1.961, UM ANO QUE DEIXOU SAUDADES!

   
1.961, UM ANO QUE DEIXOU SAUDADES!

Estive recluso no Ibaté, apenas durante o ano de 1.962. 

Contudo, lembro-me bem, fosse nos recreios, no futebol, nos estudos ou no refeitório, invariavelmente, alguém se lembrava, com intensidade, dos que tinham encerrado seu ciclo naquele sodalício no ano anterior. 

E, por conseguinte, haviam ascendido ao Seminário Redentorista, sito na cidade de Aparecida do Norte SP, para continuar sua preparação rumo ao noviciado.

Como eu nascera e fora criado na zona rural de Itu, sentia-me muito bem junto a natureza. 

De forma que nos horários destinados ao lazer, passava momentos idílicos, percorrendo os arredores daquele imponente casarão, admirando a mata cercana e ouvindo deliciado, o canto das mais variadas espécimes de aves que ali habitavam.

Numa dessas andanças costumeiras, ao caminhar próximo do local onde eram encenadas as peças de teatro, encontrei, esquecido debaixo de um pé de amora, um exemplar do “Ecos da Tribuna”, ano 1.961.

Curioso, pus-me a folheá-lo e, mesmo sem conhecer a maioria dos colegas ali citados, dei boas gargalhadas por conta da verve humorística externada pelos colaboradores daquele simpático jornalzinho.

No final do ano, ao regressar para a casa de meus pais, aquele singelo periódico me acompanhou e, por conta das vicissitudes da vida, ficou esquecido entre meus guardados.

Dia destes, quando fazia minucioso “seiri” em minhas gavetas, ei-lo que surge, páginas amarelecidas, com letras mimeografadas, quase ilegíveis pelo desgaste natural do tempo. Mas, com algum cuidado, ainda é possível manuseá-lo. Um lenitivo para minhas imorredouras lembranças.

Feliz e açodado, pus-me a reler seu conteúdo, coração oprimido por viscerais saudades de minha infância querida, vivenciada junto ao magnificente Saboó, recordações de um tempo que não retornará jamais.



Na contracapa, foi possível distinguir que o Diretor do “Ecos” era o saudoso Pe. João Bosco Camargo e, seu Presidente, o insigne Milton Isabel da Silva.

Para deleite dos amigos, transcrevo abaixo (sic) algumas “pérolas” extraídas diretamente daquela publicação, sob o título: “Exertos do Cronista

Dia 31/01/1961 – Volta das férias. As andorinhas regressam ao poleiro ibateense, o seminário. Mas, não contamos só com as andorinhas, há também o jacaré, o cavalo, o gato, a jaburu, o búfalo, muton, etc, etc.

Lágrimas saltitam alegremente de olhos chorosos e faces não menos inconsoláveis ao retirarem-se o papai e a mamãe. Algumas dessas lágrimas, atraídas pela curiosidade ou impulsionadas. ......... penetram numa caverna que se chama boca. Pobrezinhas, nunca mais verão a luz do dia. 

O magnifico trem japonês no dizer do Nakashima, finalmente afastou-se daqueles soluços e mar de lágrimas. Balançamos de cá e de lá, para aqui e acolá, e afinal estamos em São Roque.

As férias foram tão curtas que muita gente só se lembrou de beber água no primeiro mergulho na piscina. Resultado: piscina vazia e estômago desprezando a cinta. “Non est veritas?” Alanir, Fanchini, João Sorocaba?

Fevereiro

Dia 01 – O Zófian parece descendente de gorila turco. Permaneceu o dia todinho fortalecendo os bíceps para lutar com o Dorbel.

Dia 02 – Um grande botânico descobriu numa escavação, recentemente que a mão do Grígio é maior do que os quatro primeiros da fila, outro em cima de..

Dias 3, 4 e 5 – Retiro pregado pelo cônego Pascoal Cristófaro.

Dia 6 – Encerramento do retiro: Colegas, não nos esqueçamos dos avisos e oportunos conselhos. Imploremos o auxílio do céu e coloquemos a teoria em prática.

Rezemos também pela alma do genitor de José Carmo. Também, o cronista, viu o próprio pai inerte para sempre em circunstâncias semelhantes. “Réquiem aeternum dona”.

Dia 7 – O lobisomem de um grilo chupou o sono de muita gente. Por exemplo, o Martini passou a noite toda sentado na cama, peixeira na mão direita e terço na esquerda.

Dia 8 – O Enio ainda está comovido com o filme que assistimos em São Roque e o Pesce anda invocando a santa Téta.

Dia 9 – Véspera do dia 10.

Dia 10 – Sua Eminência oficiou a Santa Missa, implorando a benção do Divino Espírito Santo em favor de nossos estudos, que hoje se iniciam.

