RESUMO DAS ETAPAS DO CAMINHO FRANCÊS


RESUMO DAS ETAPAS DO CAMINHO FRANCÊS

Saint Jean Pied de Port a Roncesvalles (25,7 Km)Os trechos de aclive com maior dificuldade são de Huntto até o mirante, e do Alto da Cruz até Collado Bentartea e proximidades do Collado Lepoeder. O trecho em declive de maior dificuldade é o de Collado Lepoeder na direção do caminho de bosques a Roncesvalles. Muito cuidado na descida se o terreno estiver escorregadio por causa do mau tempo. No Collado Lepoeder existe a opção de descer por Alto de Ibañeta por pista asfaltada e descida mais suave. Os pontos relevantes da etapa são os aclives dos Pirineus, as belezas naturais, e a descida perigosa do bosque que leva a Roncesvalles.

Roncesvalles a Zubiri (21,9 km)Os trechos em aclive de maior dificuldade são de Espinal até Alto de Mezkiritz e de Lintzoain até Alto de Erro. O trecho em declive de maior dificuldade é o de Alto de Erro até as proximidades de Zubiri. As caminhadas entre grandes pedras exigem muito dos joelhos. Os pontos relevantes da etapa são alguns frondosos bosques. As trilhas acidentadas foram melhoradas e os caminhos de brita fina acabaram com a maioria das dificuldades em caso de mau tempo.

Zubiri a Pamplona (22,5 Km)Os trechos em aclive são suaves, e o declive mais acentuado na localidade de Arleta em direção a Villava. O caminho após Zubiri pela fábrica de cimento foi melhorado. Em Zabaldika um novo caminho alternativo foi criado, mas não está sinalizado como caminho de Santiago. Os pontos relevantes da etapa são as trilhas em áreas muito bonitas as margens do rio Arga, alguns bosques, a trilha em aclive de Zabaldika, e a passagem do caminho pelo centro urbano de Pamplona.

Pamplona a Puente de La Reina (24,6 Km)Os trechos de aclive com maior dificuldade são das proximidades do povoado de Zariquiegui até Alto del Perdón. Os trechos de declive de maior dificuldade são de Alto Del Perdón até as proximidades do povoado de Uterga. Os pontos relevantes da etapa são as trilhas nas proximidades de Alto del Perdón, e a descida para o povoado de Uterga através de longo caminho de pedras soltas, em torno de dois quilômetros.

Puente de La Reina a Estella (24,2 Km)Os trechos de aclive de maior dificuldade são de Puente La Reina até ao povoado de Cirauqui, e na entrada do povoado de Lorca. Os trechos de declive são suaves e sem muita dificuldade. Os pontos relevantes da etapa são as trilhas na subida de Mañeru. As novas trilhas na saída de Puente de La Reina e a conclusão das obras da autovia acabou com as dificuldades existentes para chegar a Mañeru.  Em Villatuerta prestar atenção na sinalização para sair do povoado.

Estella a Los Arcos (21,6 Km)O trecho de aclive mais significativo vai da entrada do povoado de Azqueta até as proximidades do povoado de Villamayor de Monjardin. Os trechos de declives são suaves e sem muita dificuldade. Os pontos relevantes da etapa são: Ausência de bosques e lugares desérticos sem sombras. Longos caminhos de terra através vinhedos de Villamayor a Los Arcos. Não se esquecer de levar água e lanche!

Los Arcos a Logroño (28,8 Km)O trecho de aclive mais significativo vai da saída do povoado de Torres Del Rio até a região de A Bargota. A região de Bargota está melhor sinalizada e as trilhas recuperadas.  O trecho de declive mais significativo é após a região de A Bargota até as proximidades do entroncamento com a estrada N-111(2,4 km). Os pontos mais relevantes da etapa são as trilhas e pequenas subidas e descidas no trecho de Torres Del Rio até A Bargota. Na região de Pântano de Lãs Cañas próximo a Logroño existem duas sinalizações. Em frente ou à direita. A melhor opção é seguir em frente. A entrada na cidade de Logroño é demorada, mas bem sinalizada.

