EQUIPAMENTOS COMPLEMENTARES


EQUIPAMENTOS COMPLEMENTARES

A escolha das roupas, como não pode deixar de ser, vai depender do clima que você vai enfrentar, mas independente disso as roupas de caminhada devem ser leves (no sentido de peso, medido em gramas), resistentes, permitir a evaporação do suor e de secamento rápido. Não se preocupe em ser "fashion", ninguém vai dar a mínima atenção para a sua roupa diante da exuberância da Natureza. Alguns itens são indispensáveis e merecem sua consideração para uma escolha sensata, afinal você vai usar estas peças durante mais de 30 dias.



1 - CAMISETAS

Muita gente utiliza camisetas simples de algodão, o que é bastante confortável, mas não é o ideal para este tipo de empreendimento. Hoje em dia existem outros materiais como o “dry fit”. Esses materiais não deixam que você fique ensopado com o suor (principalmente nas costas pelo contato com a mochila), tem uma secagem rápida e não pegam cheiro. Uma ótima alternativa é usar a camisa do seu time de futebol ou as camisetas produzidas pelas diversas Associações de Amigos do Caminho de Santiago que existem no Brasil.


2 - CALÇAS E BERMUDAS & CALÇAS-BERMUDAS


Para dias quentes e ensolarados, nada melhor que usar uma bermuda, mas o terreno no caminho nem sempre é só de flores e frutos. Você vai encontrar arbustos com espinhos, capim e galhos secos. Então, é melhor sofrer um pouco com o calor e deixar as pernas livres de arranhões. Existem materiais preferidos atualmente: o “tactel” e o “supplex”. Os dois são basicamente a mesma coisa, porém o supplex é mais resistente que o tactel. Por serem leves, de secagem rápida e ocupar pouco volume nas mochilas, se tornaram os mais adequados para os peregrinos. Uma forma prática é adquirir a calça-bermuda. Assim você estará resolvendo dois problemas. Em trechos abertos e ensolarados é só correr com o zíper que a sua calça se transformará em uma bermuda e, rapidamente você estará bem confortável.


3 - ANORAK, ABRIGO DE CHUVA OU PONCHO

Na Espanha normalmente o tempo não costuma nos enganar, ou seja, céu carregado é sinal de chuva. Então é sempre bom carregar um anorak ou uma capa de chuva, pois não podemos parar de andar por causa de uma chuvinha! Os ponchos são baratos, ventilados e também protegem a mochila, quando jogados por cima delas. Muito legais para trilhas abertas, porém no caso de trilhas fechadas é muito fácil deixar pedaços do seu poncho nos galhos mais baixos ou vê-los esvoaçantes (e você certamente todo molhado) nas cristas das montanhas. Por favor, não compre aqueles abrigos de chuva amarelos usados por serventes e operários da construção civil. Grossos e resistentes vão com toda certeza lhe deixar seco, o único inconveniente é que são volumosos e extremamente pesados. Na opção mais "high-tech" temos os anoraks, importados e caríssimos!! São confortáveis e lhe deixam bem aquecido, aquecido até demais. Apesar de toda a tecnologia de transpiração e zíperes para todos os lados, durante a caminhada é muito provável que sinta calor usando um deles, e fique molhado do mesmo jeito, contudo já temos bons anoraks feitos aqui no Brasil. Há ainda a alternativa das capas de chuva tipo camelo, que é uma capa com uma “corcunda”, que veste também a mochila. Uma das marcas mais conhecidas é a Azteq modelo “tartu”.


4 - AGASALHO

Nas alturas das montanhas, ou fora do período de verão é preciso ir preparado para aquele friozinho. Para esse caso temos muitas opções, muitas mesmo! Porém logo de cara podemos descartar muitas delas: lembre-se, as roupas devem ser leves (em gramas) e com o menor volume possível, ou seja, vai ter que deixar aquele seu jaquetão de couro pendurado no guarda-roupas. Aquele seu blusão de moleton também é pouco adequado. 

Um casaco confeccionado com o tecido "soft" (fleece) é uma ótima alternativa, e tirando o preço, tem as mesmas qualidades das malhas de acrílico, sendo uma opção "mais jovem". Temos a opção dos "tecnocratas": as vestimentas que são chamadas "segunda pele" (polartech, triple-point, etc) são ótimas! Confortáveis, elásticas, leves, permitem a evaporação rápida do suor ficam justinhas ao corpo retendo bastante calor, são outra maravilha dos tempos modernos, só tem o mesmo defeito de todas as novas tecnologias: não são nem um pouco baratas.


5 - ISOLANTE TÉRMICO

Os isolantes térmicos têm a finalidade de isolar a temperatura do solo, e são utilizados como uma espécie de colchão de espessura mínima. Tecnicamente seu uso é combinado com os sacos de dormir, favorecendo uma noite de sono mais confortável caso seja necessário o pernoite em condições adversas (no chão do albergue, por exemplo, ou no interior de uma igreja), ainda que o chão esteja frio ou úmido. 

