senador Saraiva era conhecida como Rua Alegre, em razão de abrigar casas de prostituição.

- Na Avenida Senador Saraiva foi edificado o primeiro supermercado de grande porte da cidade – o Eldorado. Construído durante o ano de 1974 e inaugurado em 1975, foi totalmente destruído por um incêndio na véspera do Natal de 1986.



- O visual da Avenida Senador Saraiva começou a mudar durante o governo do prefeito Miguel Vicente Cury com a desapropriação e demolição de inúmeros prédios nesta via. Assim, ela deixou de ser uma rua estreita e se transformou na grande avenida que temos hoje.

- Senador Saraiva foi o introdutor do sistema de eleição direta no país, para os cargos legislativos e apesar de ser conselheiro de alto prestígio da corte, exercia naturalmente o alto posto de Chefe do Partido Liberal da época, partido exatamente de postura política contrária aos interesses do império.



- A Avenida recebeu esse nome, em 1882, por indicação do vereador Dr. Ricardo Gumbleton Daunt. O cidadão José Antônio Saraiva ocupava o importante cargo de conselheiro do império brasileiro. Entretanto, o vereador Dr. Francisco Quirino dos Santos impôs uma emenda, substituindo o título de Conselheiro pelo de Senador, procurando esclarecer que José Antônio Saraiva não era apenas um conselheiro do rei, e sim, um representante do povo.

Autor: Priscila Nascimento


Fonte: www.emdec.com.br

 ‎VOLTAR