Logroño a Nájera (30,1 Km)Os trechos de aclives mais significativos são do Pântano La Grajera até Alto de La Grajera (2,4 km) e da região de Ventosa até Alto de San Antón (2,8 km). Os trechos de declive são suaves e sem muita dificuldade. Os pontos relevantes da etapa são a passagem pelo parque de La Grajera, e as trilhas com muitas pedras na região de Alto de San Antón. Na região de Alto de San Antón os peregrinos empilham pequenas pedras ao longo da trilha dando um bonito visual. Na região de Sotés duas opções: Passar em Ventosa ou seguir em frente ao Alto de San Anton. Melhor opção seguir em frente!

Nájera a Santo Domingo de La Calzada (23,3 Km)O trecho de aclive mais significativo vai da região de Alessanco, após Azofra, até as proximidades do povoado de Cirueña (6,3 km). O trecho de declive mais significativo inicia na região do povoado de Cirueña até as proximidades de Santo Domingo de La Calzada(4,2 km). Os pontos relevantes da etapa são a ausência de bosques e lugares com sombras. Longos caminhos de terra através cultivos e vinhedos. Para o desespero do peregrino na altura do campo de golfe de Ciriñuela foram instalados vivendas de luxo, e o traçado foi alterado ao meio das construções. Atenção com a sinalização!

Santo Domingo de La Calzada a Belorado (23,4 Km)O trecho não apresenta grande variação de altitudes. A subida mais importante é o desvio a esquerda da estrada para passar em Viloria de Rioja. Alguns prosseguem pelo acostamento da estrada sem passar por Viloria de Rioja o que diminui o percurso em 1,2 km, e seguindo direto a Villamayor Del Rio. Os pontos mais relevantes da etapa são as longas caminhadas por andaderos, ao lado da estrada N-120, a a passagem pelo povoado de Grañón onde está o famoso albergue da Iglesia San Juan Bautista aos cuidado do Padre Juan Ignácio, e as belas paisagens dos montes entre Grañón e Viloria de La Rioja.

Belorado a San Juan de Ortega (24,3 Km)O trecho de aclive mais significativo é de Villafranca Montes de Oca até Alto La Pedraja (4,9 km). Os trechos de declive são suaves e sem muita dificuldade. Os pontos relevantes da etapa são as áreas de bosques a partir de Villafranca Montes de Oca, e o Monastério de San Juan de Ortega.

San Juan de Ortega a Burgos (26,7 Km)O trecho de aclive mais significativo começa na saída do povoado de Atapuerca até o Alto de Atapuerca (2,3 km). Os trechos de declives são suaves e sem muita dificuldade. Os pontos relevantes da etapa são as áreas de bosques entre San Juan de Ortega e Agés, e o trecho de aclive por caminhos pedregosos circundando o polígono militar, na direção de Alto de Atapuerca. Após a cruz de madeira do Alto de Atapuerca seguir na direção de Villaval. Sem entrar em Villaval seguir por estrada a Cardeñuela-Riopico e Orbaneja-Riopico. Após Orbaneja-Riopico e cruzamento da autovia surgem duas opções: Seguir em frente por estrada asfaltada que leva direto a Villafría de Burgos, e depois pela Zona Industrial até Burgos. A outra opção e atualmente a melhor é dobrar à esquerda passar em frente ao novo condomínio unifamiliar(área do antigo quartel), e seguir por um novo caminho de terra que contorna as ampliações do Aeroporto de Burgos e prossegue a Castañares. Em Castañares entrar pela N-120 em Burgos. Após o cruzamento da N-120 com a ponte sobre a via férrea pegar à esquerda uma rua que leva ao Paseo do rio Arlanzón. A sinalização do caminho manda seguir em frente, mas o caminho alternativo as margens do rio Arlanzón leva direto ao Arco de Santa Maria no centro de Burgos sem passar pelo movimento intenso e complicado da cidade.