Esta é a melhor alternativa em função da relação volume x peso diante da necessidade de que tal equipamento deva ser acondicionado em sua mochila (na parte superior ou inferior).Certamente no em situações onde o peregrino não leve esse equipamento há outras alternativas, como forrar o chão com papelão ou jornal, aumentando assim o nível de conforto térmico. No mercado hoje existem vários tipos de isolantes sendo os mais comuns feitos em espuma de EVA (sigla de Etileno Vinil Acetato). Além de não exalar cheiro algum e serem extremamente leves (geralmente com menos de meio quilo), esses materiais isolam o corpo tanto do calor quanto do frio que vem do chão. Em casos de emergência, esse tipo de isolante pode até ser usado para imobilizar fraturas. Existem alguns tipos revestidos com lâminas de alumínio, o que dá mais resistência ao isolante. 

Os isolantes de EVA são facilmente acomodados às tiras das mochilas (em cima ou embaixo). Para garantir sua durabilidade a principal dica é não guardá-lo úmido. Como ele é guardado enrolado, a umidade pode provocar mofo no material.
Outro tipo de isolante encontrado são os infláveis. São parecidos com colchões de ar e, além de servir como isolante térmico, proporcionam mais conforto que os isolantes comuns. Alguns necessitam serem inflados com bomba de ar manuais ou mesmo com o próprio fôlego. (já pensou que vai ser necessário encher um colchão durante todos os 30 dias de Caminho?)


6 - CAJADOS & BASTÕES DE CAMINHADA

O peregrino que faz o estilo "hi-tech" tem como equipamento indispensável o bastão de caminhada (aquele tipo esquiador) uns de alumínio, outros de materiais mais nobres como o titânio com regulagem telescópica. Outros peregrinos preferem o tradicional cajado que é vendido na Espanha e é confeccionado de galhos de “avellano” (avelã). O importante é citar que este acessório é fundamental para a caminhada com segurança, sendo usando tanto nas subidas como nas decidas, e mesmo em terreno plano para dar cadência à caminhada.

As dicas para quem optar por bastões de caminhada são:

• Escolha um que seja fácil de manusear. Os bastões devem ser colapsíveis, como antenas de automóveis, que se recolhem. Eles têm um sistema de travamento por rotação. Alguns são complicados e difíceis. Escolha um simples, fácil de soltar e prender. Regule-o para sua altura, prenda firmemente e coloque seu peso, com força sobre ele, para ver se não solta. Nas subidas e descidas, é desagradável e perigoso apoiar-se num bastão que não suporta seu peso. Depois desse teste, tente soltar o travamento por rotação. Se tiver que fazer muito esforço, desista. Procure outro par.

• Observe o conforto. Os bastões têm uma correia presa à manopla, que deve ficar em volta de seu pulso. Essa correia é muito interessante, e serve mesmo como apoio em momentos de cansaço. Teste-a movendo o bastão para cima, para baixo, para os lados. Se a correia aperta ou é desconfortável, procure outro bastão.



• Observe as manoplas. Se suas mãos costumam suar, não utilize manoplas plásticas. Além de escorregar, podem provocar bolhas. Procure manoplas de espuma ou outro tipo que absorva melhor o suor.

• Observe o peso. Qualquer grama faz diferença quando você está no Caminho. Bastões leves são a melhor escolha, se você costuma viajar com pouco peso.

• Verifique a estabilidade. Alguns bastões são de fibra de carbono, projetados para curvar-se conforme o peso. Faça um teste no momento da compra, para ver se eles não se curvam demais, a ponto de dar a sensação de instabilidade. Segundo alguns usuários os franceses da marca Simond, entortaram um pouco durante a caminhada, mas são bem estáveis.

• Cada terreno exige um tipo de ponta do bastão, que agarra mais ou menos ao piso. Normalmente a maioria tem a ponta serrilhada, mas têm uma cobertura plástica removível. Conforme o terreno, tira-se a cobertura.

• Pense no empacotamento da bagagem. Certamente você vai viajar de avião e terá que despachar o equipamento ou, no mínimo, enfiá-lo naqueles compartimentos minúsculos. Escolha um bastão de três seções, que encolha até uns 60 centímetros. Tudo ficará mais fácil.

• As manoplas de espuma dão a sensação de serem mais quentes que as de plástico, madeira ou borracha em baixas temperaturas. Faz uma diferença.

• Para neve, verifique se os bastões têm o que eles chamam de "snow baskets", uma peça plástica com 9 a 10 centímetros de diâmetro, fixada pouco acima da ponta do bastão, que ajuda a fazer apoio sobre a neve fofa.

• Mantenha-os limpos. Verifique se é possível separar bem as várias partes dos bastões de modo a mantê-las limpas e secas. Assim, a vida útil de seus bastões será bem prolongada.

Colaborador: Tácio Renato (AACS-Brasil)

VOLTAR