O que Aprendi com o Caminho de Santiago


O QUE APRENDI COM O CAMINHO DE SANTIAGO


Autor: Virgílio Pereira Junior (*)


Fazer o Caminho de Santiago foi como entrar num Túnel do Tempo onde pude reviver os melhores momentos de minha vida. Iniciei minha peregrinação no dia 26 de junho de 2007 (meu Aniversário 55 anos) em Pamplona e o concluí em 26 dias, chegando a Santiago de Compostela no dia do aniversário da minha esposa. Emoção sem limites quando se entra pela primeira vez na CATEDRAL DE SANTIAGO, muita choradeira, uma energia estranha invade as pessoas, assim como a mim, não sei descrever, só vivendo esta emoção.

São momentos únicos de Introspecção, imprevistos que me enriqueceram muito minha alma, eliminando meus medos, me levando ao inesperado, onde revivi experiências de toda minha vida anterior ao Caminho e vivi outras pelas quais jamais tinha passado; encontrei pessoas de todas as partes do mundo, mesmo não falando as outras línguas me entendi com elas, fiz amizade com muitos, recebi muitas orientações, ajuda e até mesmo alimentação. Disso tudo, posso compartilhar o que aprendi:

Simplicidade – A VIDA simples é muito mais fácil de se VIVER, não carregar muito, por que tanta coisa, precisamos de pouco, assim o fardo fica mais leve, ficando mais leve vou mais longe, vivi 90 dias na Espanha com 12kg, na Mochila, coisas materiais são apenas materiais da vida nada se leva, apenas amizades, conhecimento e sabedoria.

Valores e Crenças – Meus valores, minhas crenças mudaram muito, aprendi a não ser dono da verdade, cada um tem a sua verdade, entendo melhor o meu semelhante, sempre respeitar a Verdade do Outro.

Limitações – Sei agora das minhas limitações, sei até onde posso ir, e sei que posso, não tem Caminho longo, todos começam com um primeiro passo, e somando todos faz-se um Longo Caminho.

Tempo – Maravilhoso, precioso, não deixar passar em branco, ficar quieto quando um pássaro vem ao jardim e poder aprecia-lo por um período maior.

Diferenças – Aprendi a conviver melhor com as diferenças, entender melhor o meu semelhante, ouvir o Ronco do outro e não reclamar, dormir num Albergue com mais de cem pessoas.

Metas – Viver pequenas metas diariamente, as pessoas me perguntam como conseguiu andar quase 1000km? respondo fazendo 25 a 30 km por dia, vivendo cada dia como se fosse o último da minha vida.

Conhecimento – Passar o conhecimento para frente, a Sabedoria, o que adianta morrer comigo o que só Eu sei ou penso que sei, tudo que aprendi no Caminho passo com o maior prazer a quem desejar, para aliviar o seu Caminho.

Medo – Não ter medo, não recuar, depois que descobri o caminho levei nove anos para fazer, pensando que não conseguiria, depois, vi foi tão fácil, não tive nem bolha nos pés, não fiquei cansado, a Mochila era leve.

Curtir – Curtir os momentos da Vida, não ter pressa, conversar mais com as pessoas que amamos, quando vou a casa de um amigo ou parente não tenho mais pressa de ir embora Vivo aquele momento, sentar a beira da estrada e comer um sanduíche de salame com queixo e suco e pêssego ou um gole de vinho, não existe lanche melhor.

Cuidar do Corpo e da Alma – Abri melhor minha consciência para as Maravilhas que o Universo colocou em minha vida; parar olhar para trás as vezes a paisagem é muito mais linda que a da frente.

Ultreya!

(*) O texto original deste relato foi publicado no site: http://amigosdocaminho.com.br, que se trata da página oficial da Associação Catarinense dos Amigos do Caminho de Santiago de Compostela (ACACSC)