Burgos a Hornillos del Camino (21,0 Km)Os trechos de aclives mais significativos são da saída de Rabé de las Calzadas até o Alto de Hormaza (4,5 km). Os trechos de declives mais significativos são do Alto de Hormaza até Hornillos del Camino (2,4 km). Os pontos mais relevantes da etapa são os cuidados com a sinalização na saída de Burgos na região de Villabilla de Burgos e Tardajos. Após Tardajos o caminho de terra foi melhorado e terminou a dificuldade existente na época das chuvas.

Hornillos del Camino a Castrojeriz (19,5 Km)Os trechos de aclives mais significativos são de Hornillos del Camino até a região de Arroyo Sambol (6,9 km). Os trechos de declives mais significativos são das ruínas de San Miguel até proximidades de Castrojeriz (4,9 km). Os pontos mais relevantes da etapa são: As trilhas da região de Hornillos del Camino ao albergue de Arroyo Sambol, que apesar da ausência de bosques transmite uma paz interior muito grande. As trilhas de Hontanas com mau tempo, podem complicar um pouco o caminhar.  O caminho as ruínas de San Miguel e Convento de San Antón nas proximidades de Castrojeriz são os pontos relevantes da etapa.

Castrojeriz a Frómista (26,2 Km)O trecho de aclive mais significativo é da saída de Castrojeriz até o marco geodésico da Colina de Mostelares (3,1 km). O trecho de declive mais significativo é após a ultrapassagem da Colina de Mostelares (1,4 km) e o restante dos 7 km por descidas suaves. A Colina de Mostelares e a Ermita Albergue de San Nicolas nas proximidades da Puente Fitero (Itero del Castillo) são os pontos relevantes da etapa. Foram iniciados trabalhos de asfaltamento na região de Boadilla del Camino.

Frómista a Carrión de Los Condes (19,5 Km)Os trechos são suaves e sem dificuldade. O próximo povoado após Frómista é Población de Campos. Na entrada do povoado siga em frente e atravesse a ponte, e logo em seguida aparecerá o andadero de Revenga de Campos. Não há necessidade de passar em Villovieco. A monotonia dos andaderos ao lado da estrada e a passagem pelo povoado de Villalcázar de Sirga são os pontos relevantes da etapa.

Carrión de los Condes a Calzadilla de la Cueza (17,2 Km)Os trechos de aclives e declives são suaves e sem dificuldades. Jamais esqueça a provisão de água e lanche, pois não existem pontos de apoio. A Passagem pelo Monastério e Museu de San Zoilo na saída de Carrión de los Condes, e os longos e retilíneos caminhos através campos desertos até Calzadilla de la Cueza são os pontos relevantes da etapa. Foram iniciados trabalhos para asfaltamento até Calzadilla de la Cueza.

Calzadilla de La Cueza a Sahagún (21,6 Km)Os trechos de aclives e declives são suaves e sem muita dificuldade. Na saída de Calzadilla de la Cueza existem três opções a seguir. A menor e mais cômoda são os novos andaderos ora à direita, ora à esquerda da rodovia, que levam a Sahagún. A monotonia dos longos andaderos, e a falta de bares e fontes para reabastecimento de água para um lanche são os pontos relevantes da etapa.

Sahagún a El Burgo Ranero (17,9 Km)Na saída de Sahagún cruzar ponte sobre rio Cea, e seguir por andadero (4 kms) ao lado da estrada. Ao término do andadero muita atenção. Cruzar estrada na altura do viaduto que vai a Calzada Del Coto, uma variante do caminho. Ficar atento a um marco branco com a Cruz do peregrino no local que inicia o andadero de El Burgo Ranero. Os trechos de aclives e declives são suaves e sem muita dificuldade. A monotonia de longos andaderos sem nenhuma sombra e as árvores plantadas de 9 em 9 metros ao longo do caminho que por enquanto não proporcionam áreas sombreadas são os pontos relevantes da etapa. Possui também muitas áreas de descanso ao longo do caminho.

El Burgo Ranero a Mansilla de Las Mulas (18,9 Km)Na saída de El Burgo Ranero retornamos ao andadero das árvores de 9 em 9 metros. Os trechos de aclives de declives não apresentam grandes dificuldades. A monotonia dos andaderos com pouca sombra, e os caminhos retilíneos solitários são os pontos relevantes da etapa.