Dia 11 – Sua Eminência celebrou o Santo Sacrifício na gruta, para comemorar o segundo dia de aula. Hoje é feriado. Os veteranos imploraram com lágrimas este ... “Ad alegrandos novos”. A intenção foi louvável.

Dia 12 – Reparação ao Sagrado Coração de Jesus pelas faltas do carnaval.

Dia 13 – O Floriano no refeitório: “Sobrinho, engula a comida, mas, depois de triturá-la bem. O feijão, estando inteiro pode “obstruir” uma cavidade qualquer do coração e pronto, era uma vez um prefeito de São José.

Dia 14 – Alguns tem aula na biblioteca dos padres, diante de uma televisão (desligada), bem feito!

Dia 15 – Cinzas – jejum – abstinência.

Dia 16 – Coisas incríveis tem acontecido nesse nosso seminário. Nem Sherlock Holmes acreditaria. Imaginem: sumiu a barbicha do Elanir. Pouco depois o repórter profissional Pardangelini anunciava: - Atenção, muita atenção, hoje cai tempestade.. E caiu!

Dia 17 – Belo show! Interessante: Vocês já viram anjo de luto? No entanto surgiu, como por milagre aleijado, o anjinho do Manoel Nelson à la Afrique. E aquelas asas, que por desbotamento eram brancas, estavam quase caindo de vergonha.

Dia 18 – Nunca vi o primeiro colegial tão alegre e orgulhoso. Ninguém percebeu o porquê. Mas, como sou muito esperto, descobri. Olha, caro leitor, vou contar, mas cuidado, que ninguém saiba, heim! – É que eles tem aulas reunidas, hoje, com o pomposo segundo colegial.. Não há dúvida que com os 

melhores alunos da diocese estão no segundo colegial. Nós também fazemos coro com eles, não é distinto leitor?

Dia 21 – Enriqueçam o seu vocabulário. Pode falar mestre Sabino: - Meus senhores, eis as novidade da academia Sabinotudo: 1º Sartei, 2º parei, continuei e parei de novo, 3º não carece, 4º Sartei, parei, parei e sartei. Devem-se usar os sinônimos para não repetirmos os mesmos vocábulos sempre. Há, 

porém, um que substitui a todos vantajosamente: - “Trem Velho!”

Dia 24 – O Cleirivan descobriu, folheando vários documentos a respeito da descoberta do Brasil, que não foi o seu irmão quem descobriu o Brasil. Quid?

Dia vinte e não sei quanto – O Venício veio buscar a dentadura, esquecida na caixa de sapatos.

Dia posterior ao anterior – Alguém virou compositor. Cantemos todos juntos, a valsa do Sabino “topa-tudo” (música de Lampião de gás) – Sartei parei contigo, êta nóis, hoje é dia da prébe sê servente!

El CRONISTA: “IRACUNDO DA PAZ”


Abril

Dia 19 – Quando a irmã foi colocar as facas nas mesas para o almoço (pois viera carne moída), o Bosco com toda a sua experiência de longos anos, foi investigar o caso... chegou perto da mesa do C.Rosa e do Delboux e olhou por baixo...

À noite os Josefinos estavam todos assustados pois havia um bicho voando pelo dormitório. Muitos então chamavam pelo Zelão, para que os socorresse, pois, dias atrás o mesmo Zelão com certeira toalhada abatera espetacularmente, e com toda a classe que lhe é peculiar, um morcego de 

gigantescas proporções. Logo depois, porém, os Josefinos se acalmaram, pois, foram avisados que o animal era “uma simples borboletinha”.

Dia 20 – O Santo porteiro do céu ouviu dizer que hoje haveria passeio, e como ele tem alergia por esta palavra, resolveu abrir as fontes do abismo celeste. Resultado: cinco aulinhas com lições por escrito.

Dia 21 – “Dia da Pátria” – Viva nosso protomártir da Independência – “Tiradentes”!

Dia 22 – Os dominicanos em reunião deliberaram modificar a posição do campo de digetibol. Depois de eles haverem destruído o velho e iniciado o novo, soube-se que tiveram a devida permissão para tal... e aí a filosofia do Isabel entrou em ação: começar tudo de novo!

Dia 23 – A sexta série devido às conjumerências atmosféricas da combinação assigmática da molécula tetravalente de carbono orgânico, foi promovida para a classe superior. “Parabéns”, apesar de ninguém ter perguntado!

Dia 26 – Silêncio sorumbático no “estudão”. Os lustres estremecem, os cadernos e os livros voam das carteiras, o estudo todo estremece, os vidros trincam-se. Tudo se acalma quando o Frutuoso guarda seu alvo lencinho, que, aliás, ficou todo furado e a carteira suja.

Dia 27 – Aulas e lição por escrito.

