Home‎ > ‎Caminho de Santa Paulina‎ > ‎

7º dia: NOVA TRENTO à VÍGOLO à NOVA TRENTO - 16 quilômetros


7º dia: NOVA TRENTO à VÍGOLO à NOVA TRENTO - 16 quilômetros

Altimetria e distância a ser vencida nessa jornada, capturada pelo peregrino Perdiz no Google Earth.

Relembrando as jornadas anteriores, a de hoje seria apenas um passeio, em vista de sua curta extensão.

Na verdade, foram dias raros aqueles vivenciados até aqui, desses em que não é preciso acontecer absolutamente nada para se saber que são os melhores da vida.

Planejávamos partir mais tarde que o de costume, mas como o café da manhã foi servido às 6 horas, prontamente tomamos nosso desjejum, e partimos às 7 horas, quando o dia lentamente amanhecia.


Interior da Igreja Matriz de Nova Trento.

Seguimos por ruas movimentadas e quando passamos diante da igreja matriz da cidade, fizemos uma pausa para fotos e, posteriormente, sem pressa, fomos conhecer o seu interior.


No Caminho para Vígolo.

Deixamos a cidade por sua avenida principal e, em determinado ponto, giramos à direita, ultrapassamos um afluente do rio do Braço por uma ponte e prosseguimos adiante pela rodovia SC-108, que segue em direção à cidade de Brusque.

Sabíamos pelo Carminatti que a caminhada de hoje seria toda urbana, de forma que prosseguimos dividindo espaço com os veículos, visto que naquele horário o trânsito se mostrava expressivo.


Capelinha de 1876.

Em determinado local ocorreu uma bifurcação, diante de uma belíssima capela data de 1876, que foi integralmente reconstruída em 1976 e, atualmente, veste cores novas.

Aproveitando a ocasião, empreendemos uma visita ao seu interior para fotos e orações.


Interior da Capelinha.

O minúsculo templo era um oásis de silêncio e tranquilidade em meio ao eletrizante e barulhento tráfego de uma estressante segunda-feira, para quem estava se dirigindo ao trabalho.


No Caminho entre Nova Trento e Vígolo, onde está situado o Santuário de Santa Paulina.

Então, obedecendo à sinalização, tomamos à esquerda e prosseguimos sempre por asfalto, transitando diante de inúmeras casas comerciais, onde o forte é o comércio de vinho e produtos coloniais.


Encontramos muitas vinícolas nesse trecho.

Nesse trecho passamos diante de inúmeras vinícolas, e uma das mais famosas é o Vinho Girola.


Casa onde Santa Paulina viveu com seus pais.

Num local situado a direita da rodovia, pudemos visitar o local onde existia a casa onde Santa Paulina viveu com seus pais, de 1875 a 1890, antes de fundar a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, em 12/07/1890.


Painéis pintados, representando suas visões, sonhos e milagres.

Ali existem inúmeros painéis desenhados com figuras representando suas visões, sonhos e milagres.


Lar de Apoio ao Peregrino de Santa Paulina.

Prosseguimos adiante e, depois de transitar diante da casa que alberga o “Lar de Apoio ao Peregrino de Santa Paulina chegamos finalmente diante de seu Santuário.


Visão emocionate do Santuário de Santa Paulina. Enfim chegamos!!

Uma das maneiras de adentrar ao templo é subir 113 degraus pelas escadarias situadas em sua parte frontal.


O Carminatti e eu optamos por seguir pela passarela lateral.

Porém, eu e o Carminatti, preferimos acessar uma passarela existente no lado esquerdo da igreja, com 170 metros de extensão, e por ali seguimos até a porta do Santuário, onde há uma estátua em tamanho natural de Santa Paulina.


Com os parceiros Perdiz e Carminatti, no Santuário de Santa Paulina: muita emoção e alegria!

Naquele local sagrado fizemos uma foto do grupo, em seguida, emocionados e agradecidos, adentramos à Basílica.


Adentrando ao Santuário de Santa Paulina para orar e agradecer.

Ali, compenetrado, pude fazer minhas preces e agradecer a benção de aportar àquele local sem maiores intercorrências.


No Santuário de Santa Paulina: momento gratificante.

Em seguida, fiz uma demorada visita à Capela Santa Paulina, à esquerda de quem entra no Santuário, onde há bancos com capacidade para acomodar 100 pessoas sentadas.


Junto à sua imagem, existe uma relíquia preciosa: o osso do braço de Santa Paulina.

Nela encontra-se a imagem da Santa, ladeada por dois anjos e uma relíquia representada pelo osso de seu braço, trasladada no dia da festa da dedicação, do antigo santuário para o atual.


O osso do braço de Santa Paulina.

Depois, sem pressa, fizemos demorada visita no entorno que, por sinal, é extenso e belíssimo.


O SANTUÁRIO DE SANTA PAULINA


Gruta existente no complexo que ladeia o Santuário.

O Santuário Santa Paulina é um parque ecológico, onde o visitante pode passear, orar, contemplar a natureza através do verde da paisagem, bem como pela beleza das flores, cachoeiras, animais, pássaros e belas trilhas.

Em cada espaço você sentirá a presença de Santa Paulina, através de cada marco histórico dedicado a ela e aos seus antepassados.


Gruta existente no complexo que ladeia o Santuário. O mesmo local, sob outro ângulo.

