Home‎ > ‎Cam da Divina Providência‎ > ‎

1º dia: LIMEIRA/SP A COSMÓPOLIS/SP – 28 quilômetros


1º dia: LIMEIRA/SP a COSMÓPOLIS/SP – 28 quilômetros

Ó Virgem Aparecida, fiel e seguro norte, alcançai-nos graças na vida, favorecei-nos na morte.




O traçado do Caminho da Providência que eu havia salvo em meu aparelho celular, mostrava como local de partida o Shopping das Pedras, distante 4 quilômetros do hotel em que a Sônia e eu estávamos hospedados.

Assim, como forma de agilizar nosso deslocamento e, ainda, zelar por nossa segurança, optamos por embarcar num táxi que, pontualmente, às 5 h, nos deixou na Praça Taba do Brasil.

Após apearmos e procedermos aos devidos acertos monetários, fizemos uma oração comunitária, através de um fervoroso “pai-nosso”, solicitando proteção para a nossa jornada.

Em seguida, iniciamos a etapa desse dia pela Avenida Mal. Artur da Costa e Silva, depois, por um túnel, ultrapassamos a Via Anhanguera e, na sequência, acessamos a Estrada Municipal LIM-346, por onde prosseguimos, sobre piso de terra.

Então, assim que cessou a iluminação urbana, ligamos nossas lanternas de mão e seguimos em frente, confiantes e intimoratos.

O trajeto, sempre plano, nos levou a transitar por lugares periféricos enquanto, lentamente, nos afastávamos da civilização.

Na verdade, esse caminho é sinalizado por plaquinhas que estão afixadas em árvores, postes, mourões ou muros, porém, em muitos locais elas não existem ou estão, simplesmente, denegridas pelas intempéries ou foram vandalizadas.

Assim, entendo que tentar percorrer esse roteiro baseado apenas na sinalização, é algo quase impossível; por isso, recomendo seguir a trilha plotada pelo ciclista Vladi Aielo, a quem muito agradeço, gravada no aplicativo Wikiloc, no seguinte endereço: https://pt.wikiloc.com/trilhas-mountain-bike/caminho-divina-providencia-limeira-aparecida-8707517

Com o dia claro, passamos pelo bairro Pires de Baixo, onde havia uma igrejinha dedicada a Santo Antônio, com pintura nova e enfeites de sua festa recente.

Naquele local, giramos 90 graus à direita, e seguimos ascendendo levemente entre laranjais e plantações de cana-de-açúcar, a tônica nessa etapa.

Depois, longos retões, plenos de muita areia e poeira, nos brindaram paisagens incomuns.

Durante boa parte do percurso eu me mantive na frente, a uns 100/200 m de minha companheira de viagem, assim, tive tempo para fazer a “navegação” do trajeto, via aparelho celular, bem como vivenciei momentos de intensa introspecção, quando perpassei pelos trechos mais silenciosos e ermos.

Nesse pique, depois de caminharmos 25 quilômetros, acessamos os bairros secundários da cidade de Cosmópolis, porque o traçado desse roteiro passa ao largo dessa urbe.

Então, por avenidas largas e silenciosas, caminhamos mais 3 quilômetros, até o centro da simpática povoação, para atingirmos o local de pernoite nesse dia.

Algumas fotos dessa etapa:


Caminho plano e fresco. o Sol ainda não apareceu.


Paisagens campestres..


Piso excelente para caminhar.


Longos retóes... bom para refletir.


A sinalização, quando existe, está fixada sempre no alto.


Mais retões...


Aqui, a cana foi recentemente colhida. Céu azul, sol forte!


Sombras, sempre bem-vindas.


Flores na estrada, bom para alegrar o coração do peregrino.

Cosmópolis está situada a 115.62 km da Capital e sua população estimada, em 2017, era de 69.086 habitantes.

Três cursos d'água cortam o município: ribeirão Três Barras, rio Jaguari e rio Pirapitingui.

Dessa forma, contém uma represa que abastece toda a cidade, sem riscos de necessidade de racionamento, o ano todo.


Igreja matriz de Cosmópolis/SP, cuja padroeira é Santa Gertrudes.

O nome do município deriva das palavras gregas cosmos (global) e polis (a cidade-estado grega), significando então “cidade do universo”.

Quem é natural de Cosmópolis é cosmopolense, e não cosmopolitano como alguns confundem.

A cidade foi fundada na região do Funil, antigo bairro extraurbano de Campinas, cujas terras foram doadas pelo Estado para a instalação de um núcleo, cuja finalidade era a colonização da região e a fixação do trabalhador ao solo nacional, convertendo-o, para isso, em proprietário da gleba que cultivasse.

Em 30 de Novembro de 1944, foi criado o município de Cosmópolis, cuja emancipação passou a vigorar a partir de 1º de Janeiro de 1945.

Altitude: 652 m  -  Fonte: Wikipédia



Capela do Santíssimo Sacramento, situada no interior da igreja matriz de Cosmópolis/SP.

NOTA DO AUTOR: A cidade de Cosmópolis me surpreendeu, positivamente, pelo seu traçado reto e pleno de bem conservadas avenidas. Trata-se de uma povoação moderna, cujo projeto a contemplou de ruas largas e praças bem cuidadas. Na verdade, um pacífico oásis, situado muito próximo de grandes urbes, habitado por pessoas educadas e hospitaleiras. Fiquei agradavelmente impressionado pela educação de seu povo, ruas limpas, asfalto sem fissuras, enfim, um local silencioso e ordeiro, que recomendo com alegria e efusão.


Interior da igreja matriz de Cosmópolis/SP.

RESUMO DO DIA - Tempo gasto, computado desde a Praça Taba do Brasil, em Limeira/SP, até o Hotel Pousa-lá, em Cosmópolis/SP: 5 h 30 min.

Clima: Ensolarado, variando a temperatura entre 13 e 21 graus.

Pernoite: Hotel Pousa-lá: Apartamento individual excelente - Preço: R$ 60,00.

Almoço: Restaurante do Ceará: Excelente! – Prato Feito, espetacular! Preço: R$19,00;

Para visualizar essa trilha, gravada no aplicativo Wikiloc, acesse: https://pt.wikiloc.com/trilhas-trekking/limeira-a-cosmopolis-25909595

AVALIAÇÃO PESSOAL: Uma etapa fácil, de muitos atrativos paisagísticos e, praticamente, toda em terra, onde o percurso perpassa, inicialmente, por grandes adensamentos urbanos. Porém, um trajeto plano e de fácil deslocamento. O clima matutino, frio e ventoso, também nos ajudou bastante. Uma pena, mas os locais de pernoite disponíveis, em Cosmópolis, ficam distantes do traçado desse Caminho. No geral, uma jornada sem imprevistos, cumprida com muito ânimo e bom ritmo.