V - A GEOPOLÍTICA NA ESPANHA


V - A GEOPOLÍTICA NA ESPANHA

 


Somente como comparação, é bom saber que a Espanha tem uma área de 504.750 km2, o que equivale mais ou menos ao nosso estado de Minas Gerais, que possui uma superfície de 588.383,6 km2. O Caminho Francês (como é conhecida esta rota) atravessa diversas regiões da Espanha.

Para que o peregrino entenda um pouco do que está acontecendo à sua volta, aqui são descritos alguns fatos, visando facilitar um pouco as coisas que lá funcionam de uma forma um pouco diferente daqui. No Brasil temos a seguinte divisão geopolítica: o país é constituído por estados e territórios, e estes por municípios.

Já na Espanha existe uma entidade a mais - a comunidade autônoma (é como se fosse um sub-país). Assim temos: o país formado por comunidades autônomas, que é o conjunto de províncias (que correspondem aos nossos estados), que por sua vez tem os pueblos (municípios). As comunidades foram criadas depois da morte de Franco (na década de 70) – elas reproduzem em alguns casos as regiões abrangidas por antigos reinos.



Algumas comunidades são constituídas por uma única província como nos casos da Navarra e de La Rioja. Cada comunidade autônoma tem a sua capital, assim como cada província. Nas comunidades formadas por mais de uma província, a capital da comunidade não coincide com nenhuma capital de província. Por exemplo, Santiago de Compostela, situada na província de La Coruña, é a capital da comunidade de Galícia, mas não é a capital da província. A capital da província de La Coruña é a cidade de mesmo nome (muitas capitais tem o mesmo nome de suas províncias) o que torna às vezes difícil de entender.

O Caminho Francês atravessa quatro comunidades autônomas: Navarra, La Rioja, Castilla y León, e La Coruña. Na sequência, as sete províncias percorridas são: Navarra (capital Pamplona), La Rioja (capital Logroño), Burgos (capital Burgos), Palencia (capital Palencia), Leon (capital León), Lugo (capital Lugo) e La Coruña (capital La Coruña).



Durante o governo de Franco, as línguas locais diferentes do Espanhol, foram proibidas de serem faladas e ensinadas, mas depois da morte do ditador as comunidades autônomas tiveram seus idiomas valorizados novamente. É comum ver-se em muitos lugares a sinalização viária escrita nos dois idiomas - em Espanhol (ou castellano como querem alguns, erradamente), que é a língua oficial de toda a Espanha - e no idioma local. Assim, encontramos ao longo do Caminho o idioma Vasco (Basco) em Navarra e o Gallego na Galícia, sendo este último bem parecido com o Português, e lá na Catalunha fala-se o catalão. 



É muito comum ver fortes manifestações de nacionalismo não em relação ao país, mas sim em relação à comunidade autônoma como, por exemplo, a Cataluña, e o Pais Basco em relação a Espanha, e também recentemente o movimento de cisão da comunidade de Leon, que quer sua separação de Castilla, fato que você peregrino vai testemunhar ao ler algumas placas e monumentos grafitados (pixados) pelo Caminho, quando passar pelas terras de Leon e Castilla.

Colaborador: Tácio Renato (AACS-Brasil)

Voltar