O Complexo oferece ao devoto uma estrutura de qualidade com restaurante próprio, hospedagem e loja de lembranças que possibilitam a todos aqueles que visitam o Santuário desfrutar de ricos momentos e ainda levar uma recordação.

Além da beleza arquitetônica do templo, o parque ecológico é um capricho da natureza.


Desnecessário maiores explicações...

São Bosques sempre verdes, desde o alto da montanha, até a planície do vale estreito e perfeito.


Riozinho que corta o complexo que ladeia o Santuário.

Aqui as nascentes cristalinas e puras correm as matas, brincam com as pedras e cantam sem parar.


Um obrigado especial ao Criador por conseguir finalizar mais um Caminho!

A glória de Deus é entoada também, pelo canto e encanto dos pássaros, sempre presentes e fascinantes.


Depois de deixar a casa paterna em 1890, Santa Paulina veio morar nesse casebre.

Fauna e flora completam a beleza sem igual, que extasiam os sentidos e inebriam a alma dos visitantes.


Esta igrejinha estilizada homenageia Santa Paulina e está localizada dentro do Complexo que abriga o Santuário.

A frase mais comum ouvida a partir da experiência dos visitantes é: “Aqui se respira paz e beleza”.

Daí, o status de santuário ecológico, porque fé, riqueza natural e beleza estão em harmonia e abundância, para serem contempladas.


Santa Paulina, rogai por todos nós!

A geometria do projeto remete ao formato de duas mãos em prece ou ainda de uma tenda, lembrando a itinerância dos peregrinos.

Este estilo permite a ventilação natural da nave central, por meio de uma lanternim, uma faixa contínua, localizada no eixo central da cobertura, direcionada ao céu.


O Complexo impressiona pela beleza e capricho em suas obras.

Mediante sua forma ascendente, busca a criação de um espaço repleto de luz, como forma de inspiração à meditação e às preces, à busca da espiritualidade e ao encontro com do divino.

Fonte: www.santuariosantapaulina.org.br/


Casa transformada em museu de Santa Paulina.

Depois de demorada visita em todo o complexo, onde pudemos orar e fotografar, com tranquilidade, todas as atrações ali disponíveis, retornamos tranquilamente à Nova Trento, mas especificamente, ao nosso local de pernoite.

Então, animados, fomos comer na mesma churrascaria onde almoçáramos no dia anterior.


No retorno, paramos para almoçar nesse local.

À tarde, o Perdiz e eu, optamos por uma soneca reparadora.


Divertindo no jardim da Pousada.

Porém, o intrépido e incansável Carminatti ainda reuniu forças para conhecer o “Morro da Cruz”, que se situa a 5 quilômetros da cidade, sendo que os dois primeiros quilômetros são em terra e os demais pavimentados.


Gruta de Santa Paulina existente no jardim da Pousada.

Trata-se de uma ascensão ingrime, pois parte de 33 metros para, depois, atingir 525 metros de altitude.


Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro - Morro da Cruz - Nova Trento

Nesse trecho, encontra-se instalado uma atração especial: o Museu da Cultura Italiana, que conta com acervo de duas famílias da cidade, com artigos diversificados, procurando dar mostras da cultura cotidiana da cidade, produzindo um sentido para cidade, indagando o passado como ponto de partida para ler a cidade.

Ali, agricultura, religiosidade e vida cotidiana são artefatos para narrar a cultura dos trentinos e seus descendentes, sem estabelecer um marco fundante.

No topo do morro, além da visita ao Santuário de Nossa Senhora do Socorro, é possível ter uma vista panorâmica de Nova Trento, Canelinha, São João Batista e, principalmente, do Vale do Rio Tijucas.

Ao longo da subida há 14 capitéis formando a Via Sacra e uma fonte de água potável e natural.

O Santuário abriga diversas relíquias centenárias, dentre elas, uma Cruz que foi implantada em 1899 e está localizada atrás da Igreja na parte mais alta do morro.


RESUMO TÉCNICO DESSA DATA, PRODUZIDO PELO PEREGRINO JOSÉ CARMINATTI


DIA 23-03-15 – NOVA TRENTO -VÍGOLO (7,5 KM)

Com tempo bom, saímos 07:00 h da Pousada Cantina Italiana

Às 08:51 h, no Km 7,54 chegamos ao Santuário de Santa Paulina.

DIA 23-03-15 – VÍGOLO - NOVA TRENTO (7,5 KM)

Por volta de 11:00 h retornamos a Nova Trento

DIA 23-03-15 – VISITA AO MORRO DA CRUZ – IDA E VOLTA (10,0 KM)

Trecho muito bonito com os dois primeiros quilômetros em estrada de chão e os outros três quilômetros são pavimentados

É uma subida bem exigente, partindo de 33 m e chegando a 525 m de altitude

Conta em seu trecho com o Museu da Colonização Italiana

No alto do Morro da Cruz, encontramos o Santuário Nossa Senhora do Socorro e de onde temos uma vista de Nova Trento, Tijucas, Canelinha, São João Batista.

Quando chegamos lá começou a chover, mas já tínhamos visitado e fotografado o local.

TOTAL GERAL DE QUILÔMETROS DE ARMAZÉM A VÍGOLO = 177,1

TOTAL DE QUILÔMETOS INCLUINDO VOLTA A NOVA TRENTO E MORRO DA CRUZ = 194,6



VOLTAR‎  -  EPÍLOGO