Home‎ > ‎Rota das Capelas‎ > ‎2017 - ROTA DAS CAPELAS‎ > ‎

FINAL


FINAL


Uma peregrinação se distingue de uma viagem comum pelo fato de que não segue um plano ou itinerário prévio, não tem em vista um alvo fixo ou um propósito limitado, mas contém seu significado em si mesmo, baseando-se num impulso interno que opera em dois planos: no físico e no espiritual.” (Anagarika Govinda) 


Com o amigo Romualdo em Aguaí/SP.

Poucos locais são tão propícios para reflexionar do que um avião, um navio, um trem em movimento ou uma peregrinação.

Há uma correlação quase estranha entre o que está diante de nossos olhos e os pensamentos que nos podem ocorrer: grandes pensamentos às vezes exigem grandes panoramas, novos pensamentos, novos lugares.

O pensamento melhora quando se atribuem outras tarefas a partes da mente.

A paisagem distrai por um tempo aquele setor nervoso, crítico e prático da mente que tem uma tendência a se trancar, quando percebe que algo difícil está vindo à tona na consciência, e que foge apavorado de lembranças, anseios, ideias introspectivas ou originais, preferindo, em vez disso, o aspecto administrativo e impessoal.

Ao fim de horas de devaneios, podemos ter a sensação de termos sido devolvidos a nós mesmos – ou seja, trazidos de volta ao contato com emoções e ideias de suma importância para nós.

Não é necessariamente em casa o melhor lugar para encontrar nosso verdadeiro eu.

A mobília insiste em que não podemos mudar porque ela não muda; o cenário doméstico mantém-nos atrelados à pessoa que somos na vida comum, mas que pode não ser quem somos na essência. 


Momento de grande alegria: a chegada à Igreja Matriz de Santa Rita de Caldas/MG.

Partindo desses pressupostos, diria que meu retorno à Rota das Capelas, proporcionou momentos de solidão e silêncio mas, também, de intensa introspecção; um profundo mergulho em meus sentimentos.

Foram somente três dias de caminhada, sob sol forte e clima árido, mas, ainda assim, retornei agradecido e renovado pela profunda experiência mística que novamente vivenciei nesse roteiro.

O aporte ao Santuário de Santa Rita de Caldas foi emocionante, pois coroou com louvor todo o meu esforço físico e religioso, após percorrer novamente esse roteiro sacro.


Bom Caminho a todos! 

Fev/2017 
 ‎VOLTAR