Mansilla de Las Mulas a León (18,5 Km)Os trechos de aclives são médios com destaque para o Alto Del Portillo na entrada da cidade de León. A etapa não apresenta declives importantes. O convívio do peregrino com o tráfego da movimentada estrada N-601, e a passagem do caminho no centro da cidade de León são os pontos relevantes da etapa. Preste atenção a sinalização na rotatória de entrada em León. Uma ponte azul cruza a autovia e leva o peregrino para o lado esquerdo da rodovia evitando o longo desvio para quem segue à direita.

León a Villadangos del Páramo (21,0 Km)Os trechos de aclives e declives são suaves e sem muita dificuldade. A longa saída da cidade de León pela estrada N-120, e a monotonia de caminhar muito tempo em acostamentos e andaderos sem lugares sombreados são os pontos relevantes da etapa. Até a entrada de Villadangos del Páramo foram adaptados novos andaderos de peregrinos.

Villadangos del páramo a Astorga (28,7 Km)O trecho de aclive mais significativo é de Puente de Órbigo ao Crucero Santo Toribio (10,2 km), e a entrada de Astorga. Os trechos de declives são suaves e sem muita dificuldade. Caminhos com muitas pedras na região de Vilares de Órbigo e Santibañez de Valdeiglésias que requerem paciência. A famosa Puente de Órbigo, o Crucero de San Toríbio, o Museu das peregrinações e Catedral de Astorga são os pontos relevantes da etapa.

Astorga a Rabanal del Camino (20,6 Km)Os trechos de aclives e declives são suaves e sem dificuldade, e com destaque para o trecho de El Ganso até a entrada de Rabanal del Camino (6,0 km). Os pontos relevantes da etapa são os monótonos andaderos ao longo de todo o trecho e o reaparecimento dos bosques nas proximidades de Rabanal del Camino. No entroncamento de Rabanal Viejo uma nova trilha leva até ao Roble Del Peregrino na entrada de Rabanal del Camino. Aos poucos novos andaderos estão tirando o peregrino da estrada sem acostamento.

Rabanal del Camino a Ponferrada (32,3 Km)Uma nova trilha bem sinalizada saindo do povoado de Rabanal Del Camino evita andar pelo asfalto até a entrada de Foncebadón. Após Manjarin uma nova trilha tira o peregrino da estrada até a entrada de El Acebo. Os trechos de aclives com maior dificuldade são de Rabanal Del Camino até Foncebadón e de Manjarin a Estación Militar. Os trechos de declives com maior dificuldade são de Estación Militar até entrada de El Acebo e de Riego de Ambrós até a entrada de Molinaseca. Os pontos mais relevantes da etapa são a passagem pelas ruínas dos povoados de Foncebadón e Manjarin e pela emblemática Cruz de Ferro. Em Ponferrada destaque para o Castillo dos Templários na entrada da cidade.

Ponferrada a Villafranca del Bierzo (21,2 Km)A saída de Ponferrada mais curta e indicada pelos guias antigos é por Cuatro Vientos. O trecho de aclive mais significativo é de Cacabelos até Pieros (1,6 km). Os trechos de declives são suaves e sem muita dificuldade. Os pontos relevantes da etapa são os trechos do caminho passando pela zona industrial de Cuatro Vientos saindo de Ponferrada pela Avenida del Castillo e depois pela Avenida Camino Santiago. Existe uma alternativa do caminho passando por Columbrianos e Fuente Nuevas, mas aumenta o percurso em 3 km e não possuem pontos relevantes de importância. Em Villafranca del Bierzo destaque para igreja de Santiago na entrada do povoado e em frente do albergue municipal.

Villafranca del Bierzo ao Cebreiro (27,9 Km)Os trechos de aclives com muita dificuldade são da saída de Las Herrerias até La Faba (3,0 km) e da saída de Laguna até entrada do Cebreiro (2,5 km). Os pontos relevantes da etapa são os trechos pelo novo andadero ao lado do rio Valcarce da saída de Villafranca Del Bierzo até Portela de Valcarce, e a subida através bosques fechados de Herrerias a La Faba. Alguns dividem a etapa em duas partes com parada em Trabadelo ou Valcarce.

