Home‎ > ‎Caminho de Santa Paulina‎ > ‎

NOSSA VIAGEM


NOSSA VIAGEM

Depois de duas horas num voo direto e sem turbulências que decolou de Campinas às 12 h 20 min, aportamos, o Gilberto Perdiz e eu no aeroporto de Criciúma, localizado no município de Forquilhinha.


Embarque em Viracopos /Campinas/SP.

Ali encontramos o companheiro Carminatti que nos aguardava ao lado do taxista contratado.

Rapidamente embarcamos todos e, após 1 h 20 min de percurso, chegamos à cidade de Armazém/SC, local de nossa partida no dia seguinte.

Depois dos necessários acertos monetários, nos registramos no Hotel Pinheiro onde, por uma diária no valor de R$60,00, pudemos desfrutar de um confortável quarto individual, dotado de wi-fi, frigobar, ar-condicionado, etc..

Sobre o Caminho de Santa Paulina que iríamos encetar, é importante ressaltar que ele não foi estruturado para peregrinos e, também, não está sinalizado por flechas indicativas.

Dessa forma, as jornadas são fixadas ao arbítrio do caminhante ou grupo, de acordo com a distribuição dos locais de pernoite.

Todos os hotéis e pousadas precisam ser reservados com antecedência, sob pena de não se encontrar vagas no momento do aporte à cidade.

Diferentes trechos podem ser abreviados, mas como as hospedagens não estão bem alocadas em cada cidade do trajeto, algumas etapas restariam de pequena extensão.

No nosso caso, contamos com a orientação e experiência do amigo Carminatti que, por quatro vezes, já havia percorrido esse roteiro.


Hotel Pinheiro, em Armazém/SC, com o Carminatti e o Perdiz deixando o estabelecimento para lanchar.

Bem instalados, e depois de um refrescante banho, saímos conhecer a pequena cidade, que dista 30 quilômetros da cidade de Tubarão e da rodovia BR-101.

Como o Perdiz preferiu ficar descansando, fui com o Carminatti até o morro da Cruz.


Gruta existente aos pés do Morro da Cruz.

Localizada num dos pontos mais altos de Armazém, o Morro da Cruz, como é conhecido, pode ser visto de qualquer local do município.

A cruz, com cerca de 19 metros de altura, inaugurada no Natal de 1993, foi idealizada e construída pelo dentista Nicolau Correa.

Após um ano de seu falecimento, sua esposa, Margarida Rodrigues Correa, relembra que a persistência de Nicolau era sua principal virtude.

Quando ele terminava os atendimentos em seu consultório, onde atuou por 60 anos, ele se trancava em sua salinha e ficava, por horas a fio, escrevendo. Era uma mania boa. De lá, saiu um de seus maiores projetos já idealizados: a cruz no alto do morro no loteamento Padre Anchieta”, comenta Margarida.


Cruz existente no topo do Morro homônimo.

A esposa de Nicolau fala que ele contou com a ajuda de um engenheiro para fazer o projeto. “Foi a única ajuda que ele obteve. Fora isso, toda a cruz foi construída com muito esforço e amor do Nicolau. Por cerca de dois anos, ele ia quase todos os dias para o morro dar continuidade à obra, enquanto ele não viu a cruz pronta ele não sossegou”, declara.

Margarida ressalta que o monumento é uma homenagem aos dezenove séculos e meio da morte de Jesus e os doze discípulos. “Nicolau era um homem muito católico. Ele tinha suas maneiras inacreditáveis de falar com Deus. Ele era tão envolvido que foi um dos fundadores do Movimento de Irmãos em Armazém”, completa.

Nicolau morreu no dia 06 de janeiro de 2010, aos 81 anos, vítima de leucemia. No entanto, antes de morrer ele mandou fazer um panfleto contando a história da construção da cruz e no verso uma ladainha de agradecimento feita por ele. “Sua maior luta foi pela vida. Ele não queria morrer de jeito nenhum, pois dizia que tinha muito a ser feito. Porém, quando ele percebeu que seria inevitável sua partida, ele confeccionou este folheto e nos preparou para sua partida”, fala emocionada a esposa.


Vista da cidade de Armazém, desde o Morro da Cruz.

Outro fato interessante sobre a cruz são as três palavras fixadas no monumento. “Paz, amor e justiça. Estas palavras faziam parte do cotidiano de Nicolau e ele fez questão de deixar eternizado na cruz. Se hoje ele estivesse vivo, sua maior felicidade seria ver a rua que dá acesso à cruz, pavimentada, como está agora”, revela Margarida.