Dia 29 – “Ad muitos annos”, são os votos dos alunos ao nosso prezado Pe. Ruy. Que Deus, Nosso Senhor, lhe repita muitas vezes ainda esta festiva efeméride.

Dia 30 – Auspiciosa visita do Revmo. Sr. D. Armando Lombardi, digníssimo Núncio Apostólico, no Brasil. À hora do solene ágape, após as glosas costumeiras, o Sr. Núncio, deu-nos um feriado. A turma até hesitou em bater palmas, tal foi o choque recebido. E por falar em feriado, quem não está contente...

Dia 1º de maio – O dia é duplamente festivo: dia de São José o orago da divisão dos maiores e, também, de homenagem ao nosso querido D. Zioni. VIVA O NOSSO BISPO!

Dia 2 – O senhor Bispo ficou emocionado com o empolgante teatro exibido. O carcereiro é que merecia ser executado.

Dia 4 – No grêmio o Grandini pretendeu quebrar a tradição de há 9 anos. Nervoso como estava só podia inspirar medo e não reformas. A expiriência...

Dia 5 – Distribui-se hoje o jornalzinho “Salve Maria”. Imediatamente o Cleirivan foi ver se havia notícias esportivas.

Dia 6 – Dias dos aniversariantes do mês passado. Houve gente que comeu a granel, né Elanirzinho? E.. o Rolando, esse gordinho e baixinho, por ser o mais novo, o caçulinha da turma, cortou o bolo. Alguém, de fato, gritou: - quem diria “Rolando”!!!

Dia 10 – Aniversário do Rvmo. Pe. Bosco, diretor do nosso grêmio literário. Houve gente que na hora do discurso saiu correndo, para não discursar, não é Cleverton?

Dia 12 – O Freitas, ficou azul com o big pito que levou no refeitório. Coitado! Teve que assistir televisão de baiano!

Dia 13 – Jogo: pretos x brancos, escalaram o Vitor Tadeu para completar o time dos brancos. Ora, ora, seu Claudino!

Dia 14 – Dia das Mães – Sabem porque o Tonico, cortou o cabelo bem curtinho? Não? Porque acabou a sua “GLOSTORA PASTOSA”.



Dia 15 – O Dilson Branco ganhou a chupeta do Aristides. Informou o Jamil....

Dia 16 – Aula de latim para a 3ª série. O Darly resolve comer uma bananada durante a aula, conseqüência: “negativa”. Véspera do almejado passeio. Nem o Piu-Piu confiava na chegada dos caminhões de pedra.

Dia 17 – PASSEIO. “Oba” exclamou o Frederico. O Nirtinho e o Amstalden cansaram de dar banho nas minhocas.

Dia 18 – Limpeza das baleias. O Tonhão comeu tanto que teve de andar sem cinta três dias. E o Rato (Getúlio), também, mas acontece que ele comeu e saiu com os bolsos cheios.

Dia 19 – O Oscar, o Marco e o Campioni converteram-se e cortaram o cabelo tipo militar. Custou, heim!!

Dia 20 – Visitas! “Viva” o F.N.M. Gritaram o Oscar e os serventes.

Dia 25 – Em pleno estudo o sineiro Edanir fazendo a sua sestinha, o relógio correu 30 minutos, 31, 32, 33, 34, e quando beirava os 35, aparece o professor de latim e o acorda puxando pelos cabelos, dizendo alto: ‘BENEDICAMUS DÓMINUM. O “benedicamus” quase o deixou careca.

Dia 28 – O Bonsucesso da recreação de São José goleia o Flamengo por 3 x 1. Parabéns players de General Severiano. Durante o jogo o Bosco deu uma tremenda cocada na pelota que se fosse o Torcato, iria direitinho para a cidade dos pés juntos.

Dia 26 – O Nirtinho e o Jurado, fazem um belo papagaio de capa de “SUAVEX” bossa nova.

Dia 27 – Atenção jogadores para uma nova regra: no volley “escorregadinha”. No futebol: “morrinho”.

Dia 30 – ORAÇÃO DOS JOSEFINOS:

  • Das caneladas do Isaías........: Livrai-me!

  • Da língua do Angelini...........: Livrai-me!

  • Que o Cavalo de São Jorge..: Dê um coice nos foras do juiz izaías, com letra minúscula!

  • Que a espada de São Jorge corte os chifres do Ela!

  • Que o escudo de São Jorge nos resguarde dos coices do Correia!

  • Que o cachorro de São Roque faça o Abreu correr em campo!

Dia 31 – O Turco limpando o refeitório, ao ver a catástrofe do Grígio com 21 chícaras, exclamavit: “Pobre colega, hoje mesmo estarás no quarto do padre”.

Cronista: Jardim Viriato – 3º Clássico

 
 
 
(*) Publicada no Echus nº 107,  Ano 17, de março/abril de 2010