Cebreiro a Triacastela (22,2 Km)Os trechos de aclive com maior dificuldade são de Liñares ao Alto de San Roque, e de Hospital da Condesa até o Alto do Poio (2,2 km). Os trechos de declives com maior dificuldade são os da chegada aos povoados de Biduedo e Filloval. Os pontos relevantes da etapa são o caminhar através belas paisagens nas regiões de Fonfria, Biduedo e Filloval, e algumas áreas de bosques em As Pasantes nas proximidades de Triacastela.

Triacastela a Sárria (19,5 Km)O trecho de aclive mais significativo é de Triacastela até Alto do Rio Cabo (5,2km). Os trechos de declives são suaves e sem muita dificuldade. Os pontos relevantes da etapa são os bosques fechados, as trilhas e caminhos com muita vegetação e muitas áreas de sombras. É um dos mais belos trechos do caminho de Santiago. É aconselhável levar lanche, pois a etapa passa por muitas localidades pequenas e sem apoio de bares e similares.

Sárria a Portomarin (22,9 Km)Os trechos de aclives de maior dificuldade são na saída de Sárria e a subida até a velha cadeia. Os aclives seguem por áreas de bosques até Ferreiros. Após Ferreiros poucos aclives e muitos caminhos asfaltados por pequenas localidades. Os declives são muito poucos, e somente a descida final ao Embalse Belezar requerem um pouco de cuidado com os joelhos. Os pontos relevantes da etapa são as trilhas e bosques na saída de Sárria e a entrada de Portomarin pela ponte do Embalse Belezar.

Portomarin a Palas de Rei (25,0 Km)O trecho de aclive de maior dificuldade é de Portomarin até Ventas de Naron (10,8 km). Os trechos de declives não apresentam muitas dificuldades. O ponto relevante da etapa é a grande proximidade entre si de pequenos povoados a partir de Gonzar (sete povoados ao longo de 15 km).

Palas de Rei a Arzua (28,7 Km)O trecho apresenta uma grande quantidade de aclives e declives de pequenas distâncias.  É uma etapa de muito desgaste físico pela topografia do terreno. Os pontos relevantes da etapa são as áreas de bosques de Leboreiro, Furelos, Boente e Ribadiso de Baixo. O albergue de Ribadiso de Baixo é considerado um dos mais cativantes do caminho pela sua praia de rio. É muito procurado pela dificuldade da etapa e pela beleza. Não recomendável na época de chuvas e no inverno. Existe a possibilidade de dividir a etapa com uma parada em Melide.

Arzua a Pedrouzo de Arca (19,9 Km)Os trechos de aclives e declives não apresentam dificuldades. Os pontos relevantes da etapa são muitas áreas de bosques ao longo dos povoados Calzada, Calle, Salceda e Empalme.

Pedrouzo de Arca a Santiago de Compostela (21,6 Km)Os trechos de aclives são de alguma dificuldade pelo acúmulo do cansaço e a ânsia de chegar. As subidas da última etapa estão na região de Amenal até Cimadevilla, e da região de Labacolla a Villamayor. Os trechos de declives não apresentam grandes dificuldades. Os pontos relevantes da etapa final a Santiago de Compostela são os grandes bosques de eucaliptos nas regiões de San Antón, Cimadevilla e San Paio. Depois de Lavacolla começam as estradas secundárias até o centro urbano de San Marcos com destaque para o monumento San Francisco peregrino, e o albergue Monte Del Gozo. Uma pequena descida, e as últimas escadas que dão acesso ao cruzamento da auto-estrada A-9. Mais a frente seguindo a sinalização moderna da cidade dobramos à esquerda na Avenida dos Concheiros. Seguindo a sinalização ao longo da Calle San Pedro logo o peregrino chega a Puerta del Camino. A partir daí faltam 500 metros para chegar a Catedral de Santiago de Compostela. E aí é partir para o abraço a Santiago!

Colaborador: Tácio Renato (AACS-Brasil)

  ‎VOLTAR