A pavimentação que dá acesso à cruz, que à noite fica iluminada, foi inaugurada em março de 2010, três meses após a morte de Nicolau.

Fonte: http://www.folhaojornal.com.br/cruz-no-alto-de-morro-expressa-fe-e-luta


Igreja matriz de Armazém/SC.

Depois, seguimos até o centro da cidade, onde pudemos fotografar e conhecer sua igreja matriz, cujo padroeiro é São Pedro Apóstolo.

Na sequência, demos um giro pela praça principal do município, onde existe um monumento homenageando seus desbravadores.


Prefeitura Municipal de Armazém.

E, como já escurecia, entramos num supermercado e adquirimos água e chocolate para o lanche do dia seguinte.

Depois retornamos rapidamente ao local de pernoite para outro banho, pois fazia muito calor naquela tarde.


Outra vista da cidade de Armazém, desde o Morro da Cruz.

Armazém conta, atualmente, com 8.000 mil habitantes, e sua população é privilegiada, pois todo o município é abastecido com água mineral, cuja fonte é administrada pela Casan.

Talvez por causa disso a mortalidade infantil esteja muito próxima dos índices do Primeiro Mundo.

A economia do município se baseia na agricultura, com a maioria da população residindo na área rural.

O fumo é o principal produto, mas a suinocultura e o gado leiteiro também tem destaque.

No município estão instaladas algumas empresas de médio e grande porte, com destaque para uma fábrica de calças Jeans, bem como para o Frigumz Alimentos, em cujo frigorífico são abatidos 160 suínos ao dia.

Após a Revolução Farroupilha e a queda da República Juliana, em Laguna, a terra onde se encontra a cidade foi doada a um militar, Manoel Lourenço Demétrio, que lutara contra os rebeldes.

Assim surge o primeiro povoado, em 1870, com a chegada dos portugueses.

Capivari, como era chamado o povoado, adotou o nome atual a partir da instalação de um grande armazém na localidade de Sertão dos Corrêa.

Em 1959, Armazém emancipou-se do município de Tubarão.

Fonte: Prefeitura de Armazém/SC


Floreira existente na avenida principal da cidade de Armazém/SC.

Mais tarde, fomos lanchar numa padaria, pois como estávamos numa segunda-feira, não encontramos nenhum restaurante aberto.

Assim, finda a frugal refeição, logo nos dispersamos, em vista da jornada a ser cumprida no dia sequente.

Então, às 20 h eu já estava em meu quarto, um tanto tenso, arrumando a mochila e embrulhando o lanche para a trilha.

A primeira etapa seria longa e sabia que seria difícil, mas entendo também que não devemos dar as costas aos nossos sonhos, sob pena de, no futuro, olharmos para trás e vermos uma lacuna em nossas vidas.

Algo que poderíamos ter tentado, e não o fizemos por falta de coragem.

Assim, após os aprestos necessários, já me preparava para deitar, quando me lembrei de orar à Santa Paulina pedindo proteção, e o fiz desse modo:


Ó Santa Paulina, que puseste toda a confiança no Pai e em Jesus e que, inspirada por Maria, decidiste ajudar o povo sofrido, nós te confiamos a Igreja que tanto amas, nossas vidas, nossas famílias, a Vida Consagrada e todo o povo de Deus.

Ó querida Santa, intercede por nós, junto a Jesus, a fim de que tenhamos a coragem de lutar sempre, na conquista de um mundo mais humano, justo e fraterno.

Humildade, peço-vos, rogai por nós, cobrindo-nos com vossa proteção, e abençoando nossos passos, na peregrinação que iniciaremos amanhã, em direção ao vosso Santuário.

Amém!”


RESUMO TÉCNICO DESSA DATA, PRODUZIDO PELO PEREGRINO JOSÉ CARMINATTI


DIÁRIO DO CAMINHO DE SANTA PAULINA - DIA 16/03/15 - PERNOITE EM ARMAZÉM-SC

Tomei um táxi no centro de Criciúma-SC com destino ao Aeroporto Diomício Freitas em Forquilhinha-SC, onde em torno de 14:30 h um voo da Azul chegava a Criciúma trazendo entre seus passageiros Oswaldo Buzzo e Gilberto Perdiz.

Partimos então os três em direção a Armazém-SC, onde havíamos reservado o Hotel Pinheiro, situado em torno de 90 quilômetros do aeroporto em epígrafe, onde visitamos a cidade e nos preparamos para a trajetória que iniciar-se-ia no dia posterior.

O Hotel Pinheiro (Fone 48.36450276) conta com café da manhã e possui várias opções de acomodações.